Tumba intacta é descoberta em Assuã

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille | Instagram

Muitos já ouviram falar do Vale dos Reis ou do Vale das Rainhas, mas definitivamente poucos sabem da existência de um sítio arqueológico no Sul do Egito, onde foram sepultados chefes de expedições do Antigo Reino, governadores do Médio Reino e alguns dignatários do Novo Império. Localizado em Elefantina, atual Qubbet El-Hawa, oeste de Assuã, ele abrigou as sepulturas de alguns governantes da área, assim como seus familiares.

Foto: Qubbet el Hawa Project.

Foi lá onde uma missão de arqueologia da Espanha, advinda da Universidade de Jaén, descobriu uma sepultura intacta, onde foi enterrado o irmão de um dos mais importantes governadores da 12ª Dinastia (Médio Reino), Sarenput II [1][2]. Ela se livrou dos saques, das reutilizações [3] e do ataque de insetos comedores de celulose, tão comuns na região.

Foto: Qubbet el Hawa Project.

Essa não é uma descoberta da do nível de Tutankhamon, mas do ponto de vista da arqueologia ela trará informações novas acerca desse período.  Mahmoud Afifi, chefe do Departamento de Antiguidades Egípcias, descreveu a descoberta como “importante” graças a existência do espólio funerário e também porque ela poderá esclarecer mais sobre a vida das pessoas próximas a aquelas que detinham o poder na região [1].

Vídeo de divulgação da descoberta.

No local foram encontradas cerâmica e dois caixões de cedro (um dentro do outro). Neles está escrito o nome do falecido, Shemai. Também estão o da sua mãe e pai: Satethotep e Khema, respectivamente. Este último foi governador de Elefantina sob o reinado de Amenemhat II [1][2].

Foto: Qubbet el Hawa Project.

Alejandro Jiménez-Serrano, chefe da missão espanhola da Universidade de Jaén, disse que uma múmia também foi descoberta, mas ainda está sendo estudada. Ela está coberta com uma cartonagem policromada e colares. Ela também possui ainda a sua máscara mortuária [1]. Um conjunto de modelos de madeira representando barcos funerários e cenas da vida cotidiana também foram encontrados. Este tipo de representação ganhou grande importância durante este período [1].

Foto: Qubbet el Hawa Project.

Sobre esta família de governadores:

De acordo com Jiménez-Serrano, Shemai foi o irmão mais novo de Sarenput II, um dos mais poderosos governadores do Egito sob os reinados de Senusret II (Sesóstris II) e III . Também foi general e responsável por realizar cultos religiosos [1].

 

Tumba de  Sarenput II. Foto: Daniel Csörföly.

Com esta descoberta, ele ainda explica, a missão da Universidade de Jaén em Qubbet El-Hawa acrescenta mais dados a pesquisa dos 14 membros já conhecidos desta família [1]. Ano passado, os egiptólogos exumaram a múmia de Sattjeni, sobrinha de Shema, que foi titulada como “filha, mãe e esposa de governadores”. Foi filha de Sarenput II e também foi governadora, assim como o seu filho, Heqaib III [2]. Vale lembrar que no Egito os cargos eram hereditários.

 

Fontes:

[1] New discovery: Intact tomb uncovered in Aswan. Disponível em < http://english.ahram.org.eg/News/261435.aspx >. Acesso em 22 de março de 2017.

[2] Egiptólogos españoles hallan la tumba intacta del hermano de un gobernador de Elefantina. Disponível em < http://www.abc.es/cultura/abci-egiptologos-espanoles-hallan-tumba-intacta-hermano-gobernador-elefantina-201703221439_noticia.html >. Acesso em 22 de março de 2017.


[3] Reutilizações de tumbas eram comuns ao longo de todo o Período Faraônico.

Câmara intacta por mais de 4.000 anos é aberta no Egito

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille

A equipe da Universidade de Jaén (UJA), que possui uma concessão para trabalhar em escavações de Arqueologia na necrópole de Qubbet el-Hawa,  localizada em Assuã (Sul do Egito), abriu esta semana uma sepultura intacta há mais de 4.000 anos.

No local foi encontrado um sarcófago com os restos mumificados de um governante da cidade de Elefantina, que atuou durante o reinado do Amenemhat III (1818-1773 a. E. C.).

Equipe no momento da abertura da tumba. Disponível em < http://www.lasegunda.com/Noticias/Internacional/2013/06/856562/Abren-una-camara-intacta-de-mas-de-4000-anos-en-necropolis-egipcia >. Acesso em 18 de junho de 2013.

O coordenador da equipe, Alejandro Jiménez Serrano, salientou que existem problemas com a identificação do indivíduo em seu sarcófago, uma vez que no caixão interior ele é identificado como uma mulher, mas no exterior é identificado como sendo do sexo masculino.

Foi salientada a realização de um exame preliminar dos restos e o sexo do indivíduo foi confirmado como sendo de um homem que morreu com cerca de 26 anos. Serrano propôs que o erro se deu pela a possibilidade de que inicialmente o sarcófago interior seria para uma mulher, mas depois foi destinado ao atual dono.

 

Vídeo da abertura da tumba:

 

O fato de o sepulcro ter estado intacto até então é uma ótima notícia, uma vez que este é um acontecimento praticamente raro, visto os mais de duzentos anos de caça predatória de sítios arqueológicos e roubos de tumbas que já ocorriam na antiguidade.

Os ladrões de tumbas que estiveram na necrópole em que se encontra esta sepultura não foram capazes de localizá-la porque sua porta estava obstruída por cascalhos.

 

Fontes:

Abren en Egipto una cámara intacta de más de 4.000 años. Disponível em < http://www.20minutos.es/noticia/1844180/0/egipto/arqueologia/camara/ >. Acesso em 17 de junho de 2013.

Egipto: Arqueólogos españoles hallan un doble sarcógafo en una cámara de 4.000 años. Disponível em < http://actualidad.rt.com/cultura/view/97668-egipto-momia-abrir-camara-intacta >. Acesso em 18 de junho de 2013.

Abren una cámara intacta de más de 4.000 años en necrópolis egípcia. Disponível em <  http://www.lasegunda.com/Noticias/Internacional/2013/06/856562/Abren-una-camara-intacta-de-mas-de-4000-anos-en-necropolis-egipcia >. Acesso em 18 de junho de 2013.