Novas descobertas arqueológicas em antigos naufrágios egípcios

Por Márcia Jamille | @MJamille | Instagram

O ano de 2017 terminou com o anúncio da descoberta de antigos naufrágios egípcios. E nesses naufrágios foram encontrados alguns artefatos interessantes: um deles foi uma cabeça de cristal que provavelmente retrata o general Marco Antônio, amante da rainha Cleópatra VII.

Cabeça de estátua encontrada em Thonis–Heracleion. Foto: Franck Goddio.

O amuleto da deusa Ísis: conheça o Tyet!

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille Instagram

Os egípcios antigos eram extremamente religiosos e devotos aos seus deuses, mas poucos eram os que tinham acesso aos principais templos do país. Desta forma, para tentar minimizar este afastamento, amuletos eram adotados para trazer algum tipo de amparo. Um dos mais populares era o Tyet, conhecido popularmente como “Nó de Ísis”.

Tyet, Knot of Isis amulets

Aqui no Arqueologia Egípcia existe um post que faz um apanhado geral sobre o uso de amuletos pelos antigos egípcios, é o texto Amuletos egípcios: significados dos símbolos e os seus usos”.  E abaixo está um vídeo falando exclusivamente do amuleto Tyet, cuja origem é um verdadeiro mistério. Alguns pesquisadores sugerem que o “nó” seja nada mais, nada menos que um pano usado para conter a menstruação (por isso da cor avermelhada dele). Assista ao vídeo para aprender melhor sobre o assunto:

Quer se inscrever no canal e saber quando temos vídeo novo? Clique aqui!

Mãe de Tutankhamon é tema de documentário

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille | Instagram

Recentemente foi anunciada a estreia de um documentário que falará sobre a mãe do faraó Tutankhamon e a nova reconstituição facial feita para ela. Será um especial dividido em duas partes para o programa Expedition Unknown, da Travel Channel. Ainda não existe uma data prevista para o Brasil.

No Egito foram descobertos alguns esconderijos onde estavam múmias da realeza. O mais famoso é o de Deir el-Bahari, o qual já foi comentado aqui no Arqueologia Egípcia. Já um dos menos conhecidos  é o que foi descoberto em 1898, na KV-35. Neste foi encontrada a múmia da mulher cujo exames genéticos apontam como sendo a mãe de Tutankhamon. É ela um dos focos do documentário:

Clique aqui, inscreva-se no canal e ative o sino para receber as notificações de novos vídeos.

Os deuses do Egito Antigo: o que você precisa saber!

Por Márcia Jamille | Instagram @MJamille

Após uma longa espera finalmente os leitores e seguidores do site Arqueologia Egípcia podem assistir ao primeiro episodio (ou melhor: episódio piloto) da nossa série “Deuses do Egito Antigo“.

Neste capítulo é feito um apanhado bem geral sobre as divindades desta icônica civilização. É basicamente uma prévia para preparar vocês para a nossa primeira série oficial:

Espaço vazio dentro da Grande Pirâmide do Egito: Entenda!

Por Márcia Jamille | Instagram @MJamille

Em novembro, a revista científica Nature publicou uma notícia anunciando a descoberta de “espaços vazios” dentro da pirâmide do faraó Khufu (Quéops), a maior do Platô de Gizé.

Aqui no Arqueologia Egípcia possuímos um dossiê sobre o assunto, mas você pode encontrar comentários em vídeo também no nosso canal. Nele falo um pouco sobre esta pesquisa e a controvérsia em que ela está envolvida:

E caso tenha curiosidade de conhecer um pouco mais sobre a arquitetura egípcia acesse o nosso vídeo sobre o assunto: Arquitetura egípcia | Pirâmides, moradias e o Vale dos Reis.

Tenha em casa: A Edições Del Prado, uma editora especializada em vendas de fascículos com imagens colecionáveis, possui uma coleção intitulada “Cenas do Egito Antigo”. Uma delas é a construção das pirâmides.

Clique aqui para conferir a peça ou aqui para ver as demais cenas.

Espíritos malignos no Egito Antigo

O tema do novo vídeo do Arqueologia Egípcia, “Espíritos malignos no Egito Antigo”, foi escolhido com muito cuidado graças a pouca bibliografia disponível sobre ele. Exatamente por isto que é bem provável que no futuro seja necessário gravar um material atualizado sobre este assunto.

Book of the dead for kenna (RMO Leiden)

Ainda assim, espero que vocês possam curtir o tema e conhecer um pouco mais sobre esta faceta pouco discutida dos antigos egípcios, que era o medo de entidades errantes:

Caso queira conhecer o canal é só clicar aqui e caso queira apoiar a produção de vídeos é só clicar aqui.

Maquetes antigas: Exemplos do Egito Antigo

Por Márcia Jamille | @MJamille | Instagram

Sítios arqueológicos às vezes podem proporcionar grandes surpresas. Foi o que ocorreu no Egito em 1920, quando ao final de uma tarde de trabalhos do Museu Metropolitano de Arte de Nova York em uma tumba de Deir el-Bahari, a TT280 (pertencente a um homem chamado Meketra), uma descoberta inusitada foi feita: uma câmara oculta com várias maquetes representando cenas da vida cotidiana no Egito estava escondida atrás de uma parede.

1-7 Egypt Transformed at Met
Eram imagens retratando embarcações e seus tripulantes, casas de abate, casas de tecelagens, jardins, etc. Nas palavras do próprio arqueólogo responsável pela missão, o Hebert Winlock, era “uma infinidade de figuras de homenzinhos brilhantemente pintados que faziam isso e aquilo”. Conto um pouco sobre a história da sua descoberta no vídeo “Maquetes da época do Egito Antigo: A tumba de Meketra” daqui do Arqueologia Egípcia. Nele vocês conhecerão as circunstancias da descoberta, danos presentes nas peças e algumas curiosidades:

Frescor milenar:

Uma das coisas que mais chama a atenção nestes objetos é a sua incrível conservação, como vocês poderão conferir nas imagens a seguir:

Cattle of Meketre

Model figures of Meketre

Funeral boat sailing Dynasty 12 early reign of Amenemhat I tomb of Meketre 1981-1975 BCE (1)

Funerary Boat being Rowed

Ancient Egyptian model figures

Driving cattle

Metropolitan Museum of Art, New York, Egyptian collection

Metropolitan Museum of Art, New York, Egyptian collection

Metropolitan Museum of Art, New York, Egyptian collection

Não se sabe qual o sentido destes artefatos. Alguns pesquisadores sugerem que tenha alguma aspiração religiosa, como uma tentativa de transmitir o que foi representado nas maquetes para o além-vida do Meketra. Já outros acham que era somente fruto de alguma coleção e que Meketra queria levar consigo.

Fonte integral deste post:

DERSIN, Denise. A história cotidiana às margens do Nilo (Tradução de Francisco Manhães, Marcelo Neves, Carlos Nougué, Michael Teixeira).  1ª Edição. Barcelona: Folio, 2007.