Após 20 horas de viagem monumento dedicado ao faraó Ramsés II ganha novo lar

Por Márcia Jamille | @MJamille | Instagram

Semana passada um obelisco pertencente ao faraó Ramsés II foi retirado do Jardim Al-Andalus, no Cairo, e enviado para El Alamein, na Costa Norte. Mostafa Waziri, secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades, disse que o obelisco foi intensamente estudado para avaliar sua condição antes que a decisão de movê-lo fosse tomada. E acrescentou que a decisão de realocar o obelisco de Ramsés II foi tomada após a aprovação do Comitê Permanente para Antiguidades Egípcias Antigas. Entretanto, ele não deixou claro dos motivos da decisão de mudar o obelisco de lugar. 

Foram necessários 20 dias para que arqueólogos, restauradores, engenheiros e trabalhadores pudessem desmontar e embalar o obelisco. Para garantir seu transporte seguro, partes do artefato foram cobertas com espumas e colocadas em uma gaiola de ferro para evitar que se movessem. Unidades antivibratórias foram usadas ao longo do trajeto de 300 km (cerca de 20 horas de viagem) até El Alamein.

— Antigas fotografias dos templos de Ramsés II e Nefertari em Abu Simbel

— O faraó Ramsés II tirou um passaporte 3.000 anos após sua morte?

Esculpido em granito vermelho, decorado com os nomes e títulos do rei Ramsés II e possuindo 14 metros de altura e pesando 90 toneladas, não foi a primeira vez que este artefato foi movido. Anteriormente ele se encontrava em Tanis e foi retirado de lá em 1956, momento em que foi enviado para o Jardim Al-Andalus.

Fotos: Ministério das Antiguidades

Fonte: 

In Photos: Ramses II obelisk moved from Cairo’s Andalusia Garden to New Alamein City. Disponível em < https://khentiamentiu.blogspot.com/2019/08/in-photos-ramses-ii-obelisk-moved-from.html?fbclid=IwAR1BQ1tBlx-1yO5ymPZb6LkKQNIuQ_pNOqKlFUCp87a4xosnDmEJUWXpeTw >. Acesso em 11 de agosto de 2019. 

Márcia Jamille

Arqueóloga formada pela UFS com a monografia “Egito Submerso: a Arqueologia Marítima Egípcia” e mestra em Arqueologia também pela UFS com a pesquisa “Arqueologia de Ambientes Aquáticos no Egito: uma proposta de pesquisa das sociedades dos oásis do Período Faraônico”. É administradora do Arqueologia Egípcia e autora do livro "Uma viagem pelo Nilo". [Leia seu perfil]