O Coração e a Eternidade

O Coração e a Eternidade: o símbolo tema do Arqueologia Egípcia

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille

Para quem está acompanhado o Arqueologia Egípcia desde a sua criação já deve ter percebido que um símbolo bem incomum prevaleceu no site a partir do tema de 2009. Com sua forma ovulada e uma ave pintada ao centro logo começou a chamar a atenção:

 

 

 

Pertencente aos artefatos da tumba de Tutankhamon, este objeto representa um coração com o tema votivo ao Benu (Bennu).

O nome benu vem do verbo egípcio “brilhar” e na mitologia ele remete aos tempos da criação, tendo o seu grito quebrado o silêncio do início dos tempos, assim como também ao renascimento, o que lhe garantiu comparações com a Fenix, embora o mito do primeiro não possa ser relacionado com a criação do mito da segunda.

Em muitos casos ele é ligado aos deuses e Atum (como também ao ba de Osíris), criando então uma associação com o Sol.

Esta ave é uma das formas utilizadas pelo o falecido para sair de sua tumba, como explica o trecho a seguir do “Livro dos Mortos”:

 

entrei como falcão, mas sai como Benu.

 

No primeiro tema do site escolhi o papiro de Ani, mas agora acredito que o coração (onde os egípcios acreditavam que estaria o centro de todas as suas emoções e ações) e o Benu (símbolo do renascimento e eternidade) podem dar uma idéia melhor do sentimento dos egípcios quanto ao motivo de todas as coisas que construíram e para que fim.

Veja também: Benu, 30/01/2010 <http://www.touregypt.net/featurestories/benu.htm>
Fonte para a imagem: 30/01/2010 <http://www.flickr.com/photos/11787607@N02/3596040207/>

 

 

Márcia Jamille

Arqueóloga formada pela UFS com a monografia “Egito Submerso: a Arqueologia Marítima Egípcia” e mestra em Arqueologia também pela UFS com a pesquisa “Arqueologia de Ambientes Aquáticos no Egito: uma proposta de pesquisa das sociedades dos oásis do Período Faraônico”. É administradora do Arqueologia Egípcia e autora do livro "Uma viagem pelo Nilo". [Leia seu perfil]