3ª estátua para os Colossos de Memnon

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille

Foi anunciado esta semana que existem planos para que uma terceira estátua venha a compor a paisagem do sítio arqueológico onde estão situados os Colossos de Memnon (Tebas), apelido grego para as grandes estátuas que fazem parte de um extenso complexo funerário pertencente ao faraó Amenhotep III (Amenofis III) que ruiu durante um terremoto ocorrido cerca em 27 a.C (BOURBON, 2006, p. 165).

Colossos de Memnon. Foto BOURBON, Fabio. Egito Ontem e Hoje: Litografias de David Roberts. (Tradução de Maria Júlia Braga, Joana Bergman, Michel Teixeira). 1ª Edição. Barcelona: Editora Folio, 2006. p. 164.

Esta terceira estátua possui 15 metros, três vezes menor do que a dupla amplamente conhecida, e foi descoberta em 2002 por Hourig Sourouzian.  Em 2004 o restaurador espanhol Miguel Ángel López Marcos, especialista em artefatos de pedra, recebeu a permissão para direcionar os trabalhos de consolidação da imagem.

Assim como os seus irmãos ainda de pé este terceiro colosso está com uma aparência disforme, porém reconhecível: Amenhotep III também é retratado sentado e aos seus pés está a sua esposa Tiye. A divulgação desta terceira estátua está sendo ampla porque já existe um projeto para mantê-la erguida, porém, de acordo com López o artefato pesa 250 toneladas, o que dificulta o seu transporte para levá-la até o seu novo local [1].

Trabalhos com a terceira estátua que irá compor os Colossos de Memnon. Foto: Miguel Ángel López Disponível em < http://www.elmundo.es/elmundo/2012/02/18/ciencia/1329528264.html >. Acesso em 20 de Fevereiro de 2012.

Trabalhos com a terceira estátua que irá compor os Colossos de Memnon. Foto: Miguel Ángel López Disponível em < http://www.elmundo.es/elmundo/2012/02/18/ ciencia/1329528264.html >. Acesso em 20 de Fevereiro de 2012.

Classicamente os Colossos de Memnon são retratados como uma dupla e é uma das imagens mais icônicas do Egito. Recebeu este nome no período Ptolomaico graças ao ruído que a estátua mais a Norte emitiria quando era aquecida pelo sol, o que levou a viajantes gregos e latinos a o associarem com o mítico Memnon, filho de Aurora (Eos) a qual todas as manhãs chorava pelo filho que fora morto por Aquiles durante a Guerra de Troia. Hoje acredita-se que o som seria emitido por uma das muitas rachaduras da estátua que com o calor faria o efeito sonoro (BOURBON, 2006, p. 165).

Os Colossos de Memnon retratado por David Roberts em 4 de dezembro de 1838. Fonte: BOURBON, Fabio. Egito Ontem e Hoje: Litografias de David Roberts. (Tradução de Maria Júlia Braga, Joana Bergman, Michel Teixeira). 1ª Edição. Barcelona: Editora Folio, 2006. Pág. 162.

Fonte:

Los dos colosos de Memnon ya son tres. Disponível em < http://cultura.elpais.com/cultura/2012/02/16/actualidad/1329426160_441298.html >. Acesso em 18 de Fevereiro de 2012.

El arqueólogo español que resucitó el tercer coloso de Memnón. Disponível em < http://www.elmundo.es/elmundo/2012/02/18/ciencia/1329528264.html >. Acesso em 20 de Fevereiro de 2012.

BOURBON, Fabio. Egito Ontem e Hoje: Litografias de David Roberts. (Tradução de Maria Júlia Braga, Joana Bergman, Michel Teixeira). 1ª Edição. Barcelona: Editora Folio, 2006.

Márcia Jamille

Arqueóloga formada pela UFS com a monografia “Egito Submerso: a Arqueologia Marítima Egípcia” e mestra em Arqueologia também pela UFS com a pesquisa “Arqueologia de Ambientes Aquáticos no Egito: uma proposta de pesquisa das sociedades dos oásis do Período Faraônico”. É administradora do Arqueologia Egípcia e autora do livro "Uma viagem pelo Nilo". [Leia seu perfil]

2 comentários sobre “3ª estátua para os Colossos de Memnon

    • Roberto:
      Esta estátua foi localizada no mesmo sítio dos Colossos, porém estava parcialmente sepultada (e bem avariada devido a lama, se observar bem até mesmo onde está a dupla atual chega água ali). Não sei onde vão colocar esta nova estátua agora (não conheço muito sobre o projeto do López).
      Existem outros fragmentos de estátuas que podem vi a compor a paisagem dos Colossos de Memnon um dia.
      Abraços.

Os comentários estão desativados.