Tutankhamon pode ter morrido de malária

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille 

Não é um resultado definitivo para a causa da morte, mas inquestionavelmente foi apontado em seu exame de DNA que o rei, que morreu aos 18 a 19 anos possuía traços de malaria em seu sangue, de acordo com a notícia veiculada pela a BBC. O exame também mostrou que ele possuía uma doença nos ossos denominada Kohler e que não possuía Marfan, como ainda afirma alguns pesquisadores.

 

 

Tutankhamon. BBC. 2010.

 

Mais resultados sobre o exame devem sair em breve, mas isto, com certeza, não irá dissipar as duvidas quanto ao que matou o rei, já que mesmo após a divulgação dos resultados o Dr. Bob Connolly, professor de antropologia física da Universidade de Liverpool, aponta que o faraó pode ter perecido de outra coisa (um acidente, talvez) e não justamente da malaria.

Fonte: ‘Malaria and weak bones’ may have killed Tutankhamun, 17/02/2010 <http://news.bbc.co.uk/2/hi/health/8516425.stm>  

 

Márcia Jamille

Arqueóloga formada pela UFS com a monografia “Egito Submerso: a Arqueologia Marítima Egípcia” e mestra em Arqueologia também pela UFS com a pesquisa “Arqueologia de Ambientes Aquáticos no Egito: uma proposta de pesquisa das sociedades dos oásis do Período Faraônico”. É administradora do Arqueologia Egípcia e autora do livro “Uma viagem pelo Nilo”.
[Leia seu perfil]