Hawass fala sobre os artefatos furtados

Tradução: Márcia Jamille Costa | @MJamille

Publicado blog do Dr. Zahi Hawass (no dia 16 ou 17 de fevereiro de 2011, infelizmente as mensagens do site dele não são mais datadas) temos mais um texto com dados dos trabalhos do SCA para averiguar os danos realizados por quaisquer atividades de furtos de antiguidades e a busca pelas peças sumidas do Museu Egípcio. Abaixo a tradução integral, mas caso tenha alguma sugestão para o texto, por favor, escreva para marcia@arqueologiaegipcia.com.br:

 

Atualização sobre o estado atual das antiguidades

Dr. Zahi Hawass, Ministro do Estado para as Antiguidades, anunciou hoje que uma comissão de arqueólogos completou uma busca preliminar no Museu Egípcio e seus arredores. O desaparecido Escaravelho do Coração de Yuya foi encontrado na zona oeste dos jardins do museu perto da livraria nova. Fragmentos de madeira pertencente ao danificado sarcófago do Novo Império, repousado no segundo piso do museu, também foram encontrados nesta mesma área. A equipe de busca também encontrou um dos onze shabts faltosos de Yuya e Tuya debaixo de uma vitrine. Fragmentos pertencentes a estátua de Tutankhamon sendo transportado pela deusa Menkaret foram encontrados; Todos os fragmentos localizados pertencem à figura de Menkaret. A pequena figura do rei não foi encontrada.

Dr. Zahi Hawass disse que ao que parece os saqueadores deixaram cair objetos durante a fuga, e cada centímetro do museu deve ser vasculhado antes do Registro, Gestão de Coleção, e Departamento de Catalogação, que está supervisionando o inventário, pode produzir um relatório final completo do que está faltando exatamente. A equipe do museu não está ainda em condições de deslocar-se livremente dentro do museu, e tem, até agora, que andar em grupos de 10 – 15 pessoas, acompanhados por soldados. Infelizmente, isto tem deixado as buscas lentas, e tornado muito difícil a realização de um inventário final. O exército está permitindo pouquíssimas pessoas entrar no museu, e a primeira vez que o pessoal do escritório do museu foi permitido entrar foi em 6 de Fevereiro de 2011. A lista anunciada em um comunicado a impressa em 12 de Fevereiro, 2011, é preliminar e continuará a ser atualizada a medida que novas informação vêm à luz. Como o Dr. Zahi Hawass declarou anteriormente até que a completa e exaustiva busca no museu e seus arredores esteja completa e todas as vitrines danificadas inventariadas, a lista de objetos desaparecidos não estará finalizada.

Um dos onze shabti ausentes pertencentes a Yuya. Foto: Museu Egípcio do Cairo. Retirado de dr.Hawass. Disponível em < http://www.drhawass.com/blog/update-current-state-antiquities > Acesso em 17 de fevereiro de 2011.

Dr. Zahi Hawass gostaria de esclarecer suas declarações anteriores de que nada estava faltando. Durante a primeira passagem do grupo de busca pelo o museu, objetos que primeiramente pensava-se que estavam faltando foram encontrados jogados dentro de latas de lixo e cantos mais distantes de seu local original, e ele tinha sido levado a acreditar que uma varredura completa do museu poderia ter sucesso em localizar os objetos desaparecidos. Contrabandistas* normalmente seriam cuidadosos para não danificar os objetos que planejam tomar. Assim a impressão inicial era de que os atacantes eram vândalos em vez de ladrões. Ele foi também mal informado por um dos funcionários do museu sobre a estátua de Akhenaton com uma bandeja de oferendas; foi-lhe dito que ela foi somente danificada enquanto, de fato, desaparecida. Em acréscimo para expressar o que ele então firmemente acreditava, que a equipe do museu continuaria** a localizar os objetos desaparecidos. Suas intenções com estas declarações anteriores foram para tranqüilizar o mundo de que o dano no museu, apesar de trágico, foi muito menos terrível do que o temido de início, e para deixar claro que a maioria das maiores obras-primas do museu, incluindo a máscara de outro de Tutankhamon, estavam salvas.

