(Palestras) História da Arqueologia egípcia e múmias (BA)

Texto via Assessoria de Comunicação da UFOB

Nos dias 5, 6 e 8 de julho, a UFOB de Barreiras realizará o “Ciclo de Estudos sobre o Antigo Egito: perspectivas para a Arqueologia“, ministrado pela egiptóloga Márcia Jamille Nascimento Costa, autora do site Arqueologia Egípcia e pesquisadora do Laboratório de Arqueologia de Ambientes Aquáticos da Universidade Federal de Sergipe.

O evento é promovido pelo Núcleo Docente de História do Centro das Humanidades e vai abordar a atividade arqueológica sob a perspectiva do estudo da Arqueologia Egípcia partindo do século XVIII até os dias atuais.

Desde os seus primórdios, a Arqueologia tem sido confundida com uma atividade de aventura, impulsionada pelo fascínio de escavar templos antigos em busca de ‘tesouros’ milenares. Porém, esta é uma disciplina que atualmente passa por importantes mudanças no cenário internacional”, destaca a egiptóloga Márcia Jamille.

Entre as apresentações, destacam-se temas como a Arqueologia Egípcia ao longo dos séculos e as perspectivas para o futuro, a participação histórica das mulheres egípcias durante a Antiguidade faraônica e as múmias como evidências bioculturais.

Foto via.

O Ciclo de Estudos será realizado no Auditório do Pavilhão de Aulas II, no campus Reitor Edgard Santos, a partir das 19h30. Os interessados devem se inscrever somente no local, uma hora antes do início das atividades.

Datas de cada atividade:

05/07/2016 – Palestra – A Arqueologia Egípcia ao longo dos séculos e as perspectivas para o futuro.

06/07/2016Aula aberta com a turma de História Antiga – Gênero Invisível? Como a Arqueologia tem minimizado a participação histórica das mulheres egípcias durante a Antiguidade faraônica. Moderação do Prof. Bruno Casseb Pessoti.

08/07/2016Palestra – As múmias no Antigo Egito: do antiquarismo à Arqueologia Funerária.

Para mais informações escreva para arqueologia.ufob@gmail.com ou acesse www.facebook.com/arqueologiadooestedabahia/.

Organização: Núcleo Docente de História, Centro das Humanidades, UFOB.

(Capítulo de livro) Como a Arqueologia tem minimizado o papel das mulheres egípcias que viveram na Antiguidade faraônica

Gênero Invisível? Como a Arqueologia tem minimizado a participação histórica das mulheres egípcias durante a Antiguidade faraônica | Márcia Jamille N. C.

A Arqueologia ao longo dos anos tem sido utilizada para justificar relações de poder, minimizando a participação social de grupos subalternos e privilegiando artefatos dos segmentos dominantes da sociedade, a exemplos dos homens egípcios, beneficiados pela hierarquia de gênero característica da antiguidade faraônica, mas o que não justifica atualmente as mulheres egípcias serem estudadas desprovidas de uma identidade, sendo relacionadas usualmente com a existência de seus maridos ou pais. Desta forma, é de interesse deste artigo pontuar como a Arqueologia egípcia tem minimizado a participação tanto das grandes líderes egípcias como das mulheres comuns da história do Egito se utilizando de conceitos androcêntricos e a necessidade de que este quadro seja mudado.

Obtenha o capítulo Gênero Invisível? Como a Arqueologia tem minimizado a participação histórica das mulheres egípcias durante a Antiguidade faraônica.