Múmias do Museu Nacional ganham novas vitrines

O Museu Nacional do Rio de Janeiro é uma das instituições de pesquisa mais conceituadas do país. Nele estão expostos — ou guardados nas reservas técnicas — artefatos provenientes de variadas culturas, inclusive muitos datados da antiguidade egípcia.

— Leia mais: A história do Museu Nacional e o Egito Antigo no Brasil.

Faz alguns anos que as múmias egípcias da instituição têm sido expostas dentro de um invólucro de plástico que, apesar da aparência um pouco grosseira (Imagem 2), permitia a preservação das mesmas. Contudo, no último dia 17/10, a direção do museu mudou o expositor, colocando agora três desses corpos embalsamados — “Kherima”, Harsiese e Hori — em caixas de vidro que permitem uma melhor visualização.

Imagem 1: Múmia do Período Greco-Romano apelidada “Kherima” em algum momento anterior ao ano de 1983. Ela ainda não estava dentro do involucro de plástico. Autor da fotografia: Desconhecido.

Museu Nacional - Quinta da Boa Vista - Rio de Janeiro

Imagem 2: O involucro de plástico.

E é assim que elas estão na atualidade:

Foto: Divulgação.

Foto: Divulgação.

Foto: Divulgação.

Fonte: 

Múmias do museu nacional ganham nova morada. Disponível em < https://www.facebook.com/MuseuNacionalUFRJ/posts/1605924639709743 >. Acesso em 17/10/16.

Márcia Jamille

Arqueóloga formada pela UFS com a monografia “Egito Submerso: a Arqueologia Marítima Egípcia” e mestra em Arqueologia também pela UFS com a pesquisa “Arqueologia de Ambientes Aquáticos no Egito: uma proposta de pesquisa das sociedades dos oásis do Período Faraônico”. É administradora do Arqueologia Egípcia e autora do livro "Uma viagem pelo Nilo". [Leia seu perfil]