Explorando os templos de Karnak e Luxor

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille | Instagram

Waset, hoje chamada de Tebas, foi durante uma parte da história faraônica o centro econômico e administrativo do Egito. Seu auge se deu no início do Novo Império, na 18ª Dinastia, quando o seu deus padroeiro, Amon, virou divindade suprema, recebendo, inclusive, um sincretismo com Rá, divindade solar primordial, tornando-se Amon-Rá.

Foi em Tebas onde foram erigidos dois grandes complexos de templos que existem até hoje: Karnak e Luxor.

KarnakColunas de Karnak

Infelizmente nem todos possuem dinheiro para poder ir ao Egito e visitar estas estruturas pessoalmente, mas sempre existe alguém na internet disposto a compartilhar sua experiência. Abaixo estão dois vídeos onde é possível conhecer um pouco mais esses dois complexos, mas a partir do ponto de vista de um turista comum. Em ambos o visitante só caminha passando pelas estruturas arquitetônicas. É realmente bem interessante. Confira a seguir.

Karnak:

Nele foram encontrados templos datados da 12ª Dinastia até o Período Romano. É composto por construções dedicadas a Amon, Montu, Mut e Khonsu.

Luxor:

Possui um templo dedicado a Amon e construções datadas da 18ª Dinastia até a época do reinado de Alexandre Magno.

É descoberta estátua da rainha Tiye, mãe do faraó Akhenaton

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille | Instagram

Um missão arqueológica euro-egípcia encontrou em Luxor, em um templo do faraó Amenhotep III (Novo Império; 18ª Dinastia), uma estátua de alabastro de uma das suas esposas, a rainha Tiye, com a qual teve sete filhos, dentre eles o faraó Akhenaton.

De acordo com a arqueóloga responsável pela descoberta, Hourig Sourouzian, a escultura foi encontrada de forma fortuita, quando se levantava um colosso de Amenhotep III. A imagem foi esculpida na parte inferior dos seus pés e de acordo com o Ministério das Antiguidade do Egito é a primeira vez que uma estátua da rainha feita com esse tipo de material é encontrada no interior do templo.

Foto: Ministério das Antiguidades do Egito.

Em complemento, a imagem ainda conserva parte da pintura que a cobriu um dia de forma integral. Por esse motivo ela necessitará de um cuidado de restauro delicado.

 

Fonte:

Hallan una estatua de alabastro de la reina Tiye, abuela de Tuntakamón. Disponível em < http://www.abc.es/cultura/abci-hallan-estatua-alabastro-reina-tiye-abuela-tuntakamon-201703231424_noticia.html >. Acesso em 25 de maio de 2017.