Apesar do adiamento da inauguração, obras do Grande Museu Egípcio não pararam: entenda o caso!

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille | Instagram

Apesar da pandemia causada pela covid-19, as obras para finalizar o Grande Museu Egípcio não pararam. Esperava-se que esse grande edifício fosse oficialmente inaugurado no final desse ano de 2020. Entretanto, por motivos de segurança, a inauguração foi cancelada para o início de 2021. Inclusive o ministro do Turismo e Antiguidades do Egito, Khaled al-Anani, visitou as obras do museu no início de abril, para verificar o andamento do projeto.

Entretanto, por que os trabalhadores do museu não estão em quarentena?

De acordo com o ministro, o número de trabalhadores e especialistas em restauro que atuam no local foi reduzido e outras medidas preventivas foram implementadas visando limitar a propagação do coronavírus. Mais de 1.700 trabalhadores estão atuando no local para concluir cerca de 50% das tarefas diárias. Ainda de acordo com o ministro, os trabalhadores estão efetuando suas funções a distâncias seguras, além de suas temperaturas serem medidas sempre durante a chegada e saída do trabalho. Em soma, segundo o supervisor geral do Grande Museu Egípcio, Atef Moftah, as instalações estão sendo esterilizadas duas vezes por dia e os trabalhadores são obrigados a usar máscaras médicas. 

E em uma tentativa de impedir a propagação do coronavírus, o Egito fechou os sítios arqueológicos para visitação. Essa medida está tendo um enorme impacto no setor turístico, que é extremamente importante para a economia do país. 

Fontes:

Work continues for opening of Grand Egyptian Museum. Disponível em < https://travel.manoramaonline.com/travel/travel-news/2020/04/16/work-continues-opening-grand-egyptian-museum.html >. Acesso em 25 de maio de 2020.

O coronavírus atrasou a inauguração de um dos maiores museus de antiguidades do mundo

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille | Instagram

Há mais de uma década a comunidade de arqueologia, em especial a egípcia e a clássica, tem esperado ansiosamente pela abertura do Grande Museu Egípcio, que já possui o título de o maior museu do mundo dedicado a uma única civilização da antiguidade.  

O museu não está totalmente pronto, mas alguns dos seus laboratórios já estão em funcionamento. Contudo, sua abertura oficial foi cancelada vária vezes e tínhamos a garantia de que ela iria ocorrer agora no final de 2020. Isso, inclusive, foi muito bem salientado pelo arqueólogo Zahi Hawass durante a entrevista que fiz com ele no momento da abertura do museu “Tutankhamon” em Curitiba. 

Entrevistei o arqueólogo Zahi Hawass (Vídeo)

Grande Museu Egípcio. Foto: Getty Imagens

Porém, graças à pandemia da CODVID-19 (coronavírus) a sua inauguração oficial foi mais uma vez cancelada, passado agora para o início de 2021. Atraso necessário, visto que uma das formas de contágio deste vírus é através da aglomeração de pessoas. Uma data ainda não foi definida, uma vez que o governo egípcio está focando em observar alterações no status da pandemia. 

Trabalho de conservação em um dos artefatos da tumba de Tutankhamon. Foto: Getty Imagens
Trabalho de conservação em um dos artefatos da tumba de Tutankhamon. Foto: Getty Imagens

E é uma grata surpresa saber que a arquitetura do museu de antemão já tinha como um dos objetivos justamente evitar aglomerações entre os visitantes. O Dr. Tarek Tawfik, professor associado da Faculdade de Arqueologia da Universidade do Cairo e o primeiro ex-diretor geral do projeto do Grande Museu Egípcio, em declaração para a Forbes, explicou que a amplitude do museu beneficia o distanciamento social. “Obviamente, a higiene é um grande problema”, explicou Tawfik, “mas com esse espaço, teremos um bom fluxo de visitantes e opções como a capacidade de baixar comentários com códigos QR diretamente no seu dispositivo pessoal em vez de usar o equipamento do museu”. Basicamente o visitante só precisará baixar as informações das peças em exibição diretamente em seu celular, sem a necessidade de tocar em botões ou equipamentos da exposição do museu, evitando assim algum tipo de contágio. 

Vista a partir do museu para uma das pirâmides do Platô de Gizé. Foto: Getty Imagens.

