Jogos: Egito Antigo será cenário do próximo Assassin’s Creed

Por Márcia Jamille | @MJamille | Instagram

Notícia enviada por Tiago, via Twitter.

Fãs de games e Egito Antigo podem comemorar agora! A franquia Assassin’s Creed anunciou na tarde de ontem que o Assassin’s Creed: Origins, que se passará na antiguidade egípcia, já tem data de lançamento. A novidade foi apresentada durante a conferência da Microsoft na E3 2017.

O trailer e o gameplay nos apresentam um Egito bem no final da era dos faraós ou além. Ainda não está claro se é Período Ptolomaico ou Romano. O protagonista é advindo do oásis de Siwa (o mais periférico do território egípcio tanto na atualidade como no passado) e ele passará por alguns lugares notáveis do Egito tais como as pirâmides de Gizé e Alexandria.

De acordo com o material promocional lançado até agora, aqui somos apresentados ao início da irmandade, o que será interessante do ponto de vista ficcional, uma vez que o surgimento da verdadeira Ordem de Assassinos é datado do século XI.

O gráfico está incrível, como era de se esperar. Existem alguns complementos de fantasia e não estou falando da presença de monstros, mas no retrato da arquitetura e roupas. Contudo, não está exagerado (na arquitetura, por exemplo, eles fizeram uma série de complementos interessantes aos edifícios originais). Deu para perceber que ocorreu uma preocupação em fazer modificações, mas bebendo muito do Egito Antigo; ao menos bem mais que muitas produções Hollywoodanas.

— Veja também: Arquitetura egípcia | Pirâmides, moradias e o Vale dos Reis 

Assassin’s Creed é uma franquia de sucesso que originou até o momento uma série com nove jogos já lançados, um conjunto secundário com onze títulos e várias transmidias (inclusive um filme).

— Saiba mais: Quando a História inspira a literatura, o teatro e os games

O lançamento de Assassin’s Creed: Origins só ocorrerá em 27 de outubro (2017). Porém, até lá vamos juntando nossas moedinhas porque, ao que parece, este jogo valerá muito a pena.

Márcia Jamille

Arqueóloga formada pela UFS com a monografia “Egito Submerso: a Arqueologia Marítima Egípcia” e mestra em Arqueologia também pela UFS com a pesquisa “Arqueologia de Ambientes Aquáticos no Egito: uma proposta de pesquisa das sociedades dos oásis do Período Faraônico”. É administradora do Arqueologia Egípcia e autora do livro "Uma viagem pelo Nilo". [Leia seu perfil]