Artefatos egípcios são encontrados em esconderijo da 2ª Guerra Mundial

Por Márcia Jamille | @MJamille | Instagram

Foi anunciado no dia 04/07/18 a descoberta de centenas de objetos de cerâmica. Eles datam das eras greco-romana, copta e islâmica e foram encontrados em um esconderijo possivelmente construído durante a Segunda Guerra Mundial, no interior de um museu em Alexandria.

De acordo com um comunicado do Ministério de Antiguidades, as peças foram encontradas durante trabalhos de restauração no jardim interno do Museu Greco-romano de Alexandria.

Foto: MSA.

“Muito provavelmente foram escondidas pelo arqueólogo (britânico) Alan Rowe e pelos funcionários do museu durante a Segunda Guerra Mundial, entre 1939 e 1945”, disse o chefe do Setor de Antiguidades egípcias, Ayman Ashmawi. Segundo ele, o objetivo era “proteger os objetos da pilhagem e dos bombardeios frequentes durante a guerra”. As antiguidades certamente foram escondidas “rapidamente” e, por isso, não foram registradas na lista do museu.

Foto: MSA.

“O esconderijo contém uma coleção de cerâmica de tamanhos e formas diferentes”, indicou a chefe do Departamento Central de Antiguidades egípcias e greco-romanas, Nadia Jadre. Entre elas, estão urnas funerárias, chamadas “Hidari”, onde eram guardadas as cinzas dos mortos após sua cremação no período grego. Também foram encontrados recipientes, vasilhas e pratos das épocas greco-romana e bizantina.

 

Fonte:

Maior sarcófago já encontrado em Alexandria é uma das duas descobertas arqueológicas anunciadas no Egito. Disponível em < https://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/ministerio-do-egito-anuncia-duas-novas-descobertas-arqueologicas-em-julho.ghtml >. Acesso em 12 de julho de 2018.

Novas descobertas arqueológicas em antigos naufrágios egípcios

Por Márcia Jamille | @MJamille | Instagram

O ano de 2017 terminou com o anúncio da descoberta de antigos naufrágios egípcios. E nesses naufrágios foram encontrados alguns artefatos interessantes: um deles foi uma cabeça de cristal que provavelmente retrata o general Marco Antônio, amante da rainha Cleópatra VII.

Cabeça de estátua encontrada em Thonis–Heracleion. Foto: Franck Goddio.