Deuses egípcios: Aha

Por Márcia Jamille | @Mjamille | Instagram

Seu surgimento é datado a partir do Reino Antigo, quando começa a ser citado no “Livro das Pirâmides” (CASTEL, 2001), contudo, o nome de um dos primeiros reis do Egito, o Hór-Aha (ḥrw-ˁḥ3), tem a grafia semelhante ao desse deus, o que pode indicar um surgimento anterior.

Ele é definido como “O pigmeu das danças do deus”, já nos “marfins mágicos” do Médio Reino é chamado de “O Lutador” e tem funções protetoras (CASTEL, 2001).

Na iconografia é representado como uma mistura de pigmeu com rabo, orelhas e juba de leão, segurando uma serpente em cada mão. Dada a essas características alguns tendem a assimilar Aha com o deus Bés, entretanto, a partir do Novo Império ele é absorvido por Ptah (CASTEL, 2001).

Transliteração: ˁḥ3

Em hieróglifos: 

Referências:

CASTEL, Elisa. Gran Diccionario de Mitología Egipcia. Madrid: Aldebarán, 2001.

COSTA, Márcia Jamille Nascimento. Uma viagem pelo Nilo. Aracaju: Site Arqueologia Egípcia, 2014.

Dois novos templos descobertos em Kanark

 

Matéria retirada na integra do Yahoo Brasil:

Arqueólogos franceses fazem novas descobertas no complexo de Karnak em Luxor

 

Cairo, 3 jul (EFE).- Uma missão arqueológica francesa descobriu um muro, blocos de pedra com inscrições e uma porta no templo do deus Ptah no complexo de Karnak, em Luxor, no sul do Egito, anunciaram neste domingo autoridades locais.

O Ministério de Estado para as Antiguidades informou em comunicado que especialistas encontraram uma parede de pedra que cercava o templo do deus Ptah, que os egípcios relacionavam com a criação artística, as artes e a fertilidade.

O recinto de Ptah data do período Moderno (1550-1070 a.C.) e é um dos seis templos que formam o gigantesco complexo de Karnak em Luxor, o segundo lugar mais visitado do Egito depois das pirâmides de Gizé.

Entre as descobertas desta escavação se destaca uma série de blocos de pedras talhadas que fazia parte do templo de Ptah, mas que data do reinado de Tutmosis III (1490-1436 a.C.), o faraó que ordenou a construção do templo.

Durante as escavações que culminaram com a descoberta do muro, os arqueólogos encontraram também uma porta que foi construída durante o reinado do faraó Shabaka (712-698 a.C), da dinastia XXV, que ampliou e restaurou o templo quase mil anos depois que Tutmosis III tê-lo construído.

Os arqueólogos determinaram que a porta dava acesso a um quarto onde se conservavam joias, e nos muros desta sala pode ser vista uma imagem que ainda conserva as cores originais e mostra o faraó apresentando o sinal da justiça ao deus Amon Rá.

A missão francesa planeja restaurar as peças encontradas e está preparando a abertura deste templo ao público. O complexo de Karnak, junto com as ruínas do templo de Luxor e a necrópole de Tebas foram declarados Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 1979. EFE

 

Fonte: Disponível em <http://br.noticias.yahoo.com/arque%C3%B3logos-franceses-fazem-novas-descobertas-complexo-karnak-luxor-140803692.html>. Acesso em 3 de Julho de 2011.

 

[cincopa AkLAIpaQ15XW]