“Aventuras na Arqueologia”: conheça os personagens iniciais

A pandemia do novo coronavírus (covid-19), tem mudado a rotina de várias pessoas, empresas e claro, canais de YouTube. E um dos canais que têm passado por essas mudanças é o “Arqueologia pelo Mundo”, que mudou parte de sua programação para atender e entreter as pessoas que estão obedecendo a quarentena. Graças a isso, a série “Aventuras na Arqueologia” foi anunciada (e iniciada) com antecedência; anteriormente esperava-se que ela fosse lançada somente em meados de julho.

O primeiro capítulo já está disponível no canal e a perdido dos seguidores foi feita a apresentação dos personagens da fase inicial. Assim como da ambientação da universidade em que a personagem principal, a Juliana Archaia, frequentará:

Juliana é uma estudante de arqueologia que está vivendo em uma república. O público poderá assistir ao desenvolvimento dela na profissão, porém, a ideia não é ser somente uma gameplay: a proposta central é apresentar alguns dos aspectos principais da arqueologia, desmistificando o que é visto na ficção, onde arqueólogos são caçadores de relíquias, o que está longe da realidade.

Vale lembrar que alguns dos personagens da república foram inspirados em nomes da divulgação científica brasileira: Takata-san (Takata do Gene Repórter), Vivi e Camila Peixe (Vivi e Camilia do canal Peixe Babel), Pilula o Paleontólogo (Pirula), Laura Microbiologia e Ana da Fisiologia (Laura e Ana do canal Nunca Vi 1 Cientista).

Essa série está sendo totalmente patrocinada por alguns dos seguidores do Arqueologia pelo Mundo. Se quiser apoiar também o projeto clique aqui (para se tornar membro do canal) ou aqui (para se tornar um apoiador no Catarse). E o nosso Discord, Tumba dos Maluqueiros, está aberto para receber sugestões!

Avatar

Arqueóloga formada pela UFS com a monografia “Egito Submerso: a Arqueologia Marítima Egípcia” e mestra em Arqueologia também pela UFS com a pesquisa “Arqueologia de Ambientes Aquáticos no Egito: uma proposta de pesquisa das sociedades dos oásis do Período Faraônico”. É administradora do Arqueologia Egípcia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *