Peça arqueológica com mais de 3000 anos foi pregada na parede para “evitar roubos”?

Por Márcia Jamille | @MJamille | Instagram

Esta imagem está se espalhando timidamente pela internet, mas tem despertado a ira e descrença por parte de algumas pessoas. Não se sabe ao certo, mas as primeiras informações apontam que estas fotos mostram uma estátua do tempo dos faraós que está em exposição no Museu Nacional de Sohag, Egito. Inaugurado ano passado, como vocês podem conferir em um post do nosso site.

Ainda de acordo com estas informações a atual gestão do museu, para evitar roubos, usou um método nada convencional: pregou a peça arqueológica na parede. Um dos procedimentos corretos seria colocá-la em uma base e de forma alguma interferir em sua integridade.

A imagem retrata o rosto de um faraó e que de acordo com a fonte entrou no acervo do museu há cerca de cinco meses.

Mas, existe a possibilidade desta fotografia não retratar a realidade, em especial em um mundo onde cada vez mais as pessoas se sentem confortáveis em fabricar notícias falsas, ignorando as consequências legais.

Estarei no aguardo de mais informações.

Fonte:

لمنع السرقة ..” خبورين” في رأس تمثال آثري !!. Disponível em < http://www.wataninet.com/ >. Acesso em 12 de janeiro de 2018.

Tutankhamon terá notáveis substitutos no Museu Egípcio do Cairo

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille | Instagram

Os artefatos retirados da tumba do faraó Tutankhamon são singulares e têm servido para mostrar a grandiosidade do Egito. Desde a sua descoberta, há quase 100 anos, os artefatos de Tutankhamon (18ª Dinastia; Novo Império) têm preenchido o Museu Egípcio do Cairo sendo exibidos lá. Porém, eles mudarão de lar, passando a compor o acervo do Grand Egyptian Museum, em Gizé. Cuja inauguração oficial está prevista para este ano, 2018, após vários adiamentos.

2004_0416_122343AA

Estatuetas provenientes da tumba de Yuya e Tuya

2004_0416_124525AA

Sarcófagos de Yuya e Tuya.

Isso levou muitos a se questionar se o Museu Egípcio do Cairo irá fechar e a resposta é não. “O Museu Egípcio em Tahrir não morrerá, continuará a receber visitantes durante todo o ano”, afirmou Khaled el-Enani, Ministro de Estado das Antiguidades. De acordo com o seu comunicado, a coleção de Yuya e Tuyu, pais da rainha Tiye, permanecerão no local. Assim como os objetos funerários de Psusennes I, que foram encontrados em 1940 pelo arqueólogo francês Pierre Montet. Esse faraó e reinou muitos anos mais tarde a morte de Tutankhamon, durante a 21ª Dinastia, Terceiro Período Intermediário.

— Saiba mais: Tesouros arqueológicos no porão do Museu Egípcio no Cairo

Face d'orMáscara mortuária de Psusennes I.

Para o Dr. Tarek Tawfik, diretor-geral do Grande Museu Egípcio, esta será uma grande oportunidade de dar mais destaque para outras peças interessantes, mas que foram ofuscadas durante todos esses anos por Tutankhamon. A outra justificativa é dar a cada museu a chance de ter suas próprias peças de destaque.

 

Fonte:

Will the Tanis Collection replace King Tut’s in the Tahrir Museum?. Disponível em < https://www.egypttoday.com/Article/4/39704/Will-the-Tanis-Collection-replace-King-Tut%E2%80%99s-in-the-Tahrir?platform=hootsuite >. Acesso em 23 de janeiro de 2018.

 

Em breve: Novas peças da tumba de Tutankhamon

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille

 

Faraó Tutankhamon em Imagem parietal de seu túmulo.

Faraó Tutankhamon em Imagem parietal de seu túmulo.

O Egyptian Museum do Cairo unido com o Römisch-Germanisches Zentral Museum de Mainz, a University of Tübingen e o Cairo Department of the German Archaeological Institute estão trabalhando para restaurar e exibir um grupo de artefatos de folhas de ouro ainda inéditos pertencentes a KV-62, tumba de Tutankhamon.

O faraó Tutankhamon ficou conhecido no mundo inteiro após a descoberta da sua tumba praticamente intacta em 1922. De lá foram catalogados centenas de artefatos, alguns dos quais jamais entraram para exibição, a exemplos destas folhas de ouro.

A notícia foi anunciada na página do DAI Kairo – German Archaeological Institute Cairo, no Facebook.