Arqueólogos descobrem “área oculta” em templo do faraó Ramsés II em Abidos

Por Márcia Jamille | @MJamille | Instagram

Atualmente o Egito está se resguardando por conta da pandemia causada pelo Coronavírus, embora algumas escavações arqueológicas continuem ocorrendo no país, com os trabalhadores “em uma distância segura”, de acordo com o Ministério das Antiguidades. Assim sendo, algumas descobertas continuam a ser anunciadas, uma delas foi a realizada por uma missão de arqueologia da Universidade de Nova York [1][2].

Templo de Ramsés II em Abidos. Foto: Ministério das Antiguidades do Egito.

Os arqueólogos da missão encontraram alguns restos de artefatos dentro de depósitos construídos na fundação do templo de Ramsés II (19º Dinastia; Novo Império) em Abidos, a noroeste do templo de seu pai, Seti I. Esses depósitos foram enterrados intencionalmente há mais de 3.000 anos, durante as cerimônias de construção do templo [1][2].

A ideia era justamente que esse espaço ficasse oculto pelo resto da existência do edifício. É importante citar que esta equipe já tinha anunciado a descoberta de um palácio de Ramsés II bem ao lado desse mesmo templo, em março do ano passado [3].

Templo de Ramsés II em Abidos.

Os materiais encontrados incluem ofertas de alimentos, placas com o nome do trono de Ramsés II pintado em azul ou verde, pequenos modelos de ferramentas de construção em cobre, vasos de cerâmica com inscrições hieráticas e pedras de amolar de quartzito em formato oval.

Artefatos encontrados no depósito escondido no templo de Ramsés II.

A missão também descobriu dez grandes armazéns de tijolos de barro anexados ao palácio do templo, originalmente cobertos com tetos abobadados. Esse tipo de estrutura era utilizada como celeiros. Veja um exemplo de como eles são abaixo:

Celeiros da época de Ramsés II. Esses da foto estão no Ramesseum.

Porém, existe mais uma informação importante aqui: As inscrições nos materiais de construção apontam que o templo foi construído durante o período de reinado de Ramsés II, e não do seu pai, como muitos egiptólogos acreditam.

Outras descobertas notáveis foram a de doze cabeças e ossos de touros provenientes de sacrifícios. Eles foram datados como pertencentes ao Período Ptolomaico e estavam dentro de nichos cortados nas paredes dos depósitos. O uso deste templo durante o Período Ptolomaico, ou seja, séculos após a morte de Ramsés II, aponta que o edifício ainda era considerado como um lugar sagrado. É importante mencionar que Abidos, durante a antiguidade, foi considerada a cidade onde o deus Osíris teria sido sepultado.

Veja também:

Fontes:

[1] New discovery of foundation deposits and the storerooms of Ramses II’s temple in Abydos. Disponível em < https://www.egypttoday.com/Article/4/84453/New-discovery-of-foundation-deposits-and-the-storerooms-of-Ramses >. Acesso em 08 de abril de 2020.

[2] Egypt unearths construction material, warehouses of Ramesses II temple. Disponível em < https://africa.cgtn.com/2020/04/08/egypt-unearths-construction-material-warehouses-of-ramesses-ii-temple/ >. Acesso em 08 de abril de 2020.

[3] Ancient Egypt: archaeologists discover hidden palace marked with symbols of ramesses the great. Disponível em < https://www.newsweek.com/ancient-egypt-palace-ramesses-ii-archaeology-1378627 >. Acesso em 19 de abril de 2020.

Quer saber mais sobre esse templo?

The Cenotaph Temple of Ramesses II at Abydos: http://www.touregypt.net/featurestories/ramessesiiabydos.htm

Márcia Jamille

Arqueóloga formada pela UFS com a monografia “Egito Submerso: a Arqueologia Marítima Egípcia” e mestra em Arqueologia também pela UFS com a pesquisa “Arqueologia de Ambientes Aquáticos no Egito: uma proposta de pesquisa das sociedades dos oásis do Período Faraônico”. É administradora do Arqueologia Egípcia e autora do livro "Uma viagem pelo Nilo". [Leia seu perfil]