Conheça a meta do canal “Arqueologia Egípcia” para os 3.000 inscritos

E aqui estou novamente falando sobre as metas do canal do “Arqueologia Egípcia” no YouTube 😊 Em maio deste ano (2016) liberei aqui no blog uma lista com os temas para os vídeos especiais que serão gravados e publicados  a cada 1.000 inscrições realizadas no canal. Como as ideias para as metas ainda não tinham surgido na época dos primeiros 1.000 nada foi gravado. Porém, com os 2.000, foi liberado um vídeo sobre Arquitetura Egípcia, que, a propósito, está muito legal! Assistam lá!

The Great Pyramid: Last of the Seven Wonders

O dos 3.000 inscritos estava aberto para sugestões, mas agora já está definido: falarei sobre amuletos egípcios. Sim! O famoso “Olho de Hórus”, a Ankh, o escaravelho e outros que não são tão conhecidos assim do público comum. Como já estamos chegando nesse número (atualmente o canal soma 2.790 inscritos) estou realizando as pesquisas e preparando o roteiro. Nem preciso dizer que estou muito empolgada!

Egyptian Amulets

Ankh

A exemplo do vídeo sobre arquitetura é claro que estarei trazendo umas coisinhas bem legais para mostrar para vocês 💜. Então aguardem!

Se quiser se inscrever lá no canal é só clicar aqui ou no botão abaixo:


Wishlist: cenário para o Arqueologia Egípcia

Desde que comecei a me dedicar mais ao Youtube eu sempre olho para todos os lugares como uma probabilidade de cenário. Inclusive, quando penso em um pesquisador para filmar sempre imagino “Ah! Seria interessante filmar a fulana em um cenário x”, “Acho que com o tema do fulano o local y seria o ideal”. E creio que esta é uma das partes divertidas.

Gosto bastante de coisas antigas (nem é possível perceber né? Até virei arqueóloga!), ao mesmo tempo que não sou nenhuma saudosista — amo o século XXI, obrigada! — e prefiro sinceramente comprar replicas que possam, por ventura, possuir composições modernas.

Bom, voltando ao tema deste post: ultimamente tenho pesquisado referencias para um futuro cenário para o canal do A.E. Uma coisa que sempre digo é que é muito, mas muito trabalhoso gravar vídeos para o Youtube, mas, ao mesmo tempo, é extremamente divertido ver o vídeo já pronto e receber mensagens das pessoas com dúvidas, sugestões de temas ou falando que o conteúdo ajudou em alguma atividade da escola. Isso, definitivamente, não tem preço. O apoio dessa galera é tão fantástico que me vejo motivada a melhorar mais e mais. Por isso me pego imaginando composições legais para o cenário e aparelhos novos.

Alguém pode até perguntar se eu não tenho medo que alguém “furte” minhas referências. Vamos levar pelo lado bom: ao menos eu postei primeiro 😀 Fora que como muitas destas coisas são caras é pouco provável que eu consiga reuni-las um dia, reconheço.

(1) Abajur de chão, só que feito com um tripé. Eu encontrei este da imagem vendendo, mas eu penso em um tripé com uma rosca lateral entendem? Vi uma referência no Pinterest e fiquei simplesmente apaixonada. Este da foto encontrei na Elo 7.

(2) Um teodolito antigo também ficaria lindo em um cenário. Eu sei usar? Não. Na verdade nem faço a menor ideia de como se mexe neste troço. Mas, qual garota não quer um modelo antigo de teodolito para chamar de seu? Infelizmente não encontrei nenhuma loja vendendo um bonitão assim 🙁

(3) Eu gosto muito de mapas-mundi, em especial os que imitam temas antigos. Então quando vi este globo terrestre de metal dourado da Esprecione foi amor à primeira vista. Este está disponível na Shopfácil.

(4) Um apoiador de livros com a deusa Bastet como enfeite é o meu sonho de consumo há anos! Estes da imagem são somente duas estátuas mantendo os livros unidos (por acaso vocês podem encontrá-las na loja Atelie Arma-Zen), mas já vi apoiadores de livros, com uma lateral de fato, com esta temática.

