Filme com cena de sexo no topo da Grande Pirâmide? O governo egípcio está investigando! (+12)

Por Márcia Jamille | @MJamille | Instagram

Na tarde de ontem foi liberada a notícia de que um vídeo contendo uma cena de sexo foi enviado para um procurador egípcio. A grande questão aqui é que o citado vídeo supostamente foi gravado no topo da Grande Pirâmide de Gizé, que além de ser uma estrutura arqueológica com mais de 3.000 anos é Patrimônio da Humanidade. Escaladas até o topo destas e das demais pirâmides do platô de Gizé são totalmente proibidas não somente por conta da importância histórica destes edifícios, mas por conta do perigo.

O vídeo teria sido feito por um fotógrafo dinamarquês chamado Andreas Hvid, que por sua vez o postou no YouTube. Em seu Instagram, Hvid se define com os seguintes termos: “Exploração urbana; Arte nua; Coisas de viagens”. E dentre as fotografias presentes na rede social e em seu site estão algumas tiradas do topo de edifícios e mulheres seminuas.

Publicação de Hvid, mas que posteriormente foi apagada. Fonte: Identity Mag.

De fato, existe um vídeo circulando pela internet cuja autoria é dada a Hvid. Nele o vemos juntamente com uma mulher escalando a Grande Pirâmide na calada da noite e ao chegar no topo tiram uma fotografia lado a lado. Em um outro momento do vídeo ela retira e blusa e no momento seguinte uma fotografia é mostrada onde o casal parece estar em um enlaço sexual.

Andreas Hvid e companheira. Esta fotografia ainda está disponível no site dele.

Até o momento em que concluo este texto não achei nenhuma declaração vinda do próprio Hvid. Porém, de acordo com o site Egypt Today ele teria declarado o seguinte na descrição do vídeo original: “No final de novembro de 2018, uma amiga e eu escalamos a Grande Pirâmide de Gizé (também conhecida como Pirâmide de Khufu, Pirâmide de Quéops). Temendo ser notado pelos muitos guardas, não filmei por várias horas enquanto esgueirava-me no Planalto de Gizé, o que levou à subida “. Ainda de acordo com o site o diretor da área arqueológica das pirâmides de Gizé, Asharf Mohey, irá apresentar um relatório à promotoria exigindo uma investigação oficial sobre o vídeo. Ele não acredita que o vídeo seja real, alegando que é impossível escalar as pirâmides devido a grande segurança que existe atualmente no local. Ele ainda salientou que suspeita da autenticidade das imagens porque as luzes que aparecem na gravação não se assemelham a visão real que o sítio arqueológico tem.

 

Esta não foi a 1ª vez: um filme pornográfico russo foi gravado na região

Em 2015 foi liberada a notícia de que um curto filme contendo cenas de sexo explícito foi gravado ilegalmente na região das Pirâmides de Gizé, o que levou o governo egípcio a abrir uma investigação para apurar o caso. O vídeo é russo, mas contém legendas em inglês. Nele uma atriz chamada Aurita reclama de ter que visitar os locais históricos. “Esta p***a é uma porcaria”, disse ela em relação às Pirâmides. “O que tem para olhar? É realmente uma porcaria, até nossos resorts são melhores”.

Aurita em screenshot do vídeo citado.

Enquanto isso, a co-estrela masculina, que não é identificada, expressa descontentamento semelhante, dizendo que ele queria que as pirâmides fossem destruídas. “O que há para ver? Eu odeio estas p***as de pirâmides”. Ele também usa termos homofóbicos para descrever os vendedores que atuavam na área das pirâmides.

Aurita em screenshot do vídeo citado.

Fonte:

Egypt investigates porn video allegedly shot atop Giza Pyramid. Disponível em < http://www.egypttoday.com/Article/1/61567/Egypt-investigates-porn-video-allegedly-shot-atop-Giza-Pyramid >. Acesso em 07 de dezembro de 2018.

“Porn Filmed At Egypt’s Pyramids Sparks Outrage”. Disponível em < http://egyptianstreets.com/2015/03/07/porn-filmed-at-egypts-pyramids-sparks-outrage/ >. Acesso em 07/03/2015.

Márcia Jamille

Arqueóloga formada pela UFS com a monografia “Egito Submerso: a Arqueologia Marítima Egípcia” e mestra em Arqueologia também pela UFS com a pesquisa “Arqueologia de Ambientes Aquáticos no Egito: uma proposta de pesquisa das sociedades dos oásis do Período Faraônico”. É administradora do Arqueologia Egípcia e autora do livro "Uma viagem pelo Nilo". [Leia seu perfil]