Fiz um tour por um museu de arqueologia

Sabem um museu bonitão daqueles que você se sente bem visitando e fica com vontade de convidar seus amigos para conhecer? Para mim este é o caso do Museu de Arqueologia e Etnologia da UFBA, o qual recebi da direção carta branca para realizar algumas filmagens. Na minha opinião, o que cria toda a atmosfera dele é o fato de que está dentro de um antigo edifício jesuíta, com direito inclusive a uma “saída secreta” (se vocês assistirem ao vídeo que coloquei ao final deste post irão entender).

Conjunto de urnas funerárias. Foto: Márcia Jamille.

Entretanto, embora seja um prédio jesuíta, o museu é dedicado a sociedades indígenas e lá vocês encontrarão dezenas de artefatos instigantes em exposição, a exemplo de algumas urnas funerárias. Bem, explicando brevemente: em algumas destas urnas foram realizados o que chamamos de “sepultamento secundário”. Um sepultamento secundário é literalmente um “segundo sepultamento”, ou seja, um indivíduo é enterrado a priori em um lugar e após um tempo os seus restos são movidos. Quando enterramos alguém em um caixão e depois o colocamos em um ossário isso é o que denominamos de “sepultamento secundário”. 

Urnas funerárias. Foto: Márcia Jamille
Urna funerária. Foto: Márcia Jamille.

E caso um dia um de vocês visitem o museu, um dos meus artefatos favoritos é um colar de ossos de macaco. Não se sabe se ele possuía algum significado simbólico, religioso ou se só era um adorno banal, mas é uma curiosidade interessante para quem curte zooarqueologia. 

No centro está um colar feito com ossos de macaco. Foto: Márcia Jamille
Antiga cisterna. Foto: Márcia Jamille

Ah! E tem a famosa cisterna, que está localizada no centro do edifício. Os monitores que me acompanharam durante as gravações me contaram algumas curiosidades sobre esta estrutura — sobre como provavelmente a água era coletada —. O vídeo: 

Avatar

Arqueóloga formada pela UFS com a monografia “Egito Submerso: a Arqueologia Marítima Egípcia” e mestra em Arqueologia também pela UFS com a pesquisa “Arqueologia de Ambientes Aquáticos no Egito: uma proposta de pesquisa das sociedades dos oásis do Período Faraônico”. É administradora do Arqueologia Egípcia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *