É descoberta no Egito tumba ricamente colorida e repleta de múmias

Por Márcia Jamille | @MJamille | Instagram

Imagine uma tumba totalmente colorida, como se acabasse de ter sido pintada e ainda com o bônus de conter algumas múmias —- tanto de humanos, como de outros animais —. Imaginou? Este sonho de muitos arqueólogos se concretizou nos últimos meses na cidade de Sohag (cerca de 390 quilômetros ao sul do Cairo), Egito: lá uma equipe de Arqueologia está desenvolvendo pesquisas na tumba de um casal do Período Ptolomaico: a mulher era Ta-Shirit-Iziz e o homem Tutu [1][2]. As análises visam entender quem foram eles, sua família e a sociedade em que viveram.

Foto: Reuters.

Entretanto, nós da modernidade quase perdemos tudo isso, uma vez que não foram arqueólogos os responsáveis pela descoberta, mas um grupo de ladrões e contrabandistas de artefatos arqueológicos. O crime foi descoberto por autoridades egípcias em outubro do ano passado (2018) antes que mais estragos fossem feitos [1][2]. Dentre os artefatos salvos estão fragmentos de máscaras funerárias [2].  

Foto: Reuters.

As imagens parietais retratam os donos da tumba, assim como imagens de procissões fúnebres e a genealogia da família escrita em hieróglifos. Em várias partes as cores vermelho, azul e amarelo ainda estão nítidas, como se tivessem acabado de ser postas no local. “É uma das descobertas mais emocionantes da região”, disse Mostafa Waziri, secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades do Egito [1].

O outro grande detalhe da tumba é a presença de várias múmias: duas são humanas — um menino com 12 ou 14 anos de idade e a outra uma mulher de 35 a 50 anos —. 

Múmias da criança e a mulher. Foto: Ministério das Antiguidades.

Múmias da criança e a mulher. Foto: Ministério das Antiguidades.

Foto: Reuters.

As demais são de 50 outros animais onde estão inclusos falcões e ratos [1].

Foto: Reuters.

Múmias falcões. Foto: Ministério das Antiguidades.

Múmias de ratos em destaque. Foto: Reuters.

Fontes: 

[1] Mummified Mice and Falcons Are Found in Egyptian Tomb. Disponível em < https://www.nytimes.com/2019/04/06/world/middleeast/mummified-mice-egypt.html >. Acesso em 07 de  abril de 2019.

[2] Mummified mice found in ‘beautiful, colourful’ Egyptian tomb. Disponível em < https://www.theguardian.com/world/2019/apr/06/mummified-mice-found-in-beautiful-colourful-egyptian-tomb >. Acesso em 04 de maio de 2019.

Egypt tomb: Mummified mice found in ‘beautiful’ ancient chamber. Disponível em < https://www.bbc.com/news/world-middle-east-47838077 >. Acesso em 04 de maio de 2019.

Novas descobertas arqueológicas em antigos naufrágios egípcios

Por Márcia Jamille | @MJamille | Instagram

O ano de 2017 terminou com o anúncio da descoberta de antigos naufrágios egípcios. E nesses naufrágios foram encontrados alguns artefatos interessantes: um deles foi uma cabeça de cristal que provavelmente retrata o general Marco Antônio, amante da rainha Cleópatra VII.

Cabeça de estátua encontrada em Thonis–Heracleion. Foto: Franck Goddio.

A Rainha Cleópatra versus a História

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille | Instagram

Cleópatra VII foi uma rainha que viveu durante o Período Ptolomaico, cuja história inspirou vários mitos, filmes e documentários. Embora muitas biografias pitorescas tenham sido inventadas por seus desafetos, aparentemente a real Cleópatra VII foi uma líder única, educada com as melhores fontes de informação e articulada.

No vídeo abaixo, que faz parte do TED-Ed (um projeto que reúne educadores com animadores), temos um resumo das realizações dessa rainha e como a história tem sido muito injusta com ela. Vale muito a pena assistir. Ele está em inglês, mas é possível habilitar a legenda para o português, é só ir na aba do play que vocês encontrarão um quadradinho ao lado de uma engrenagem: clique nela e escolha o idioma do seu interesse.

Sugiro também que leiam o meu artigo “Como a Arqueologia tem minimizado o papel das mulheres egípcias que viveram na Antiguidade faraônica”. Em um dado momento uso a Cleópatra como exemplo.

(Vídeo) Tesoros sumergidos de Egipto

Este breve documentário em espanhol fala sobre as pesquisas de Arqueologia Subaquática que estão ocorrendo na baía de Alexandria e na baía de Abukir sob a coordenação do pesquisador Franck Goddio. Também fala sobre a criação e a queda da cidade de Alexandria na antiguidade, e os seus celebres edifícios como a Biblioteca de Alexandria e o Farol de Pharos.

 

【Artigo】 Entre sarcófagos e templos: a cultura material do Egito ptolomaico

Entre sarcófagos e templos: a cultura material do Egito ptolomaico | Thiago do Amaral Biazotto | Português

Ao longo das últimas décadas, o estudo da História Antiga tem sido renovado a partir de duas prerrogativas básicas: uma preocupação cada vez mais aguçada com o contexto de formulação de seus cânones, admitindo no mais das vezes que os saberes acerca do Mundo Antigo têm sido reconstruídos de forma a atestar e sustentar uma irrefutável superioridade européia sobre os demais territórios e, igualmente, pelo diálogo mais contíguo entre esta disciplina e a Arqueologia, pela incorporação, cada vez mais intensa, do estudo dos vestígios materiais (…)

Obtenha o artigo: Entre sarcófagos e templos: a cultura material do Egito ptolomaico