(Imagem) Estátua de Pepi I

 

 

Estátua de Pepi I. Foto: Kenneth Garrett.

A VI Dinastia (Antigo Império) é conhecida por ter testemunhado o início do declínio do poder dos faraós. Esta estátua de cobre do faraó Pepi I é um dos legados desta época, os olhos feitos de calcário e obsidiana se destacam dentre o metal corroído dando um curto vislumbre do seu passado. Embora hoje Pepi I seja apontado como uma das vítimas do crescimento do poder dos nomarcas (administradores regionais) o seu governo é marcado também pela a expansão do território egípcio.

Após o reinado do seu filho Pepi II o Egito entra no que hoje denominamos de Primeiro Período Intermediário, uma fase de queda do poder central onde o governo é feito paralelamente por várias dinastias em locais distintos do país.

Márcia Jamille

Arqueóloga formada pela UFS com a monografia “Egito Submerso: a Arqueologia Marítima Egípcia” e mestra em Arqueologia também pela UFS com a pesquisa “Arqueologia de Ambientes Aquáticos no Egito: uma proposta de pesquisa das sociedades dos oásis do Período Faraônico”. É administradora do Arqueologia Egípcia e autora do livro "Uma viagem pelo Nilo". [Leia seu perfil]