Descoberto novo faraó da 17ª Dinastia

Por Márcia Jamille | @MJamille | Instagram

[Update – 08 de dezembro de 2013]: Desde 2008, uma equipe de Arqueologia, integrada por uma aliança entre franceses e egípcios, está trabalhando no Templo de Ptah, localizado na área norte do Recinto de Amon-Ra, nas proximidades de Luxor.

Durante as pesquisas de Arqueologia, estruturas administrativas datadas da 17ª Dinastia foram encontradas. Elas se constituem por batentes de portas e linteis de calcário onde foram feitas uma descoberta extremamente importante, o nome de um faraó até então parcialmente desconhecido: Senakht-en-Ra.

O nome deste homem era somente conhecido apenas por três documentos escritos um ou dois séculos depois de seu reinado, durante o 18ª e 19ª Dinastias, mas até então nenhuma equipe de Arqueologia tinha descoberto algum artefato contemporâneo ao seu reinado.

Esta descoberta é de suma importância pelo o fato da 17ª Dinastia fazer parte do Segundo Período Intermediário, período de turbulência política onde o governo do Egito estava dividido entre famílias dinásticas, especialmente a tebana e a hicsa, cujo futuro enfrentamento viria a criar as bases do Novo Império.

 

Fonte da notícia:

A pharaoh of the Seventeenth Dynasty identified at Karnak. Disponível em < http://www.cfeetk.cnrs.fr/uk/index.php?page=senakhtenre >. Acesso em 08 de dezembro de 2013.

 

Todos saúdem o novo rei: mais um faraó egípcio descoberto em escavações arqueológicas

Publicado Quinta-feira, 8 de Março de 2012 | Por: Jornal de Arqueologia

Um novo rei foi acrescentado à longa lista de antigos faraós, anunciou esta semana o ministro egípcio de Estado de Antiguidades, Mohamed Ibrahim.

Senakht-en-Re . Imagem disponível em < http://www.foxnews.com/scitech/2012/03/08/all-hail-new-king-new-king-ancient-egypt-discovered/#ixzz1oXtZgo4Q >. Acesso em 9 de Março de 2012

Os arqueólogos, liderados pelo egiptólogo francês Christophe Thiers, do Centre National de la Recherche Scientifique (CNRS), desenterraram um lintel fragmentado e um batente de um porta imponente, durante a escavação de rotina no templo de Ptah.

A descoberta faz acrescentar um novo nome de um faraó da 17ª dinastia, que não era conhecido por egiptólogos e que ajuda a revelar a ordem cronológica dos reis desta dinastia.

Pelas inscrições na porta, este faraó dedicou em Karnak várias construções ao deus Amon-Ra, a principal divindade de Tebas, onde hoje fica Luxor.

Mencionado em apenas três documentos escritos um ou dois séculos após seu reinado,  “Sen Nakht N Ra” é considerado como um dos reis mais obscuros da 17 ª dinastia.

Nenhum objeto ou monumentos jamais foi encontrado com o seu nome, e o seu túmulo ainda está por descobrir.

“Nós não sabíamos nada  deste faraó , até agora estes vestígios são o primeiro documento contemporâneo deste rei do antigo Egito “, disse o responsável pela missão do CNRS.

De acordo com os hieróglifos, “Sen Nakht N Ra” teve a porta monumental construída a partir de blocos de calcário transportados de Tora (o Helwan moderna, ao sul do Cairo).

Naquela época, a cidade estava sob o domínio dos hicsos. Conhecido como os “governantes de países estrangeiros” (provavelmente de raízes asiáticas). Os hicsos dominaram o vale do Nilo por mais de um século durante o Segundo Período Intermediário (1664-1569 aC), sendo depois expulsos por Kamose, o último rei da 17ª dinastia, e pelo seu irmão Amhose, o primeiro rei da 18ª dinastia.

Segundo o ministro de Estado para as Antiguidades, esta é “uma descoberta revolucionária” para a história da 17 ª dinastia. De facto, a sucessão dos reis desta dinastia permanecem ainda incertos.

Fonte: Fox News

Link da notícia < http://jornaldearqueologia.blogspot.com/2012/03/todos-saudem-o-novo-rei-mais-um-farao.html >. Acesso em 9 de Março de 2012.

 

Momento da descoberta do nome do faraó Senakht-en-Re . Imagem disponível em < http://www.foxnews.com/scitech/2012/03/08/all-hail-new-king-new-king-ancient-egypt-discovered/#ixzz1oXtZgo4Q >. Acesso em 9 de Março de 2012

 

Márcia Jamille

Arqueóloga formada pela UFS com a monografia “Egito Submerso: a Arqueologia Marítima Egípcia” e mestra em Arqueologia também pela UFS com a pesquisa “Arqueologia de Ambientes Aquáticos no Egito: uma proposta de pesquisa das sociedades dos oásis do Período Faraônico”. É administradora do Arqueologia Egípcia e autora do livro "Uma viagem pelo Nilo". [Leia seu perfil]

10 comentários sobre “Descoberto novo faraó da 17ª Dinastia

  1. Eu amo arqueologia,pretendo cursar e quero dizer que admiro muito a Márcia Jamille Costa pelo seu esforço e trabalho.

  2. Nossa q Descoberta incrivel Tenhoo soo 14 anos maas sou super apaixonada pela arqueologia

    Um diia ainda vou ser uma grande arqueologa

Os comentários estão desativados.