(Imagem) Máscara mortuária de Tutankhamon

Por Márcia Jamille Costa | @Mjamille

Após a sua morte, durante os anos finais da XVIII Dinastia, o faraó Tutankhamon foi sepultado em uma pequena tumba no Vale dos Reis, necrópole real perto de Tebas.

Descoberto praticamente intacto em 1922 pelo arqueólogo inglês Howard Carter, o sepulcro ainda guardava a múmia do faraó com as suas bandagens e sua máscara mortuária, que o representa usando um toucado nemes com as deusas Nekhbet e Wadjyt em sua testa.

Feita em uma mistura de ouro e pedras semipreciosas, este objeto tinha como uma das suas funções além de proteger a cabeça do rei garantir a ele uma jornada tranquila para o além-mundo através das fórmulas sagradas cunhadas em seus ombros.

Imagem frontal da máscara mortuária de Tutankhamon. Imagem disponível em MULLER, Hans Wolfgang; THIEM, Esberhard. O ouro dos faraós. (Tradução de Carlos Nougué, Francisco Manhães, Maria Julia Braga, Angela Zarate). 1ªEdição. Barcelona: Editora Folio, 2006. pág. 175.

As deusas Nekhbet e Wadjyt na testa da máscara mortuária de Tutankhamon. JAMES, Henry. Tutancâmon (Tradução de Francisco Manhães). 1ª Edição. Barcelona: Editora Folio, 2005. pág. 95.

Face máscara mortuária de Tutankhamon. Imagem pertencente ao acervo da National Geographic. Kenneth Garrett. Setembro de 1998.

Máscara mortuária de Tutankhamon. Imagem disponível em TIRADRITTI, Francesco. Tesouros do Egito do Museu do Cairo. São Paulo: Manole, 1998. pág 234.

Costas da máscara mortuária de Tutankhamon. Imagem disponível em MULLER, Hans Wolfgang; THIEM, Esberhard. O ouro dos faraós. (Tradução de Carlos Nougué, Francisco Manhães, Maria Julia Braga, Angela Zarate). 1ªEdição. Barcelona: Editora Folio, 2006. pág. 174.