【Artigo】 A Egiptomania e o caso do Brasão de Campinas

“LABORE VIRTUTE CIVITAS FLORET”: A Egiptomania e o caso do Brasão de Campinas | Gabriela Pratavieira de Oliveira (em português):

Dentre as diversas possibilidades de reapropriação da Antiguidade Oriental está uma das, talvez, mais importantes, curiosas, exóticas e utilizadas: a antiga civilização egípcia. Seus hieróglifos, pirâmides, múmias e muitos outros símbolos são frequentemente reapropriados, reaproveitados por outras sociedades, que lhes atribuem significados diferentes dos originais.

Obtenha o artigo: “LABORE VIRTUTE CIVITAS FLORET”: A Egiptomania e o caso do Brasão de Campinas

P.S: A fênix é um animal mítico grego o qual alguns pesquisadores acreditam ter sido baseado no Benu, um animal semelhante a garça-real, símbolo da imortalidade e da fecundidade.

Márcia Jamille

Arqueóloga formada pela UFS com a monografia “Egito Submerso: a Arqueologia Marítima Egípcia” e mestra em Arqueologia também pela UFS com a pesquisa “Arqueologia de Ambientes Aquáticos no Egito: uma proposta de pesquisa das sociedades dos oásis do Período Faraônico”. É administradora do Arqueologia Egípcia e autora do livro "Uma viagem pelo Nilo". [Leia seu perfil]