Poço com mais de 300 artefatos dos tempos dos faraós é encontrado no Egito

Por Márcia Jamille | @MJamille | Instagram

Como foi anunciado em um post anterior, algumas escavações arqueológicas continuam a ocorrer no Egito (mas com os trabalhadores a distâncias seguras, segundo o Ministério das Antiguidades) assim como algumas descobertas. Uma das mais recentes foi a de um poço contendo mais de 300 artefatos de cunho funerário em Saqqara.

A entrada do poço onde os artefatos foram encontrados.

Saqqara é uma região extremamente importante para a Arqueologia porque é um dos lugares mais antigos do Egito ocupados durante a era dos faraós. Foi lá onde a primeira pirâmide do país, a Pirâmide de Djoser, foi construída.

O poço descoberto tem de 120 x 90 centímetros e 11 metros de profundidade e dentre os objetos encontrados estavam:

  • Cinco sarcófagos de pedra selados;
  • Quatro caixões de madeira com enterros humanos em seu interior;
  • Um caixão maciço de madeira antropoide, com hieróglifos escritos em pigmento amarelo;
  • 365 ushabtis (estatuetas funerárias) feitas em faiança;
  • Um pequeno obelisco de madeira com cerca de 40 cm de altura, cujo todos os quatro lados exibem cenas pintadas representando algumas divindades;
  • E vasos canópicos em formato cilíndrico (assista ao vídeo para entender o que eles são).
Na parte inferior é possível ver vasos canópicos. Assista ao vídeo “O que são vasos canópicos” para saber mais sobre eles. — https://youtu.be/1zKSl44LA6Q

Mais de 360 ushabtis foram encontrados.

Alguns dos artefatos já foram removidos do poço para passar por restauros antes de serem guardados nos armazéns do Ministério, que também explicou em seu comunicado que os trabalhos não terminaram ainda. A datação exata dos artefatos não foi anunciada.

Fontes das fotografias (no link tem mais):

Egypt’s Antiquities Ministry Announces New Discovery In Saqqara. Disponível em < https://archaeologynewsnetwork.blogspot.com/2020/04/egypts-antiquities-ministry-announces.html >. Acesso em 23 de abril de 2020.

Márcia Jamille

Arqueóloga formada pela UFS com a monografia “Egito Submerso: a Arqueologia Marítima Egípcia” e mestra em Arqueologia também pela UFS com a pesquisa “Arqueologia de Ambientes Aquáticos no Egito: uma proposta de pesquisa das sociedades dos oásis do Período Faraônico”. É administradora do Arqueologia Egípcia e autora do livro "Uma viagem pelo Nilo". [Leia seu perfil]