Escaravelhos carnívoros no Egito Antigo? Entenda!

Por Márcia Jamille | @MJamille | Instagram

Quando o filme “A Múmia” (1999) estreou arrecadou milhares de fãs ao redor do mundo e junto com a fama veio alguns estereótipos: foi graças a esta obra de aventura que muitos dos amantes da antiga cultura egípcia vieram a se familiarizar com a imagem dos escaravelhos sagrados que, apesar de pequenos, eram extremamente mortais: em todos os seus momentos de tela eles aparecem devorando carne humana viva.

Entretanto, este animal jamais existiu!

Escaravelho sagrado egípcio.

Existem várias espécies de escaravelhos, com diferentes colorações e formatos. E algumas de fato comem carne humana, mas somente em decomposição. No caso do Egito além de ser insetos inofensivos, possuíam um papel extremamente importante, sendo considerados uma das imagens de uma importante divindade criadora, o Khepri.

Neste vídeo explico melhor sobre os escaravelhos sagrados, suas múmias — sim, foram encontradas múmias de escaravelhos — e como você pode estudá-los:

Sarcófagos e múmias de escaravelhos. Foto: Ministério das Antiguidades do Egito

Khepri era tido como a manifestação do sol nascente, ou seja, ele era uma divindade solar e uma das formas do deus Rá. Para variar, os antigos egípcios achavam que não existiam fêmeas entre os escaravelhos e que eles nasciam “do nada” de dentro das bolas de estrume que eles carregam de um lado para o outro. Este seria um dos motivos para os egípcios adotar Khepri como um deus criador.  

Escaravelho com uma bola de estrume.

Deus Khepri.

Fontes:

DAVID, Rosalie. Religião e Magia no Antigo Egito (Tradução de Angela Machado). Rio de Janeiro: Difel, 2011.

IKRAM, Salima. Divine Creatures: Animal Mummies in Ancient Egypt. Cairo: The American University in Cairo, 2005.

SHAFER, Byron. Sociedade, moralidade e práticas religiosas (Tradução de Luis Krausz). São Paulo: Nova Alexandria, 2002.

Ancient Egyptian tombs yield rare find of mummified scarab beetles. < https://www.reuters.com/article/us-egypt-archaeology-discovery/ancient-egyptian-tombs-yield-rare-find-of-mummified-scarab-beetles-idUSKCN1NF0KY >. Acesso em 10 de novembro de 2018.

Os pequenos e simpáticos escaravelhos

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille

Tenho uma pequena história de amor com os escaravelhos, alguns são pequeninos e adoráveis, só não os tenho em casa porque seria uma perversidade digna de comparação com a criação de hamsters em gaiolas. O desenho do corpo deles é perfeito e existem milhares de espécies e elas possuem algo em comum: são coprófagas, ou seja, comem fezes (esqueçam as estórias de escaravelhos que comem pessoas vivas).

Os escaravelhos eram identificados pelos egípcios como o deus solar Khepri (Khepra), o senhor do sol nascente e do renascimento de Rá. Cultuado em Heliópolis, a sua relação com o nascer e pôr do sol vem de uma visível analogia a um ato comum na natureza: a prática do escaravelho de fazer bolas de excremento e empurrar estas por longas distâncias. Plutarco cita isto em sua obra “Ísis e Osíris”:

(…) a raça dos escaravelhos não tem fêmea [1], são todos machos. Eles ejetam seus espermas em uma pelota redonda de material que eles saem rolando usando suas patas traseiras, do mesmo modo que o sol aparenta girar nos céus na direção oposta ao seu próprio curso, a qual é do leste para o oeste. (Plutarco; Ísis e Osíris)

A questão do “renascer” é também devido ao fato de que neste excremento é onde são postos os ovos do escaravelho, então tempos depois de enterrar o esterco filhotes deste animal apareciam. Os egípcios antigos acreditavam que este acontecimento era fruto de alguma capacidade misteriosa destes animais de nascerem do “nada”. Daí é retirada mais uma assimilação do escaravelho com Khepri, uma das formas de Atum, um deus demiurgo, ou seja, que surgiu do nada. Outra ligação estabelecida com o sol está em sua viagem realizada enquanto empurra a bola de excremento, associada com a jornada do sol no céu.

Khepri alado. Imagem disponível em: http://ancienthistory.about.com/od/egypt/ig/Ancient-Egypt/Khepri-Scarab.htm

 

Num (representado na forma de um homem) ergue a barca solar com Khepri. Imagem disponível em: http://en.wikipedia.org/wiki/Egyptian_mythology#mediaviewer/File:Nun_Raises_the_Sun.jpg