O Grande Museu Egípcio tem vista para as pirâmides do Platô de Gizé e dentro dele os visitantes encontrarão restaurantes, lojas, auditório e áreas recreativas, além das exposições de arqueologia, claro. Vários artefatos de grande valor simbólico e histórico foram transferidos para lá, tais como a maioria dos artefatos relacionados ao faraó Tutankhamon (exceto sua máscara mortuária, que será transferida do Museu do Cairo para o Grande Museu durante uma cerimônia solene) e os 30 ataúdes de madeira encontrados na vila de Al-Assasif (próxima da cidade de Luxor).  

(…) mas com esse espaço, teremos um bom fluxo de visitantes e opções como a capacidade de baixar comentários com códigos QR diretamente no seu dispositivo pessoal em vez de usar o equipamento do museu

Certamente em breve teremos mais novidades.  

Fontes:

You Won’t Have To Wait An Eternity To See King Tut At The Grand Egyptian Museum (GEM). Disponível em < https://www.forbes.com/sites/gretchenkelly/2020/04/26/you-wont-have-to-wait-an-eternity-to-see-king-tut-at-the-grand-egyptian-museum-gem/#7a1333367760 >. Acesso em 23 de maio de 2020.

De acordo com jornais, Museu Egípcio do Cairo reabrirá, porém sob rigorosas medidas anti-coronavírus

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille | Instagram

Devido à pandemia da COVID19 (coronavírus), muitos museus ao redor do planeta têm fechado suas portas e disponibilizado passeios virtuais. Um dos países que têm adotado essa medida foi o Egito, que criou passeios virtuais de uma série de sítios e edifícios arqueológicos e atrasou a inauguração do Grande Museu Egípcio. Localizado no platô de Gizé, sua abertura oficial estava prevista para o final desse ano de 2020.

Contudo, uma notícia recente está apontando que o diretor do Museu Egípcio do Cairo teria revelado no último domingo, dia 10 de maio, que museu será reaberto aos visitantes. Porém, aplicando rigorosas medidas contra a COVID19.

The Cairo Egyptian Museum
Museu Egípcio. Foto: Planes and Places (https://flic.kr/p/8dRfKL)

O Museu Egípcio ainda não se pronunciou em suas redes sociais, entretanto, alguns veículos da mídia egípcia têm veiculado o assunto. De acordo com os portais Zawya e o Daily Newss Egypt, por exemplo, parte da famosa coleção do museu será exibida nas quatro salas que outrora abrigavam as 22 múmias reais. Múmias essas que já foram transferidas antes da pandemia para o Museu Nacional da Civilização Egípcia em Fustat.

E é importante mencionar que os visitantes não poderão ver parte dos artefatos arqueológicos que foram retirados da tumba do faraó Tutankhamon. Eles já foram transferidos para o Grande Museu Egípcio.

Rosto de um dos sarcófagos do Faraó Tutankhamon. Foto pertencente ao acervo da National Geographic. Kenneth Garrett. Setembro de 1998.

Vale salientar que o museu têm se preparado para o translado dos artefatos de Tutankhamon há mais de dois anos. Aqui no site noticiei em 2018 que eles já sabiam quais artefatos iriam substituí-lo na exposição e em 2019 o museu passou por reformas importantes.

Também foi acrescentado que atualmente está sendo preparanda uma proposta para registrar o Museu Egípcio como Patrimônio Mundial da UNESCO, uma vez que é um dos mais antigos museus do oriente. Também é salientado que novas placas com explicações sobre as exposições serão feitas visando mostrar os locais e as datas das descobertas dos artefatos arqueológicos que estarão disponíveis para visitação.

Permaneceremos no aguardo de um pronunciamento para imprensa internacional por parte do Ministério das Antiguidades e Turismo do Egito.

Fontes:

Egyptian Museum to re-open visitors under strict anti-coronavirus measures. Disponível em < https://wwww.dailynewssegypt.com/2020/05/10/egyptian-museum-to-re-open-visitors-under-strict-anti-coronavirus-measures/ >. Acesso em 13 de maio de 2020.

Egyptian Museum to re-open visitors under strict anti-coronavirus measures. Disponível em < https://www.zawya.com/mena/en/life/story/Egyptian_Museum_to_reopen_visitors_under_strict_anticoronavirus_measures-SNG_174221588/ >. Acesso em 13 de maio de 2020.

