Fiz um passeio por uma casa da Roma Antiga! Usando óculos de realidade virtual, claro…

Recentemente visitei o Laboratório de Arqueologia Romana Provincial (LARP-USP), que trabalha com a elaboração de aplicativos interativos que visam levar até o público um pouco da história do império e república romana. Durante esta visita tive a oportunidade de gravar como os trabalhos são realizados lá, assim como quais são as ferramentas utilizadas pelos pesquisadores. O que posso dizer é que foi uma tarde de aprendizados e fico feliz em levar um pouco destas informações para vocês.

Já durante a primeira parte da visita fui apresentada a uma impressora 3D que, como bem o nome indica, imprime objetos em 3D, neste caso artefatos arqueológicos. A proposta é simples: a ideia é scanear um artefato arqueológico para criar um modelo tridimensional e então enviá-lo para a impressora 3D que fará uma cópia dele.

Esta cópia — feita normalmente com plástico ABS — servirá como base para um molde de silicone, que por sua vez servirá de bandeja para a criação de um modelo em resina que poderá ser utilizado em programas educativos onde os visitantes poderão manipulá-lo a vontade. E eu pude ver pessoalmente uma destas peças — no caso um ushabit (um tipo de estatueta funerária egípcia) — sendo impressa.

Mas, ter um modelo tridimensional ou uma cópia 3D de uma peça arqueológica vai muito além de poder ser manipulada por curiosos em um passeio por um museu. Serve também — especialmente os modelos tridimensionais — para a pesquisa por parte de um acadêmico que, por algum motivo, não têm possibilidade de acesso a peça. É importante também para se manter um registro do objeto no caso de se perder o original.

Também fui apresentada a alguns dos jogos que foram elaborados pelos pesquisadores do laboratório. Naturalmente todos têm um uso educacional e possuem um fundo histórico arqueologicamente apurado. Dentre os tipos de jogos que eles já criaram está o “Domus” (onde visitamos uma antiga casa romana), que está disponível em diferentes versões, inclusive em realidade virtual a qual cheguei a experimentar lá no laboratório mesmo.

Espero que vocês curtam esta tarde que passei lá e quem sabe se encantem também por este mundo da Arqueologia Digital.