(Vídeo) Visitando o Museu Egípcio Itinerante (SE)

Por Márcia Jamille | Instagram | @MJamille

Na segunda-feira passada visitei o Museu Egípcio Itinerante e gravei algumas imagens para vocês. Diverti-me muito lá, caminhando com as câmeras e comentando o que via. Foi realmente uma experiência ótima que vocês poderão acompanhar no vídeo que gravamos para o Arqueologia Egípcia.

Muita gente não gosta, mas eu sinceramente não tenho problemas com exposições compostas por réplicas, desde que haja uma experiência sensorial, um contexto e um propósito educativo. Para quem não sabe é muito raro o público não acadêmico poder tocar em artefatos arqueológicos, isto porque muitos objetos originais podem ser frágeis e a gordura dos dedos aceleram a degradação destas peças. Com o uso de réplicas o público pode — se autorizado — se permitir a tocar, interagir, o que é bem legal, porque realmente pode ocorrer um diálogo com o objeto e não um afastamento não só tátil, como também visual.

Eu não estava muito empolgada para conhecer o interior da exposição, mas fiz uma visita preliminar ao espaço de vendas e fui muito bem recebida pela funcionária da área dos souvenires, que foi extremamente atenciosa, o que me convenceu a retornar para gravar algumas imagens.

No vídeo abaixo vocês poderão acompanhar um pouco como foi a minha visita:

Youtube | Facebook | Instagram Twitter

Não esqueçam de inscreverem-se no canal.

Contudo, nem tudo é perfeito e a exposição tem sim seus defeitos. Abaixo os pontos que merecem destaque:

As informações das peças em papeis: o que dá um ar de desleixo. Ainda não entendo porque tantos museus, itinerantes ou não, insistem em usar um pedaço de papel para por as legendas dos objetos expostos.

A exposição não é tão educativa: Não vi muitos problemas na ausência de monitores dentro a exposição. Eu até gosto, me sinto mais livre para explorar tudo da minha forma, contudo eu ainda acho a presença de alguém para tirar dúvidas e contar curiosidades bem necessária. É capaz de que as pessoas saiam com mais dúvidas do que quando chegaram. Algumas informações escritas também não ajudavam muito.

Fora que alguns objetos expostos são frutos da Egiptomania — ou seja, não são réplicas de artefatos existentes, são uma nova roupagem dada a eles —, e seria uma oportunidade ótima para o público se inteirar e deixar para trás os muitos estereótipos associados com a civilização egípcia.

Detalhes sobre a exposição em Aracaju-SE:

Local: Shopping Riomar
Entrada: R$10,00
Horários: De 10h00 até 22h00 (de acordo com o funcionamento do shopping).
A exposição irá até 19 de julho.
Grupos escolares devem ser agendados.
Site do Museu Egípcio Itinerante: www.museuegipcio.com.br

Informações e agendamento: (79 ) 8121.4334 | 9906.2206 | 9118.6301  | 8886.3587

Márcia Jamille

Arqueóloga formada pela UFS com a monografia “Egito Submerso: a Arqueologia Marítima Egípcia” e mestra em Arqueologia também pela UFS com a pesquisa “Arqueologia de Ambientes Aquáticos no Egito: uma proposta de pesquisa das sociedades dos oásis do Período Faraônico”. É administradora do Arqueologia Egípcia e autora do livro "Uma viagem pelo Nilo". [Leia seu perfil]