Egito está se preparando para inauguração do maior museu de antiguidades do mundo

Por Márcia Jamille | @MJamille | Instagram

Uma das vistas mais emblemáticas do platô de Gizé, onde está a Grande Pirâmide do Egito, é um edifício onde se encontra aquele que será o maior museu do mundo dedicado a uma única civilização: o Grande Museu Egípcio. 

Foto: Dana Smillie

A ideia da criação do Grande Museu Egípcio surgiu como uma tentativa de se criar um museu modelo e aliviar as várias reservas técnicas espalhadas pelo país, que estavam abarrotadas de artefatos arqueológicos.

Depois de anos de construção e incidentes — como um incêndio ocorrido em 2018 —, o sonho da inauguração oficial está cada vez mais próximo.   

O Ministério do Turismo e Antiguidades do Egito anunciou ontem que foram finalizados mais de 90% do Grande Museu Egípcio e que ele deve ser inaugurado no último trimestre deste ano de 2020 (a expectativa é que seja em novembro).

Foto: Dana Smillie

Vários artefatos de grande valor simbólico e histórico já foram transferidos para o Grande Museu, tais como todos os artefatos relacionados ao faraó Tutankhamon e os “recentemente” descobertos 30 ataúdes de madeira encontrados na vila de Al-Assasif (próxima da cidade de Luxor).

Ele também contará como um museu infantil, um centro de artesanato, um espaço dedicado aos Barcos Solares, dentre outras coisas.

Fonte:

90 percent of GEM work is finished. Disponível em < https://www.egypttoday.com/Article/4/79339/90-percent-of-GEM-work-is-finished >, Acesso em 06 de janeiro de 2020.   

Museu Egípcio do Cairo está passando por reformas importantes

The Cairo Egyptian Museum

Inaugurado em 1902, o Museu Egípcio no Cairo (Egito) contém a mais prestigiosa coleção de artefatos egípcios do país. Por quase doze décadas o museu tem recebido artefatos catalogados em diferentes línguas e de diferentes épocas. Assim, em poucos anos o porão do edifício começou a ficar abarrotado com peças arqueológicas. 

Pequena parte do porão mostrado na série Chasing Mummies: The Amazing Adventures de Zahi Hawass (2010), da The History Channel.

Tesouros arqueológicos no porão do Museu Egípcio no Cairo

Tutankhamon terá notáveis substitutos no Museu Egípcio do Cairo

Para resolver parte do problema, o governo do país deu início a construção do Grande Museu Egípcio, que mesmo ainda não inaugurado oficialmente, já tem recebido vários artefatos provenientes do Museu Egípcio do Cairo. 

Porém, o que será feito do antigo museu? 

Há alguns dias o Ministro das Antiguidades do Egito, Khaled Anany, se reuniu com os diretores que estão participando da reforma do Museu Egípcio do Cairo. Estes diretores são advindos de diferentes museus pelo mundo, são eles: Museu do Louvre, Museu Egípcio de Turim, Museu Egípcio de Berlim, Museu Britânico e Museu Nacional de Antiguidades de Leiden; Também faz parte do grupo o Instituto Francês de Arqueologia Oriental no Cairo .

A reunião teve como intuito discutir a primeira fase de renovação do museu. Isso terá início assim que toda a coleção de artefatos do faraó Tutankhamon for transferida para o Grande Museu Egípcio. Dentre as renovações previstas está a instalação de novos sistemas de iluminação.

Este plano de renovação visa colocar o Museu Egípcio do Cairo na lista de Patrimônios Mundiais da UNESCO. 

Fonte:

Renovation of Egyptian Museum to include installing new lighting, display systems. Disponível em < https://ww.dailynewssegypt.com/2019/07/16/renovation-of-egyptian-museum-to-include-installing-new-lighting-display-systems/ >. Acesso em 20 de agosto de 2019.

Sarcófago de Tutankhamon será restaurado pela primeira vez

Por Márcia Jamille | @MJamille | Instagram

Na década de 1920, quando o arqueólogo inglês Howard Carter entrou na câmara mortuária do faraó Tutankhamon encontrou o rei descansando dentro de três sarcófagos. Todos ricamente decorados com ouro e pedras preciosas: O sarcófago mais interior (1) é feito em ouro maciço e pesa 110,4 KG, o intermediário (2) é de madeira folheada com ouro e incrustações, já o sarcófago externo (3) foi feito com incrustações de marchetaria e ouro. Algo parecido nunca tinha sido visto na arqueologia egípcia.  

