Tumba recém descoberta no Egito revela múmias e máscaras mortuárias

Por Márcia Jamille | @MJamille | Instagram

Hoje mais cedo, autoridades do Ministério de Antiguidades do Egito revelaram para imprensa detalhes de uma tumba recém-descoberta em Draa Abu-el Naga (Luxor). A sepultura pertenceu a um casal: O homem chamava-se Amenemhat, um ourives do deus Amon e a mulher era chamada de Amenhotep. Eles viveram durante a 18ª Dinastia, mas o túmulo foi utilizado em outros períodos, tais como a 21ª e a 22ª Dinastia.

No local foram achados sarcófagos, estatuetas, potes cerâmicos e outros artefatos. Restos mumificados também estão presentes e dentre eles estão as múmias de uma mulher e seus dois filhos adultos. Máscaras mortuárias pertencentes a quatro oficiais igualmente foram encontradas.

A entrada da tumba foi descoberta no pátio de outra sepultura e ela leva para uma câmara quadrada. Lá dentro existe uma representação do casal no interior de um nicho. Estas estátuas são feitas de arenito e estão parcialmente danificadas. Entre as suas pernas está a representação do filho do casal, que de acordo com os arqueólogos que fizeram a descoberta seria algo inusitado, uma vez que o comum eram as filhas ou as noras ser apresentadas dessa forma e não os rapazes.

Apesar dos saques e dos sepultamentos mais tardios, entre os artefatos foram descobertos objetos do casal.

Fontes: 

Newly unearthed ancient tomb with mummies unveiled in Egypt. Disponível em < http://edition.cnn.com/2017/09/09/africa/egypt-luxor-ancient-tomb/index.html?utm_content=bufferd2214&utm_medium=social&utm_source=twitter.com&utm_campaign=buffer >. Acesso em 09 de setembro de 2017.

Tomb of Pharoah’s goldsmith who died 3,500 years ago is discovered in Luxor in ancient civil service cemetery. Disponível em < http://www.dailymail.co.uk/news/article-4868124/Tomb-Pharoah-s-goldsmith-discovered-Luxor.html#ixzz4sEE4fxvZ >. Acesso em 09 de setembro de 2017.

Várias múmias foram descobertas em tumba egípcia

Por Márcia Jamille | @MJamille | Instagram

Ontem, dia 8 de setembro (2017), o Ministério de Antiguidades do Egito anunciou que hoje irá revelar para a imprensa uma tumba com várias múmias em seu interior, em Draa Abu-el Naga (Luxor). Ela está próxima a de um oficial da 18ª Dinastia (Novo Império) chamado Userhat (– 157 –), a qual a sua redescoberta foi revelada em meados de abril deste ano (2017). O AE chegou a noticiar este acontecimento, clique aqui para ler o post. Na época tinha sido explicado para a imprensa que existiam mais duas sepulturas no local. Aparentemente é uma delas o foco da coletiva que ocorrerá na manhã de hoje.

Artefatos encontrados na tumba de Userhat. Foto: Luxor Times.

Não foram revelados muitos detalhes do que foi encontrado, exceto que a visada sepultura provavelmente pertenceu a um sacerdote importante e que a sua escavação ainda está em andamento. Entretanto, vários ushabtis, máscaras mortuárias e outros artefatos feitos de cerâmica e faiança foram descobertos. No local igualmente foram encontrados vários restos humanos mumificados.

Esta notícia está sendo recebida com muita expectativa pelos pesquisadores e espera-se que em algumas horas mais novidades sejam reveladas.

 

Fonte:

Exclusive: Egyptian archaeologists discover 3500 years old tomb contains many mummies. Disponível em <http://luxortimesmagazine.blogspot.com.br/2017/09/exclusive-egyptian-archaeologists.html?utm_content=buffer2fa9d&utm_medium=social&utm_source=twitter.com&utm_campaign=buffer >. Acesso em 08 de setembro de 2017.

 

Um modelo de jardim com quase 4 000 anos foi descoberto em tumba egípcia

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille | Instagram

Mês passado foi comentado aqui no Arqueologia Egípcia o achado de um rico conjunto de artefatos funerários em Draa Abu-el Naga (próximo a Luxor). Hoje (03/05/17) este sítio arqueológico esteve novamente na mídia, mas desta vez com a descoberta de um modelo um jardim funerário feito de adobe. “Nunca foi encontrado (um jardim funerário) assim na antiga Tebas”, disse o diretor do Projeto Djehuty — missão espanhola responsável pelas pesquisas — José Manuel Galán. “(Ele) provavelmente tinha um significado simbólico, e tinha algum tipo de papel em rituais fúnebres”[1].

Foto: MSA

O jardim está no pátio de um túmulo datado do Médio Reino. “A descoberta deste jardim pode fornecer informações sobre as técnicas ambientais e de jardinagem na antiga Tebas (hoje Luxor) na época do Médio Reino, por volta de 2000 a.C.”[1], disse o diretor do Departamento de Antiguidades do Ministério, Mahmoud Afifi.

Ele mede 3 por 2 metros e está dividido em pequenos nichos com cerca de 30 centímetros, onde foram cultivadas plantas e flores. Dentro de cada área os pesquisadores detectaram uma pequena camada de lodo, consequência de água retida, confirmando a utilização da estrutura como jardim ou horta.

Foto: MSA

Também foi constatado que em uma esquina do jardim existia ao menos uma árvore que daria sombra e abrigo aos sacerdotes encarregados das oferendas funerárias. Suas raízes e parte do seu tronco foram identificadas.

Foto: MSA

Próximo ao local também foram encontradas peças de cerâmicas que fizeram parte dos ritos fúnebres executados no momento do enterro. Uma tigela, encontrada de bruços, preservou muito bem seu conteúdo: Quatro tâmaras e outras frutas as quais ainda não foram identificadas.

 

Fonte:

[1] Egiptólogos españoles recuperan un raro jardín funerario de 4.000 años en Luxor. Disponível em < http://www.abc.es/cultura/abci-egiptologos-espanoles-recuperan-jardin-funerario-4000-anos-luxor-201705031349_noticia.html >. Acesso em 03 de maio de 2017.

4 000-year-old model garden found outside Egypt tomb. Disponível em < http://www.news24.com/Africa/News/4-000-year-old-model-garden-found-outside-egypt-tomb-20170503 >. Acesso em 03 de maio de 2017.