Revista História Viva traz o Egito

Por Márcia Jamille Costa | @Mjamille

 

Historia Viva; Tesouros do Nilo. 2012

A revista História Viva número 103 trouxe quatro matérias especiais sobre o Egito faraônico: uma sobre a pirâmide de Khufu (Quéops), outra sobre Abu Simbel, o templo de Karnak e por fim o Vale dos Reis.

Todas estas matérias foram escritas por pesquisadores estrangeiros, dentre eles o editor do site Osirisnet, Thierry Benderitter. Todos os textos são exemplares, não existe nada em especial a ser pontuado negativamente.

 

Em O mistério da Grande Pirâmide, escrito Richard Lebeau (autor de Pyramides, temples et tombeaux de l’Egypte ancienne), se centra principalmente na busca de respostas de como a maior pirâmide do platô de Gizé teria sido construída e cita algumas das teorias ligadas as rampas que teriam auxiliado no transporte dos grandes blocos de calcário até o seu atual local de repouso. É levantada também a questão de quantos trabalhadores teriam sido necessários para se construir o edifício e a organização das equipes.

Abu Simbel, à glória de Ramsés e Nefertari, de Madeleine Peters-Destéract (autora de Abou Simbel, à la gloire de Ramsés) historia rapidamente a descoberta do grande templo de Ramsés II e de uma de suas esposas, a rainha Nefertari (Novo Império). Também denota sobre o translado do templo do seu local original para o atual, em decorrência da construção da represa de Assuã.

 

Abu Simbel, à glória de Ramsés e Nefertari. Historia Viva. Foto: Márcia Jamille Costa. 2012.

 

Karnak, o santuário que bate todos os recordes, de Thierry Benderitter (editor do site osirisnet.net) pontua como se deu a construção dos templos do complexo de Karnak e o seu declínio, durante a ascensão do cristianismo e do islã no Egito e algumas das obras realizadas no local na década de 1800 da nossa era.

 

Karnak, o santuário que bate todos os recordes. Historia Viva. Foto: Márcia Jamille Costa. 2012.

 

Os segredos do Vale dos Reis, de Aude Gros de Beler, está um pouco desatualizado, já que só cita as 63 tumbas encontradas no local, uma vez que no início de 2012 foi anunciada a de número 64 (encontrada de fato em 2011, mas ocultada do público comum devido a revolução do 25 de Janeiro). Nele comenta-se sobre como se deu a ocupação do Vale na antiguidade e o esquema de numeração dos sepulcros.

Na mesma revista existe uma matéria denominada O maior viajante da Idade Média, escrito por Yves D. Papin (historiador e escritor) onde é possível ler um pouco sobre Ibn Battuta, um dos poucos viajantes que chegaram a descrever o farol de Alexandria.

 

Ficha técnica:

Revista: História Viva

Autor: vários

Ano de publicação (Brasil): 2012

Ano: IX

Nº: 103

Distribuição: Duetto

Tema: Arqueologia, Antigo Egito, Egiptologia.

Márcia Jamille

Arqueóloga formada pela UFS com a monografia “Egito Submerso: a Arqueologia Marítima Egípcia” e mestra em Arqueologia também pela UFS com a pesquisa “Arqueologia de Ambientes Aquáticos no Egito: uma proposta de pesquisa das sociedades dos oásis do Período Faraônico”. É administradora do Arqueologia Egípcia e autora do livro "Uma viagem pelo Nilo". [Leia seu perfil]

3 comentários sobre “Revista História Viva traz o Egito

Os comentários estão desativados.