Ao terminar os trabalhos de esvaziar a tumba uma questão importante surgiu: o que seria feita da múmia? 

Todos os corpos de reis encontrados em anos anteriores já estavam desprovidos de suas riquezas, jogados em algum canto por algum ladrão de sepulturas e posteriormente resgatados por arqueólogos e levados para o Museu Egípcio do Cairo. 

Mas, Tutankhamon foi um caso diferente, ele estava em uma tumba praticamente intacta, ou seja, da mesma forma que os antigos egípcios tinham o deixado no passado, ele estava quando Carter o encontrou. 

O garoto que “descobriu” a tumba de Tutankhamon: entenda o caso
O mistério das manchas marrons na tumba de Tutankhamon

E talvez para respeitar isto o arqueólogo e o governo egípcio acharam por bem deixar o rei selado em sua sepultura, dentro de um dos sarcófagos. O escolhido foi o sarcófago exterior, que mais uma vez foi fechado até o ano de 1968, quando foi aberto pelo professor Ronald Harrison para realizar um exame de raio-x em Tutankhamon.

Com a abertura do sarcófago em 1968, Tutankhamon, pela segunda vez na era moderna, ficou visivel às pessoas.

O sarcófago e a múmia foram mexidos novamente, mas em 2005, quando foi realizada uma tomografia no corpo, entretanto Tutankhamon não voltou para o sarcófago, passando a ser exposto na tumba dentro de uma vitrine de vidro. 

Agora, 2019, o sarcófago foi movido mais uma vez. Ele foi enviado para o laboratório de restauros do Grande Museu Egípcio, cuja inauguração espera-se que ocorra em 2020. Em uma análise preliminar já foi constatado que o artefato está apresentando rachaduras, por isso algumas medidas estão sendo tomadas para que ele esteja seguro quando for apresentado oficialmente para a mídia local e internacional. Entretanto, o restauro de fato durará cerca de oito meses. 

Foto: Ministério das Antiguidades.

Foto: Ministério das Antiguidades.

Foto: Ministério das Antiguidades.

Fontes:

King Tut’s coffin to be restored for the first time since it was discovered. Disponível em < https://edition.cnn.com/style/article/king-tut-coffin-restoration-scli-intl/index.html >. Acesso em 18 de julho de 2019.

Large coffin of King Tutankhamun under restoration for first time since 1922. Disponível em < http://english.ahram.org.eg/NewsContent/9/40/338149/Heritage/Ancient-Egypt/Large-coffin-of-King-Tutankhamun-under-restoration.aspx >. Acesso em 20 de julho de 2019.

Conheça o novo lar bilionário dos tesouros arqueológicos do Egito

Por Márcia Jamille | @MJamille | Instagram

O turista que visitar por estes dias o Platô de Gizé, lar das três grandes pirâmides do Egito, poderá ver ao longe cerca de 5.000 operários trabalhando 24 horas por dia para terminar o Grande Museu Egípcio (GEM), cuja promessa de inauguração se arrasta por anos. Agora, acredita-se que este grande prédio estará disponível para a visitação em 2020. Quando ele estiver pronto e totalmente funcional se tornará o maior museu do mundo dedicado a uma única civilização.

Foto: Dana Smillie

A ideia da criação do Grande Museu Egípcio surgiu como uma tentativa de se criar um museu modelo e ao mesmo tempo afrouxar o Museu Egípcio, na praça Tahrir, no Cairo, que estava cada vez mais abarrotado de artefatos arqueológicos: muitos dos quais permanecem em seu porão sem um tratamento adequado e a maioria nem mesmo foi estudado. Além disso, o GEM terá um centro de estudos aberto a arqueólogos de todo o mundo, centros de conferências, cinemas, lojas e vários restaurantes.

“Todos os meios de tecnologia moderna foram levados em consideração para tornar isso uma experiência inesquecível para o visitante, mas ao mesmo tempo fornecer o melhor ambiente possível para os artefatos.”, explicou Tarek Tawfik, diretor-geral do museu à CNN.

Foto: Dana Smillie

O Grande Museu Egípcio trata-se de um edifício gigantesco com uma enorme fachada de vidro que apresenta um grande panorama do Platô de Gizé e naturalmente as três pirâmides dos reis e a Grande Esfinge, que ficam a apenas dois quilômetros de distância. Por fotos é possível ver a dimensão do lugar. Esforços não foram poupados para igualar o edifico às antigas obras dos faraós. Ele possui um formato triangular e é forrado por uma parede translucida de calcita. O design é assinado pelo estúdio irlandês Heneghan Peng.

