Louvre restaurará uma capela funerária egípcia graças ao apoio popular

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille | Instagram

Conseguir verba para a cultura é difícil em qualquer lugar no mundo, mas o Museu do Louvre, muito famoso por suas peças arqueológicas, encontrou uma solução para isso: ultimamente ele tem realizado campanhas de apadrinhamento para conseguir arrecadar dinheiro para concretizar projetos que tem como objetivo preservar artefatos que estão sob os seus cuidados.

Até o momento sete campanhas foram lançadas com sucesso. A última foi para arrecadar fundos para o restauro da capela funerária de Akhethetep, um rico dignitário que viveu durante o Egito faraônico. Procedente de um sítio arqueológico de Saqqara, a capela da sua mastaba foi apresentada pela primeira vez ao público em 1905. Ela foi adquirida pelo Estado francês em 1903 e é advinda de uma coleção que o governo egípcio começou a vender no início do século XX, quando a prática de vendas de artefatos arqueológicos era comum.

Imagem: Reprodução.

Não se sabe muito da história de Akhethetep, mas os pesquisadores acreditam que o seu filho tenha casado com uma princesa, além de ter possuído os títulos de “chefe dos segredos da manhã” e “sacerdote do Heka”.

Imagem: Reprodução.

O prazo de arrecadação do projeto terminou no dia 31 de janeiro (2017), arrecadando $558,490. A previsão é que os trabalhos de restauros estejam concluídos até o final deste ano (2017) e que no início de 2018 o público já possa conferir os resultados.

Link do projeto: http://www.tousmecenes.fr/en

Fonte:

El Louvre restaurará una capilla egipcia gracias al mecenazgo popular. Disponível em < http://www.abc.es/cultura/arte/abci-louvre-restaurara-capilla-egipcia-gracias-mecenazgo-popular-201701280125_noticia.html >. Acesso em 17 de fevereiro de 2017

Márcia Jamille

Arqueóloga formada pela UFS com a monografia “Egito Submerso: a Arqueologia Marítima Egípcia” e mestra em Arqueologia também pela UFS com a pesquisa “Arqueologia de Ambientes Aquáticos no Egito: uma proposta de pesquisa das sociedades dos oásis do Período Faraônico”. É administradora do Arqueologia Egípcia e autora do livro "Uma viagem pelo Nilo". [Leia seu perfil]