Então, eu não deveria estar agora no Egito?

Olá viventes! Quem acompanha o Arqueologia Egípcia tanto aqui no #AEgípcia como no site central sabe que a esta altura do campeonato eu deveria estar no Egito viajando com a Ortega, mas os mais atentos já viram que há mais ou menos um mês ou um mês e meio a chamada para a mesma lá na área da agenda (sim, existe uma, está no menu lateral, olha lá e fique sabendo quais serão as minhas próximas atividades :D) daqui do blog e do AE está riscada, ou seja, ela foi cancelada (*coro de tristeza*).

Mas calma! Ela será remarcada. Neste vídeo explico (aproveitem e inscrevam-se):

Youtube | Facebook | Instagram | Twitter

Demorei um pouquinho para gravar este vídeo, eu sei, mas o tempo para gravações é mínimo gente, não é fácil assim não.

Mulher X Ciência: uma boa resposta para uma pergunta idiota

Vi este vídeo vi rolando no Facebook e ele é digno para ser compartilhado. Trata-se de uma palestra que tem a participação do astrofísico Neil Tyson onde um homem do público faz uma pergunta babaca envolvendo a ausência das mulheres na ciência. Sendo negro, Tyson sente literalmente na pele o que é ter sua etnia desprezada pela sociedade cientifica, então se sentiu apto para responder a pergunta:

 

Eu gostaria de dizer que na Arqueologia temos um pouco mais de sorte, mas não é bem assim. As mulheres, ao contrário de muitas outras ciências, costumam ser muito mais numerosas e aceitas, contudo – e eu já ouvi isto ser dito acerca de outras colegas – aquelas que tendem a se arrumar um pouco mais que as outras moças usualmente são rotuladas como não aptas para o trabalho porque são “menininhas” de mais. Isto literalmente propõe que o seu modo de se vestir de alguma forma interfere na qualidade do seu trabalho, o que é um pensamento estúpido.