Quem fiscaliza as pesquisas de Arqueologia no Egito?

Por: Márcia Jamille Costa | @MJamille

 

Arqueologia no Egito, hoje, é realizada sob os auspícios do Ministry of State for Antiquities (MSA), onde entra o Supreme Council of Antiquities (SCA), que antes era somente um conselho vinculado ao Ministério da Cultura.

Auguste Mariette. Disponível em . Acesso em 11 de agosto de 2013.

Auguste Mariette. Disponível em < http://members.bib-arch.org/publication.asp?PubID=BSAO&Volume=7&Issue=1&ArticleID=7 >. Acesso em 11 de agosto de 2013.

Chamado em seus primórdios de Service des Antiquités e fundado em 1858 pelo o arqueólogo francês Auguste Mariette (1821 – 1881), este órgão do governo mudou de nome cinco vezes ao longo da sua existência sendo:

  1. Service des Antiquités criado em 1858
  2. Egyptian Antiquities Organization a partir de 1971
  3. Supreme Council of Antiquities a partir de 1993
  4. Ministry of State for Antiquities em 2011
  5. Supreme Council of Antiquities novamente em 2011, mas dentro do Ministry of State for Antiquities, não mais do Ministério da Cultura.

Embora possua desde o seu início a tarefa de salvaguardar os artefatos egípcios em segurança, este serviço foi um fruto do imperialismo europeu, tendo como seus diretores gerais os franceses até o ano de 1953, quando o primeiro egípcio, o Mostafa Amer, assumiu o cargo.

Com a chegada da Primavera Árabe no Egito em 2011 ocorreu varias nomeações e exonerações no SCA/MSA e atualmente (2013) está ocorrendo por parte do governo provisório uma tentativa de extinção do Ministry of State for Antiquities e a devolução do Supreme Council of Antiquities para o Ministério da Cultura.

Dr. Zahi Hawass. Foto retirada de “Shaking Up the Land of the Pharaohs”. Disponível em Acesso em 04 de Março de 2011.

Dr. Zahi Hawass, um dos últimos diretores gerais do SCA. Foto retirada de “Shaking Up the Land of the Pharaohs”. Disponível em < http://www.archaeology.org/online/features/ hawass/index.html >Acesso em 04 de Março de 2011.

O MSA possui em todo o Egito escritórios regionais, criados para atender a fiscalização de todas as escavações arqueológicas no país. Os fiscais designados para a missão são arqueólogos nativos cujo objetivo é supervisionar o trabalho de campo realizado pelas missões de Arqueologia, as quais em sua maioria são estrangeiras.

Link externo:

Supreme Council of Antiquities (SCA) 

  

Márcia Jamille

Arqueóloga formada pela UFS com a monografia “Egito Submerso: a Arqueologia Marítima Egípcia” e mestra em Arqueologia também pela UFS com a pesquisa “Arqueologia de Ambientes Aquáticos no Egito: uma proposta de pesquisa das sociedades dos oásis do Período Faraônico”. É administradora do Arqueologia Egípcia e autora do livro "Uma viagem pelo Nilo". [Leia seu perfil]