AFP (não, como reportado na impressa egípcia, CNN) veiculou que a famosa máscara de ouro de Tutankhamon foi roubada. Isto é totalmente falso. Semana passada, Dr. Zahi Hawass levou vários representantes da impressa, incluindo ABC World News, NBC, Associated Press, e Reuters, dentre outros, para o Museu Egípcio, Cairo. Todos os repórteres e jornalistas puderam ver, fotografar, e filmar a máscara situada segura em sua galeria que está atrás de um portão de ferro que os ladrões foram incapazes de adentrar. Em acréscimo, os dois sarcófagos de ouro e os itens encontrados por Howard Carte na múmia em 1925, todos os quais estão na mesma galeria, estão bem seguros. Dr. Hawass expressou seu desapontamento com a AFP por anunciar uma história tão sensacionalista sem antes verificar os fatos. As 13h30 de ontem, Dr. Hawass recebeu uma ligação do Sr. Riad Abu Awad, o chefe do escritório da AFP no Egito. Ele negou que sua agência negligenciou a história. No entanto, muitos jornais online parecem ter citado diretamente a AFP (North Korean News, Caribbean News, All Voices, Nvision UG Monitr, Nevada State News). Hoje, Dr. Zahi Hawass levou membros da impressa para o museu para mostrar que a máscara está salva.

No domingo, Dr. Hawass recebeu o relatório preparado pelo comitê que ele tinha enviado para verificar o depósito De Morgan em Dahshur; de acordo com este relatório todos os grandes e pequenos blocos estão salvos. Os únicos itens que faltam parecem ser pequenos amuletos. Arqueólogos no local tinham instalado previamente um portão de ferro e garantiu que vigias guardassem o depósito. Apesar destas precauções, Dr. Hawass anunciou que o depósito foi atacado pela segunda vez segunda-feira à noite, e os ladrões foram capazes de dominar e amarrar os guardas. Dr. Hawass nominou um novo comitê para averiguar o atual estado do depósito.

Um comitê para revisar o depósito de Qantara Oeste no Sinai, também foi nomeado pelo Dr. Hawass. Este depósito sofreu um arrombamento na noite de 28 de Janeiro, 2011; ladrões roubaram caixas cheias de objetos, dos quais, até a data, 298 foram devolvidos***. O comitê conduzirá um inventário completo e comparará com o inventário anterior para determinar se tudo ou não foi devolvido.

Dr. Hawass disse que as notícias mais importantes de hoje foi a que o Escaravelho do Coração e o shabit foram encontrados nas dependências do museu ele tem fé que o comitê que ainda fazem a busca no museu possam localizar mais dos objetos perdidos.

 *Professionals out to steal would (…)” Não entendi o que ele quis passar com a frase, “contrabandistas” parecia fazer sentido.

** “ (…) which was that museum staff would continue (…)”.

*** Não sei julgar se é a mesma história, mas um boato que rondou na época dos protestos era de que tuaregues teriam entregado cerca de 200 artefatos, que segundo dizem teriam sido roubados outrora, ao conselho de antiguidades.

Zahi Hawass. Retirado de: Jean-Claude Aunos Photographe. Disponível em < http://www.jca-photo.com/portraits.html> Acesso em 12 de Fevereiro de 2011.

Márcia Jamille

Arqueóloga formada pela UFS com a monografia “Egito Submerso: a Arqueologia Marítima Egípcia” e mestra em Arqueologia também pela UFS com a pesquisa “Arqueologia de Ambientes Aquáticos no Egito: uma proposta de pesquisa das sociedades dos oásis do Período Faraônico”. É administradora do Arqueologia Egípcia e autora do livro “Uma viagem pelo Nilo”.
[Leia seu perfil]

Um comentário sobre “Hawass fala sobre os artefatos furtados

Os comentários estão desativados.