Saiba como ter totalmente de graça o jogo Civilization VI

Não é incomum que a Epic Games distribua alguns jogos gratuitamente para sua comunidade por tempo limitado. Bom, o jogo da vez é Civilization VI, cuja premissa é levar o jogador a expandir seu império pelo mapa, avançar sua cultura e competir com os maiores líderes da história para criar uma civilização que resistirá ao tempo. Esse jogo usualmente é vendido na Epic por R$129,00, mas estará disponível de graça até o dia 28 de maio. E outra coisa! O que está gratuito é o jogo base, os conteúdos acionais, a exemplo do “Pacote Maia e Grande Colômbia”, não entraram nessa campanha.

Saiba como ter Civilization VI para ser jogado em seu PC:

1 . Baixe o launcher da Epic Games (entre no site https://www.epicgames.com/store/pt-BR/ e clique no botão “Baixar Epic Games”):

2 . Vá até o menu “store” e procure pela aba “Jogos grátis”. Clique na imagem do “Civilization VI”:

3 . No canto direito estará um botão azul escrito “obtenha” (na minha imagem está “adquirido” porque eu já tenho o jogo):

4 . Note que você será enviado para uma página de compra. Porém, o valor do game estará descontado e o valor total será “R$0.00”. Clique para comprar.

Pronto! Mesmo que você não tenham um PC bom para rodar jogos, “Civilization VI” ficará guardadinho no seu perfil da Epic Games esperando uma oportunidade para que você possa baixá-lo e jogá-lo.

“Aventuras na Arqueologia”, nossa série no The Sims 4

Foi no final do ano passado (2019), que durante uma conversa com seguidores através do meu Twitter, que surgiu a ideia de criarmos uma série para o meu canal. A proposta era criar um RP de Arqueologia ambientado no The Sims 4, um jogo de simulação desenvolvido pela Maxis e publicado pela Electronic Arts.

Reconheço que essa é uma ideia ousada, visto que meu canal, como bem diz o nome, Arqueologia pelo Mundo, é voltado para a divulgação da Arqueologia. Porém, ainda assim resolvi levar a sugestão a sério e a série foi programada para estrear em julho deste ano. Contudo, algo muito terrível aconteceu: a pandemia da COVID19 (coronavírus).

Eu já tenho minha própria personagem no jogo, mas não serei a protagonista 😊

Devido às medidas de distanciamento social e pelo fato de recebermos constantemente notícias extremamente tristes nos últimos dias, achei que seria interessante ter mais uma possibilidade de uma distração saudável nesses tempos sombrios; enquanto escrevia esse post fiquei sabendo que somente hoje (19 de maio) o Brasil contabilizou mil cento e setenta e nove vidas perdidas, todas vítimas desse vírus. Então, realmente eu gostaria de dar um entretenimento leve para vocês… E para mim mesma.

Você pode enviar seu próprio personagem para fazer parte do nosso mundo. Isso é bem fácil: ao o criar (use somente o jogo base e Aventuras na Selva), na descrição coloque #jogacomigoarqueologa e clique na nuvem para liberar seu personagem na galeria pública.

Como falei, a série se passará no The Sims 4. Chamada de “Aventuras na Arqueologia“, a primeira parte será dedicada à formação acadêmica da personagem principal, a qual viverá em uma república. A decisão pela república foi feita através de uma votação no Instagram. E só dando um spoiler: nas redondezas viverão algumas personalidades da divulgação científica brasileira.

A série será semanal e o público acompanhará uma jovem arqueóloga — já adianto que não será eu — desde a sua formação, até a sua busca por descobertas arqueológicas. Claro que aproveitarei o mundo de Selvadorada, a qual explorarei acompanhada de vocês em vídeo. 

Ok que The Sims 4 não apresenta a Arqueologia como de fato ela é, uma ciência, mas como uma prática de aventura e caça a tesouros. Entretanto, a ideia é que além de divertir o público, possamos aproveitar para contar alguns dos aspectos curiosos dessa profissão.

Essa série está sendo totalmente patrocinada por alguns dos seguidores do Arqueologia pelo Mundo. Se quiser apoiar também o projeto clique aqui (para se tornar membro do canal) ou aqui (para se tornar um apoiador no Catarse). E o nosso Discord, Tumba dos Maluqueiros, está aberto para receber sugestões!

Em breve trarei mais novidades. 

Mergulhando cada vez mais no Inferno em Layers of Fear!

E aqui estamos de volta com “Layers of Fear”, um jogo de terror psicológico que se passa em um casarão do século XIX. Estou realizando gameplays dele desde novembro e agora disponibilizo aqui mais dois capítulos.

Cada vez mais mergulhamos no mundo sombrio da mente do nosso pintor e conhecemos mais detalhes sobre sua convivência com sua família, alguns deles são bem perturbadores.

