(Comentários) Revista Mistérios dos deuses egípcios

Márcia Jamille | @MJamille | Instagram

Criando expectativas, a coleção “Mistérios dos deuses egípcios” começou no Brasil de forma tímida, estando disponível para a venda em poucas cidades. E eu fui um dos muitos interessados que ficaram sem a possibilidade de poder comprar. Sem uma perspectiva segura de um dia ver a coleção na cidade em que moro naturalmente então procurei a segunda possibilidade óbvia, que é saber se a coleção poderia ser comercializada online. Entrei desta forma em contato com a editora Salvat e eis a resposta padrão que recebi (e que já publiquei anteriormente aqui no site):

Bom dia Márcia,
Informamos que os lançamentos são feitos por fase, pedimos aguardar o lançamento na sua cidade.
Nossas coleções são vendidas em bancas de jornais e livrarias.
Agradecemos o seu interesse.
Atenciosamente,

Não era exatamente a resposta que eu esperava, especialmente após o que veio a ocorrer nas semanas seguintes: a distribuição, que antes atendia parte do país, passou a se restringir ao eixo Rio de Janeiro e São Paulo (status que agora mudou, já que atualmente ela está sendo distribuída para todos os estados). Contudo, o João Carlos Moreno do site Arqueologia e Pré-História se dispôs a comprar as revistas para mim. Recebi dele em tempo os volumes 1, 2 e 3.

Visualizei na primeira revista algumas questões problemáticas (e que comentarei em um futuro post), claro que as coisas podem ter mudado. Contudo, neste breve texto, quero me ater a comentar as miniaturas em um contexto geral:

(1) São pequenas: tão pequenas (medem entre 12 e 13 cm) que começamos a pensar se realmente vale a pena pagar cerca de R$30,00 por uma delas. Como citei no meu vídeo que disponibilizei no Youtube, com menos que esse valor posso comprar uma bonita estatueta consideravelmente bem maior e se incluir mais R$15,00 é possível adquirir no bairro Liberdade (SP) uma boa imagem da deusa Bastet com um pouco mais que 30 centímetros.

(2) Acabamento deficiente: Esta está sendo uma crítica corrente. As imagens são pintadas a mão (o que até justificaria o valor para os colecionadores), mas li alguns comentários no perfil da própria coleção apontando que a pintura de algumas peças estavam chegando borradas e com erros.

O valor é o tópico mais problemático: é um pouco dispendioso adquirir as imagens por este preço e qualidade, muito menos a revista cuja uma das poucas coisas boas é a apresentação de termos que usualmente não aparecem em revistas vulgares o que, acredito, acordaria a curiosidade de algumas pessoas. O valor inicial de R$5,90 naturalmente estava ótimo, o segundo valor de R$14,90 estava aceitável, mas quando passou para R$29,90 começou a ficar intolerável. São R$29,90 a cada quinze dias e a previsão é que sejam oitenta e oito revistas com este valor. Quando olhamos no final o leitor mais dedicado gastará cerca e R$2640,00. Com este dinheiro ele poderia ter comprado ao menos nove livros bons de Egiptologia (que usualmente custam entre 100 e 300 reais) e estatuetas com um ótimo acabamento.

Dito isto, como minha palavra final só posso dizer que não vale a pena seguir a coleção até o final, a não ser que queira adquirir miniaturas de deuses que usualmente não estão no mercado tais como Seth, Taweret ou Kheper. Tirando isto, não recomento a compra de forma alguma.

Márcia Jamille

Arqueóloga formada pela UFS com a monografia “Egito Submerso: a Arqueologia Marítima Egípcia” e mestra em Arqueologia também pela UFS com a pesquisa “Arqueologia de Ambientes Aquáticos no Egito: uma proposta de pesquisa das sociedades dos oásis do Período Faraônico”. É administradora do Arqueologia Egípcia e autora do livro "Uma viagem pelo Nilo". [Leia seu perfil]

2 comentários sobre “(Comentários) Revista Mistérios dos deuses egípcios

  1. Eu vou seguir exatamente essa linha: vou comprar os deuses mais raros de se encontrar. E só farei isso por ser historiadora de profissão e precisar desse tipo de material didático que infelizmente não encontro com facilidade em Recife. Sinto muita dificuldade em encontrar objetos que remetam a antiguidade então me apego ao que aparece mesmo que seja deficiente.

  2. Apenas um palpite; moro em Campo Grande/MS, aqui dificilmente vem esses tipos de coleção, em uma coleção anterior, adquiri através do mercado livre uma peça do vendedor CBS (Colecionadores da Baixada Santista) hoje estou em minha terceira coleção, Instrumentos Salvat e Mistérios dos Deuses Egípcios, eles sempre me enviam sem nunca terem falhado, para economizar no frete, eles enviam de 5 em 5 peças; deixo claro que nem conheço o vendedor mas a postura comercial deles é corretíssima, caso tenham interesse me enviem seu e mail que mando o endereço; como disse foi a alternativa que encontrei para poder colecionar coisas que aqui onde moro não chegam

Os comentários estão desativados.