Descobrindo a Arqueologia sem sair de casa

Agora possuímos um novo projeto para entreter e informar os nossos leitores e espectadores: é o “Descobrindo a Arqueologia”, uma assinatura mensal que funciona dentro da plataforma do Apoia.se.

Este é um espaço premium dedicado aos explorers, fãs e seguidores do site Arqueologia Egípcia e do Descobrindo o Passado. Vocês poderão aproveitar vários conteúdos e compartilhar momentos especiais.

 

Benefícios da inscrição:

Vocês receberão recompensas que são cumulativas de acordo com o valor escolhido. São elas:

☥ Mesmo pagando R$1,00 você terá acesso a um painel exclusivo com novidades relacionadas com a Arqueologia ou as atualizações dos sites Arqueologia Egípcia e do Descobrindo o Passado;

☥ E pagando um pouco mais poderá:

. Ver imagens de bastidores disponíveis somente no “Descobrindo a Arqueologia”;

. Ter o seu nome incluso nos créditos dos vídeos;

. Ter acesso a textos sobre a antiguidade egípcia ou história mundial;

. Poder assistir a vídeos exclusivos sobre a antiguidade egípcia ou história mundial.

 

Nós esperamos que os fãs possam mostrar o seu suporte e interesse por esse projeto.

Foto de bastidores do vídeo “Arquitetura egípcia | Pirâmides, moradias e o Vale dos Reis

Como se inscrever no Descobrindo a Arqueologia?

É muito fácil! Você pode fazê-lo utilizando sua conta do Facebook ou o seu e-mail (precisa ser válido para poder confirmar a sua inscrição).

Com sua conta já pronta acesse o www.apoia.se/arqueologia e escolha uma das recompensas que estão do lado direito. Aqui você pode escolher pagar qualquer valor do seu interesse. Por exemplo, Atualmente temos cinco valores sugeridos que são R$1,00, R$5,00, R$15,00, R$25,00 e R$30,00 e cada um valendo uma série de recompensas. Entretanto, você pode escolher querer pagar R$7,00 (por exemplo). No ato da sua inscrição na recompensa em vez de deixar o valor de R$5,00, você poderá digitar o número “7”. Mas lembre-se que mesmo contribuindo com um pouco a mais as suas recompensas serão referentes as dos R$5,00.

 

Formas de pagamentos:

É possível pagar com cartão de crédito ou boleto bancário.

No caso do cartão estas são as bandeiras aceitas:

Já o boleto bancário tem um custo de R$2 que será adicionado ao valor do apoio. Então, se o seu apoio for no valor de R$7, seu boleto será gerado com o valor de R$9.

Você irá receber o boleto por e-mail logo após a confirmação do apoio, assim como nos meses seguintes.

Participem e serão recompensados porque novidades esperam por vocês.

www.apoia.se/arqueologia

O site Arqueologia Egípcia em 2015

Por Márcia Jamille | Instagram | @MJamille

Quem acompanhou o Arqueologia Egípcia no último ano sabe que eu e o site passamos por muitas coisas positivas. Foi para rememorar alguns desses momentos que gravei o vídeo abaixo:

Contextos Live:

O ano teve um ótimo começo quando fui convidada pela Contextos Arqueologia para ministrar uma palestra para a Contextos Live. Era uma transmissão piloto e eu estava extremamente nervosa porque tudo poderia dar errado já que seria uma transmissão online e ao vivo, mas no final deu tudo certo.

Ocorreu uma grande participação do público, a pena é que o Youtube não armazena as mensagens enviadas durante os eventos ao vivo e por isso não pude ler nenhum dos comentários.

Uma viagem pelo Nilo na CAJUFS:

Meses mais tarde recebi um convite para expor o meu livro, o “Uma viagem pelo Nilo”, durante a “I Semana de Arqueologia da CAJUFS”, na cidade de Laranjeiras, Sergipe.

Está acabando o estoque de livros:

E ao longo do ano “Uma viagem pelo Nilo” vendeu bem, ao menos levando em consideração que se trata de uma obra independente que não tem uma distribuidora. Devo salientar aqui que meus amigos e familiares me auxiliaram muito durante os tramites de vendas ou no empacotamento. Eles, definitivamente, me ajudam a tirar um peso horrível das costas.

#TutEOValeDosReis e a reação do público:

E sobre o meu ainda não lançado segundo livro, o “Tutankhamon, 1922 e o Vale dos Reis”: foi criada uma série dentro do canal do Arqueologia Egípcia no Youtube intitulada #TutEOValeDosReis onde falo curiosidades sobre este faraó.

A minha surpresa foi que esse quadro é o mais visualizado e é o que mais recebe “likes”. O vídeo que está no topo é o “A maldição de Tutankhamon”, que, ironicamente, foi gravado de dia, no meu quarto, com o Sol se movendo e criando mudanças de luz e meus vizinhos brigando esporadicamente.

O canal no Youtube não é mais só um projeto:

No Youtube passamos da marca de mil inscritos! Foi uma grande surpresa para mim porque os canais mais populares que citam Arqueologia são aqueles que o fazem de forma deturpada, falando bobagens sobre conspirações, alienígenas, tesouros malditos, etc.

Em tempos em que recebo mensagens de ódio por ter listado meros pontos negativos da novela “Os Dez Mandamentos” (e olha que eu não acabei com a novela, só fiz listar coisas boas e ruins, como faço com qualquer outro material que cite o Antigo Egito) saber que pouco mais de mil pessoas se importam em aprender me deixa extremamente feliz.

Um leitor chegou a escrever para mim que a meta agora são 2.000, 5.000, 10.000, 100.000… Ok, não sou otimista como ele, mas se continuar crescendo ficarei enormemente feliz. Até porque gravar não é nada fácil.

São Paulo + Leitores = tarde maravilhosa:

Ainda tem a minha ida para São Paulo onde aproveitei para conhecer alguns leitores pessoalmente durante um encontro intimista. Amei ter conhecido todos e se desse mais tempo eu queria ter conversado com cada um para conhecê-los melhor.

Uma viagem pelo Nilo na I FLISE:

E o ano fechou com a minha participação na I FLISE de Sergipe, através da gráfica e editora J Andrade, que me convidou a expor meu livro lá. Apesar de extremamente cansativo foi muito divertido. O estande estava lindíssimo e conheci outros autores.

Eu e a Márcia da J Andrade.

Muito aprendizado:

O mais legal é que tudo isso é fruto daquele trabalho de formiguinha que realizei em outros anos, e que hora ou outra eu me perguntava se não era uma total perda de tempo. Bom, ainda bem que não desisti.

Se vocês possuem um sonho não desista também. Isso tudo não veio do nada para mim, na verdade começou lá atrás, em 2008, quando abri o site porque, dentre tantos motivos, me sentia só na Universidade e gostava mais das pessoas que eu conhecia na internet e que compartilhavam o mesmo interesse que o meu, que é o Antigo Egito.

Bom, então que venha 2016 e com ele mais leitores e mais amigos.