10 coisas sobre Tutancâmon

 

10 coisas  sobre Tutancâmon que você possivelmente ainda não sabe

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille

 

Rosto de um dos ataúdes de Tutankhamon. Fotografia tirada pela a expedição ao Egito realizada pelo o Metropolitan Museum of Art. (Ano desc.)

Tutankhamon (Tutancâmon) reinou durante cerca de uma década durante a XVIII Dinastia (Novo Império). Seu túmulo foi encontrado praticamente intacto em 1922 pelo o arqueólogo inglês Howard Carter e desde então qualquer descoberta relacionada a ele vira um furor na mídia mundial.

Apesar de ser uma das figuras faraônicas mais conhecidas, perdendo somente para a rainha Cleópatra, muitas coisas sobre a sua vida é desconhecida pelo o grande público, mas algumas delas listei abaixo:

1 – Um pequeno menino-rei: a idade que ele subiu aotrono (de nove anos) é uma hipótese em cima de um pequenino par de luvas achado em sua tumba e que foi usado durante a sua coroação. O tipo de ponto usado para a costura deste objeto era desconhecido do mundo contemporâneo até ser reinventado no século XVIII;

2 – Preparado para a guerra: durante o seu reino algumas intervenções militares foram realizadas na Ásia Menor e Núbia e provavelmente o faraó esteve em pelo menos uma batalha, isto se a bibliografia disponível no sepulcro de alguns dos seus funcionários corresponderem a verdade. Na sua tumba além das armas (usadas para treino) foi encontrada uma cama de campanha;

3 – Bichinho de estima: ele tinha dois cães, não se sabe o nome deles nem a raça embora sugestões apontem para o Pharao Hound;

4 – Tutankhamon… Ou Ankhesenamon: já foi sugerido que o manequim que retrata o rosto e o tórax do rei (JE 60722) não seria ele, e sim a sua rainha Ankhesenamon já que a obra lembra alguns traços do período amarna, mas a cor vermelho escuro da pele, tradicionalmente utilizada para identificar pessoas do sexo masculino na arte egípcia, aponta o contrário;

5 – Quem?: os pequeninos sarcófagos que guardavam os órgãos do faraó (ex. JE 60688) estão no nome do seu antecessor Smenkaré. Mas isto talvez não se trate de uma apropriação vil de bens já que o rosto no objeto é diferente dos demais que possuem o nome de Tutankhamon;

(…) provavelmente o faraó esteve em pelo menos uma batalha, isto se a bibliografia disponível no sepulcro de alguns dos seus funcionários corresponderem a verdade.

6 – Roupas de baixo: em um episódio dramático da abertura de sua tumba Lorde Carnarvon acreditou ter visto rolos de papiros em uma caixa, mas que mais tarde foi observado que na verdade eram roupas usadas por baixo das vestes tradicionais do rei, algo como as modernas cuecas;

7 – Jovem engajado: um dos bastonetes encontradas em sua tumba foi feito por ele mesmo. Sabemos disto porque o faraó se vangloriou assinando o artefato com a frase “Um junco que sua majestade cortou com suas próprias mãos”;

8 – Intervalo post mortem: Acredita-se que ele morreu no inverno egípcio porque em seu sarcófago foram postas flores de milho que brotam de março a abril, ainda lembrando que os preparativos da mumificação duram cerca de 70 dias;

9 – Várias casas: antes de morar em seu palácio outrora situado na atual Malkata, Tutankhamon e sua esposa viveram em Menfis, e antes disto um curto período em Akhetaton;

10 – Seu lado favorito para dormir: um dos leitos de Tutankhamon possui marcas de uso. Graças a este fato sabemos que ele preferia dormir do lado esquerdo da cama.

Tutankhamon é retratado batalhando em um dos cofres guardados na sua tumba. Foto: Araldo de Luca. Archivio White Star.

Márcia Jamille

Arqueóloga formada pela UFS com a monografia “Egito Submerso: a Arqueologia Marítima Egípcia” e mestra em Arqueologia também pela UFS com a pesquisa “Arqueologia de Ambientes Aquáticos no Egito: uma proposta de pesquisa das sociedades dos oásis do Período Faraônico”. É administradora do Arqueologia Egípcia e autora do livro "Uma viagem pelo Nilo". [Leia seu perfil]

14 comentários sobre “10 coisas sobre Tutancâmon

  1. Realmente havia coisas que eu não tinha conhecimento sobre Tutankhamon..
    Eu Amo a História do Egito Antigo…e sou fascinada pela Historia desse Faraó…
    O Seu Site está de Parabéns..!!Adorei esse Post!!

  2. Muito legal, gostaria de ir ao Egito mais vezes. Quando fui fiz questão de ver a múmia de Tut, porém, minha paixão maior, é por Ramses II.

    Só uma dúvida, no item 09 tem escrito: “… antes disto um curto período em Akhetaton”, não seria em Amarna?

    • Oi Roberto.

      “Amarna” é o nome árabe para o local onde o sítio arqueológico que compreende a cidade onde reinou Akhenaton fica, mas na época que este faraó governou a cidade chamava-se “Aketaton” (Horizonte de Aton).

      Abraços.

  3. Ola Marcia, amo tudo que falado antigo Egito, sou leiga e adoroooooo quando pessoas como vc traz luz para nosso entendimento, ja li varios livros e assisto sempre que há programação referente ao antigo Egito. Gostaria(até por curiosidade) de saber mais do seu antecessor Ay, ao que parece ele usurpou o trono desse menino, e ainda por cima, obrigou a jovem esposa de Tutancamon a se casar com ele,(matando-aem seguida) Já que o nome dela parou de ser mencionado, depois do casamento. Que triste fim para um Amor tão lindo, como o dela e de Ttancamon, não me esqueço quando li sobre a flor de Lotus que ela colocou sobre o sarcofago de seu amado marido. Obrigada de coração

        • Oi Roberto, tudo bom?

          Não sabemos seguramente que grau de parentesco o Ay tinha com o Tutankhamon, muitos pesquisadores têm tentado criar algum vinculo sanguíneo para buscar uma justificativa para a sua subida ao trono.
          As Dinastias são definidas por momentos políticos, não por famílias.

          Abraços,

          Márcia

  4. Me lembro de ter lido algo sobre a flor de Lotus que Ankhesenamon colocou sobre o sarcofago de seu amado esposo. Este “amor” me lembra os de capa e espada. Essa rainha teria levado com sucesso o plano de se casar com o principe Hitita, se esse homem sem escrupulos (AY) não tivesse mandado mata-lo. O que resta-nos, é a admiração por essa corajosa rainha, e a repulsa por esse tal de AY.

Os comentários estão desativados.