(5) Desde que assisti aos snapstories do Josh Bernstein as poltronas chesterfield entraram para a minha modesta lista de sonho de consumo. Elas são lindas. No Ebay dá para encontrar tanto essa, como outros moletos e cores fácil, fácil. O problema são os preços…

Já dá para começar a imaginar o meu cenário dos sonhos? 😀

A nova proposta para o canal do Arqueologia Egípcia

Iniciarei este texto falando que organizar um canal no Youtube não é fácil; dá muito trabalho e para piorar é uma atividade extremamente mal remunerada e que conta com o ódio de muita gente (vai lá entender).

Entretanto, é algo que gosto muito de fazer. Não sei explicar o motivo, mas me sinto extremamente feliz quando pessoas de diferentes lugares aparecem no canal comentando que aprenderam algo novo, tirando dúvidas ou simplesmente agradecendo pelo vídeo gravado.

Fico também muito encantada quando vejo as pessoas divulgando para os amigos e pedindo para que eles assistam. É como se fosse uma corrente de respeito e cumplicidade. É muito bonito.

Por isso, em agradecimento aos números cada vez mais crescente de inscritos, irei organizar vídeos com conteúdos especiais, onde será dada mais atenção aos detalhes. A ideia é que a cada 1000 inscrições gravarei um vídeo mais amplo sobre um tema especifico. Já montei até uma lista:

1.000 inscritos: Nada foi feito

2.000 inscritos: Arquitetura egípcia

3.000 inscritos: *Aberto para sugestões*

4.000 inscritos: Joias dos tempos dos faraós

5.000 inscritos: Vestimentas durante a Egito Antigo

Esta lista está aberta para sugestões e farei o possível para passar o assunto com todo carinho. O de 2.000 já está relativamente próximo, então já estou começando a separar alguns materiais para falar sobre a arquitetura. Adiando que abordarei tanto a arquitetura monumental, como funerária e domestica.

A Pirâmide Escalonada de Djozer. Imagem disponível em < http://fineartamerica.com/featured/step-pyramid-2-joe-k-ng.html >. Acesso em 26 de junho de 2013.

Se quiser se inscrever clique aqui ou no botão abaixo:

O “diário secreto” de uma ARQUEOtuber

Gravar um vídeo para o Youtube não é uma tarefa fácil. Ao contrário do que muitas pessoas pensam não é somente ligar uma câmera e falar o que dá na telha, é muito mais do que isso. Dependendo do tipo de protejo existe toda uma preparação onde pode estar incluso o roteiro, ajuste de iluminação, preparação do espaço, horário… As vezes tudo isso e mais.

Uma pessoa que fala que youtuber não é trabalho definitivamente não sabe do que está falando: mesmo um vlog, que parece algo simples, exige atenção.

Cena de um vlog feito na Baía de Todos-os-Santos, “Vento forte ≠ enjoo e mergulho em naufrágio“. Nele mostrei os bastidores do vídeo “Um mergulho na Arqueologia Subaquática”, que neste momento está em edição e vai para o Arqueologia Egípcia. Para assistir ao vlog clique aqui.

Para a maioria esmagadora de nós o nosso trabalho requer por muita coisa em risco (especialmente o nosso dinheiro) e trabalhar em horários irreais com orçamentos apertadíssimos enquanto que para o público a dificuldade maior está em assistir o vídeo até o final e nos julgar com um “like” ou “dislike”, talvez uma mensagem positiva ou negativa daquelas que te fazem questionar se continuar como criador (a) de conteúdo vale todo o esforço.

Cena do vlog “Visitando o Museu Egípcio Itinerante”. Clique aqui para assistir.

Foi para contar um pouco sobre como é ser Youtube (e para descontrair) que resolvi responder a TAG “Diário secreto de uma Youtuber” e compartilhar aqui com vocês.

Youtube | Facebook | Instagram | Twitter