E agora focando na nossa série de gameplays: senhores… AI SIM DIGO QUE ESTE É UM GAMEPLAY DE RESPONSSA! Até usei um microfone bacana! O pior é que estou falando sério! Achei que este 3º capítulo ficou bem legal.

E este é o 4º capítulo! A história do jogo começa a se aprofundar mais e teremos um momento tocante em relação a filha do nosso personagem:

Em breve postarei aqui os dois últimos capítulos! 🙂

Um casarão antigo e um pintor desnorteado!

Quem segue o canal “Márcia Jamille” está tendo a oportunidade de acompanhar a série de gameplays de “Layers of Fear”, um jogo de terror psicológico que se passa em um casarão do século XIX. Nele somos um pintor que deve desbravar o casarão enquanto descobre pouco a pouco o que ocorreu lá de tão terrível para ele estar abandonado.

Espero que vocês se divirtam com os meus sustos porque… Meu deus… Se tive cagaço com este jogo, imagina se eu fosse jogar “Outlast 2″… Ou seja, eu não iria jogar, morreria de infarto antes disto!

Abaixo está o 1º Capítulo da série, o qual consegui a proeza de salvar com a câmera ao contrário (vocês irão entender!). Isso não irá comprometer sua experiencia, exceto, claro, que você tenha toc. Desculpa seriozão caso você tenha toc! 😕 E estas thumbnails foram feitas pela Márcia Sandrine (clique aqui para ver o Instagram dela). A ideia era “me colocar” no ambiente do jogo.

E este é o 2º capítulo da série. Nele já estou mais esperta com a câmara. Quase uma profissional do mundo das gameplays! Eu deveria até receber um Oscar de melhor gameplay do Youtube!

Espero vê-los nos próximos capítulos! 🙂

(Jogo) Grand Fantasia: Ilha Siwa

Vocês são capazes de reconhecer este nome? É desta forma que um dos oásis egípcios é atualmente chamado, o Siwa, o mais distante do Nilo e para onde Alexandre Magno (356 – 323 a. E. c.) foi buscando aprovação do oráculo de Amon para governar o Egito tal qual um faraó.

A imagem abaixo pertence ao jogo Grand Fantasia, cujo primeiro mapa é nesta ilha. Além desta relação entre os nomes, o que chamou minha atenção foi uma leve coincidência: na minha conclusão de curso um dos métodos de análise que utilizei foi a comparação do “isolamento” dos oásis líbios (ou seja, os egípcios) com ilhas oceânicas.

 

Entrada da Ilha Siwa. Print: Márcia Jamille. 2013.

Entrada da Ilha Siwa. Print: Márcia Jamille. 2013.

 

Mas se querem saber do jogo: trata-se de um MMORPG online, ou seja, não interessa o que você estará fazendo, sempre existirá muita movimentação próxima e pessoas querendo duelar, falando besteira ou procurando uma namorada, neste até me surpreendi, existe um mural e lá tinha um recardo de um char pedindo por uma. Em relação a jogabilidade ela é bem enfadonha, achei um dos aspectos mais tediosos, o (a) jogador (a) precisa decorar os comandos do teclado que não são nada difíceis, mas quando se está acostumado com comandos primordiais no mouse e skills no teclado você se perde um pouco.

Quando baixei o jogo, que por acaso é gratuito, fiquei interessada no gráfico que lembra um pouco Tales of the Abyss, a diferença é que o impacto inicial é de tantas cores vindas do chat e do mural de quests que você se sente como se estivesse voltado uns dezessete anos no tempo e aberto um site no Windows 98. Depois seus olhos se acostumam.

Se quiserem um pouquinho mais de Egito, aparentemente existe um lay do jogo que possui uma figura baseadas no Egito Antigo (imagem abaixo), mas não cheguei nem a ver, no mesmo dia em que baixei o desinstalei. Como escrevi anteriormente não gostei muito da jogabilidade e além disto não consegui ver diversão em matar monstros com nomes do tipo “Siri Sorridente” (ou era “risonho”), era no mínimo perturbador. Porém, infelizmente desinstalei o jogo sem tirar um print da minha personagem que, em detrimento da roupa (que lembra a de uma colegial), consegui fazê-la em uma versão “egípcia”, dei para ela então o nome de Nwt e para o animalzinho guardião dela dei o nome de Geb… Ok, é que estou em meu momento ocioso gente, posso fazer isto.

 

Grand Fantasia. Imagem disponível me . Acesso em 02 de Junho de 2013

Grand Fantasia. Imagem disponível em < http://clube-de-jornalismoo.blogspot.com.br/2013/04/guia-emissarios.html >. Acesso em 02 de Junho de 2013

 

P.S: Caso algum de vocês acabe baixando o jogo me avisa, eu o reinstalo e montamos a guilda “AEgípcia” para “tocarmos o terror” em Siwa. 😀 … Ok, brinquei agora, não tenho mais interesse neste jogo.