Discovery Channel e sereias no Egito?

Assisti neste domingo (20/01/2013) ao programa “Sereias: o corpo encontrado” que passou na Discovery Channel (e que aparentemente faz parte também da grade do Animal Planet). Na película dois cientistas ex-integrantes da National Oceanic Atmospheric Administration (NOAA), ao investigar o encalhe em massa de baleias, afirmam ter gravado misteriosos ruídos subaquáticos – o qual foi denominado de “bloop” – provenientes de um animal desconhecido que parecia se comunicar com golfinhos. Este som se assemelhava a outro captado na África do Sul, para onde ambos viajam buscando mais esclarecimentos e coincidentemente eles encontram dentro do corpo de um tubarão restos de um animal incógnito que com o desenrolar das pesquisas descobrem se tratar de uma sereia.

“Sereias: o corpo encontrado”, atualmente na grade da Discovery Channel.

Quem assistiu viu que o documentário é extremamente convincente, mas não querendo cortar o barato de ninguém, mas já cortando: a fita trata-se de é um “Mockumentary”, ou seja, um “falso documentário” e mesmo com o próprio canal deixando claro que se trata de uma ficção que se utilizou da existência das gravações do “bloop”, muitas pessoas estão acreditando que o depoimento dos “pesquisadores” (que na verdade são atores) se trata de um acontecimento real.

Este Mockumentary, para tentar dar mais veracidade ao enredo, incluiu exemplos de imagens espalhadas pelo mundo [1] que retratam animais com o corpo “meio-humano e meio-peixe”, inclusive uma proveniente de uma caverna no Egito… Porém a tal pintura egípcia não existe. A produção da fita se utilizou daquela velha premissa: se quer mais veracidade, sempre ponha um exemplo advindo da Arqueologia.

Pinturas rupestres retratando sereias no Egito. Imagem veiculada pelo programa “Sereias: o corpo encontrado”.

O intrigante é que eles poderiam ter utilizado as pinturas rupestres de Karoo (África do Sul) que, olhando do ponto de vista do nosso imaginário, possuem representações de figuras que parecem com sereias, mas já deixo aqui bem claro que não dá para ficar interpretando todos os tipos de imagens pré-históricas, imaginem que se for para levar tudo ao pé da letra vocês irão se surpreender quando estiverem visitando um sítio rupestre brasileiro e descobrir que algumas pessoas no passado caminhavam com três pernas ou que, na pior das hipóteses, o falo batia nos tornozelos…

 

Sereia #chateadissima!

 

Update – 21 de Janeiro de 2013 – 13h49: eu acho injusto se que criem discussões e mais discussões para debater acerca deste programa e quando o assunto é a “Grande Mancha do Pacífico”, a pesca predatória de tubarões, golfinhos e baleias ou a caça ilegal em mangues quase ninguém tem a mesma energia para levantar um debate ou escrever para as instituições do governo (como fizeram após o lançamento deste documentário).

[1] Esta foi a mesma fórmula que utilizaram no programa “Dragões: fantasia ou realidade”, que é também um Mockumentary,  onde mostraram retratos de dragões espalhados pelo mundo –.