Imagem: Divulgação

“Ter um edifício que se harmonize bem com essas pirâmides e forneça, para a próxima geração de jovens egípcios, um lugar onde eles possam realmente conhecer as raízes da civilização de sua história – isso é algo fantástico”, disse Tawfik.

Imagem: Divulgação

Custando mais de 1 bilhão de dólares, o GEM irá realojar e restaurar algumas das mais preciosas relíquias do país, a exemplo dos tesouros do faraó Tutankhamon, os quais estão recebendo atenção especial. Algumas peças já foram restauradas, a exemplo de uma de suas roupas: uma túnica que jamais tinha sido apresentada ao público. Assim como um dos seus muitos pares de sandálias. Quando este calçado em questão foi entregue a um conservador chamado Mohamed Yousri, não se existia muitas esperanças de recuperação, as solas haviam se desintegrado e os enfeites de contas estavam em frangalhos. Mas, o seu esforço valeu a pena. A sandália está restaurada e pronta para ser exibida ao público.

Foto: Dana Smillie

Só a título de curiosidade: o museu terá 93.000 metros quadrados de espaço de exposição, onde os artefatos de Tutankhamon ocuparão cerca de um terço.

Uma dezena de outros artefatos ao longo dos últimos anos têm recebido atenção dos conservadores do museu, que agora tem o seu espaço como um dos maiores centros de conservação do mundo.

A construção do GEM passou por uma série de altos de baixos. Tendo a sua construção se iniciado em 2010, sua inauguração foi atrasada várias vezes: além de ter assistido a Primavera Árabe em 2011, sofreu com a ausência de verbas para a sua construção. Hoje é a esperança de reviver o turismo no Egito, que decaiu nos últimos anos e só agora começa a se reerguer.

Fonte:

Egypt’s treasures to receive a new $1 billion home. Disponível em < https://edition.cnn.com/style/article/grand-egyptian-museum/index.html >. Acesso em 6 de junho de 2018.
En la pirámide de Tutankamón. Disponível em < http://www.elcorreo.com/culturas/piramide-tutankamon-20180324102115-nt.html?edtn=bizkaia >. Acesso em 2 de junho de 2018.

Restauradores egípcios estão recuperando roupa de Tutankhamon

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille | Instagram

O centro de restauro do Grand Egyptian Museum (GEM; Grande Museu Egípcio) recuperou uma túnica descoberta na tumba do faraó Tutankhamon, que por sua vez foi encontrada em 1922. Esta peça jamais foi mostrada ao público devido ao seu mau estado de conservação.

Osama Abou El-Khier, diretor da seção de restauro do GEM, disse que uma grande revelação foi feita: os pesquisadores descobriram que ela, em verdade, não seria de Tutankhamon, mas que poderia ter pertencido a Akhenaton ou Smenkhara, ambos seus antecessores, e que de alguma forma foi parar entre os pertences do rei.

Esta túnica, dentre tantas coisas, é importante porque, segundo Abu El Kheir, (…) lançará luz sobre a indústria têxtil no antigo Egito, como as antigas peças de roupas estão sendo coletadas para determinar o comprimento e a cor do item histórico da roupa”.

Imagem frontal da máscara mortuária de Tutankhamon. Imagem disponível em MULLER, Hans Wolfgang; THIEM, Esberhard. O ouro dos faraós. (Tradução de Carlos Nougué, Francisco Manhães, Maria Julia Braga, Angela Zarate). 1ªEdição. Barcelona: Editora Folio, 2006. pág. 175.

 

E existe uma história interessante por trás da descoberta desta roupa: Howard Carter, descobridor da tumba do rei, em suas memórias deixou um conselho para os egípcios, pedindo para que no futuro eles a estudasse, uma vez ela seria capaz de fornecer dados acerca da história têxtil do Egito.

O que certamente Carter não imaginou é que a tecnologia de restauros avançaria tanto e que agora essa roupa não só será restaurada, como muito possivelmente será um dia exposta para o público.

Fonte:

GEM to reveal King Tut’s tunic. Disponível em < http://www.egypttoday.com/Article/1/44952/GEM-to-reveal-King-Tut%E2%80%99s-tunic >. Acesso em 20 de março de 2018.