Múmias de sacerdotes do deus Thot são encontradas em grande tumba; filho de faraó também está lá!

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille | Instagram

O Ministério das Antiguidades do Egito divulgou na última quinta-feira a descoberta de tumbas na província de Minya. A maioria pertence a sacerdotes que viveram há 3.00 anos no Egito. No total são 16 túmulos contendo 20 sarcófagos, cinco dos quais são feitos talhados na pedra calcária. A descoberta foi feita por uma missão arqueológica liderada por Mustafa Waziri, secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades.

Tratam-se de sepulturas compartilhadas das quais algumas eram de sacerdotes que trabalhavam a serviço ao deus Thot, divindade da escrita. As demais são de altos funcionários do Período Tardio.

No local também foram encontrados 10.000 ushabtis, alguns de cor azul (cor símbolo da divindade) e outros de cor verde (cor símbolo da fertilidade). Ushabtis são pequenas estátuas funerárias que eram colocadas em túmulos para servir ou substituir o falecido em tarefas cotidianas no além mundo. 

Também foram encontrados recipientes canópicos (onde os egípcios colocavam os órgãos mumificados) feitos com calcário pintado (e ao menos um deles pertencia a uma mulher) e 700 amuletos; alguns representando escaravelhos.

Muitos vasos de cerâmica de diferentes formas e tamanhos, usados ​​para fins funerários e religiosos, também foram desenterrados juntamente com ferramentas para cortar pedras e mover caixões, como martelos de madeira.

Durante um comunicado para imprensa, Waziri disse que um dos sarcófagos de pedra pertence ao filho do rei Psamético (não foi esclarecido qual deles), que assumiu o título de chefe do tesouro real. Ele possuía muitos títulos, dos quais um dos mais importantes era o de sacerdote de Osíris e Nut.

Fonte: 

Sarcophagus dedicated to sky god among latest ancient Egypt trove. Disponível em < https://phys.org/news/2020-01-sarcophagus-dedicated-sky-god-latest.html >. Acesso em 30 de janeiro de 2020. 

In photos: Communal tombs for high priests uncovered Upper Egypt. Disponível em < http://english.ahram.org.eg/NewsContent/9/40/362609/Heritage/Ancient-Egypt/In-photos-Communal-tombs-for-high-priests-uncovere.aspx >. Acesso em 30 de janeiro de 2020. 

16 ancient Egyptian burial shafts see the light in Minya. Disponível em < https://wwww.dailynewssegypt.com/2020/01/30/16-ancient-egyptian-burial-shafts-see-the-light-in-minya/ >. Acesso em 30 de janeiro de 2020. 

17 múmias intactas chamam a atenção para sítio arqueológico egípcio

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille | Instagram

Ocorreu há duas semanas o anúncio da descoberta de uma sepultura com 17 múmias intactas perto da vila de Tuna el-Gebel na cidade de Minya. Os corpos provavelmente são de sacerdotes e oficiais. O achado também inclui sarcófagos feitos de calcário e argila, caixões de animais e papiros com inscrições em demótico.

Possivelmente as múmias possuem mais de 1500 anos, sendo assim do Período Greco-Romano, que são os anos finais da era dos faraós.

Khaled Desouki/Agence France-Presse — Getty Images

Khaled Desouki/Agence France-Presse — Getty Images

Mas a descoberta não se resume a isso, já que essa é “a primeira necrópole humana encontrada no médio Egito com muitas múmias“, disse o egiptólogo Salah al-khali ao jornal Telegraphic[1]. Em complemento, esse sítio funerário talvez possua até 32 múmias espalhadas pelas catacumbas da tumba [2]

Khaled Desouki/Agence France-Presse — Getty Images

A sepultura foi detectada ano passado por um time da Universidade do Cairo usando uma tecnologia de radar, cada vez mais comum na arqueologia do país.

Khaled Desouki/Agence France-Presse — Getty Images

A mumificação no Egito:

Embora pareça que a mumificação egípcia foi uma técnica milenar e perfeita, em verdade ela precisou, assim como muitas obras da antiguidade egípcia, da tentativa e erro.  Fora o fato de que ela sofreu notáveis mudanças ao longo dos séculos. Exatamente por isso que uma múmia do, por exemplo, Médio Reino não será totalmente parecida com uma da Baixa Época.

— Veja também: O que são múmias?

Desta forma, essa descoberta em Minya é importante para mostrar mais aspectos da mumificação durante o Período Greco-romano.  Época em que justamente o poder dos faraós começou a cair e a cultura egípcia passou a receber influência da cultura grega e logo depois da romana.

Tenha em casa: A Edições Del Prado, uma editora especializada em vendas de fascículos com imagens colecionáveis, possui uma coleção intitulada “Cenas do Egito Antigo”. Uma delas recria um momento durante a mumificação.

Clique aqui para conferir a peça ou aqui para ver as demais cenas.

Fontes:

Archaeologists uncover 17 mummies in central Egypt. Disponível em < http://www.aljazeera.com/news/2017/05/archaeologists-uncover-17-mummies-central-egypt-170513163646866.html >. Acesso em 13 de maio de 2017.

[1] Ancient Burial Chamber Uncovered in Egypt, With 17 Mummies … So Far. Disponível em < https://www.nytimes.com/2017/05/13/world/middleeast/egypt-mummies-burial-site-minya.html?_r=1 >. Acesso em 13 de maio de 2017.

[2] 17 mummies newly discovered buried in Minya cemetery. Disponível em < http://www.dailynewsegypt.com/2017/05/13/17-mummies-newly-discovered-buried-minya-cemetery/ >. Acesso em 13 de maio de 2017.