Akhenaton e monolatria: um papo sobre este período único no Egito Antigo

Por Márcia Jamille | @MJamille | Instagram

É fácil definir o Período Amarniano, esta época única durante o Novo Império. Ele tem início com o reinado do faraó Amenhotep IV, que mais tarde mudará seu nome para Akhenaton e segue até o reinado do faraó Ay, ou como defende alguns acadêmicos até o de Horemheb.

Estela amarniana. Foto: Kenneth Garrett. Abril de 2001.

Suas principais características é a mudança da capital de Tebas (atual Luxor) para Aketaton (atual Amarna), a arte que sofreu mudanças significativas e a religião, que agora põe em destaque somente um deus, o Aton.

Foi pensando em discutir essa época que o pessoal do Mitografias me convidou para o podcast “Papo Lendário”. Para ouvi-lo é só clicar no play abaixo. E para conhecer o trabalho deles é só acessar o seguinte site: www.mitografias.com.br

Para saber mais: Em meu livro, “Uma viagem pelo Nilo”, dedico um capítulo, “A análise dos talatats de Akhenaton”, para tratar da descoberta dos talatats do templo de Akhenaton em Karnak. Também apresento os principais acontecimentos dessa época em relação a mudança da capital.

 

Márcia Jamille

Arqueóloga formada pela UFS com a monografia “Egito Submerso: a Arqueologia Marítima Egípcia” e mestra em Arqueologia também pela UFS com a pesquisa “Arqueologia de Ambientes Aquáticos no Egito: uma proposta de pesquisa das sociedades dos oásis do Período Faraônico”. É administradora do Arqueologia Egípcia e autora do livro "Uma viagem pelo Nilo". [Leia seu perfil]