A múmia da Rainha Nefertari foi mesmo encontrada?

Por Márcia Jamille | @MJamille | Instagram

A rainha Nefertari (Novo Império; 19ª Dinastia) foi uma das esposas do faraó Ramsés II. Ficou famosa graças ao templo dedicado a ela em Abu Simbel e a sua tumba, uma das mais ricamente decoradas do Egito.

Saiba mais: Lindas imagens dos templos de Ramsés II em Abu Simbel

Nefertari

Rainha Nefertari

Descoberta no Vale das Rainhas por Ernesto Schiaparelli em 1904, a QV-66, sua sepultura, foi saqueada ainda na antiguidade. Contudo, foi possível encontrar no lugar alguns objetos quebrados, inclusive um par de pernas mumificadas, que foram levadas para o Museu Egípcio de Turim. Por estarem no sepulcro da governante, foi subentendido que pertenciam a própria rainha (HABICHT, 2016).

Leia também: A restauração na tumba de Nefertari

Quem foi Nefertari?

Existe muita especulação acerca da sua origem, mas é certo que ela se casou com Ramsés II antes da coroação do mesmo. Possivelmente foi mãe de quatro meninas e quatro meninos. Participou da inauguração dos trabalhos em Abu Simbel no 24º ano de reinado de Ramsés II e provavelmente faleceu no mesmo ano ou no seguinte (O’CONNOR et al, 2007; HABICHT et al, 2016).

Nefertari 4

Templo de Nefertari em Abu Simbel

Dentre os seus títulos estavam os “Esposa do Deus”, “Mãe do Deus”, “Dama Adorável”, “Digna de Louvor”, “Bela de Rosto” e “Doce Amor”. E entre os seus deveres estavam os de cumprir papeis relacionados com a política e a religião (O’CONNOR et al, 2007).

A análise dos restos humanos

Esse ano, 2016, um grupo de pesquisadores (Michael E. Habicht, Raffaella Bianucci, Stephen A. Buckley, Joann Fletcher, Abigail S. Bouwman, Lena M. Öhrström, Roger Seiler, Francesco M. Galassi, Irka Hajdas, Eleni Vassilika, Thomas Böni, Maciej Henneberg, Frank J. Rühli) publicou um artigo na Plos One onde apresentaram os resultados de uma pesquisa realizada com as pernas encontradas na QV-66, com a finalidade de tentar descobrir se, de fato, elas são remanescentes da governante. Os restos foram radiografados, medidos e passaram por uma datação em Carbono 14 (HABICHT et al, 2016).

As pernas mumificadas. Foto: Museo Egizio Turin.

Atualmente em exposição no Museu Egípcio de Turim, as pernas foram catalogadas com o tombo Suppl. 5154 RCGE 14467 e consiste em três partes (HABICHT et al, 2016):

  • Uma parte do fêmur, patela e parte da tíbia;
  • Parte de uma tíbia;
  • Pequena parte de um fêmur.

Foi constatado que os restos pertencem a um adulto do sexo feminino e que, inclusive, fez poucos esforços em vida. Por conta das condições clínicas dos ossos a equipe considerou que essa pessoa possuía entre 40 e 60 anos de idade no momento da sua morte. E através da reconstrução antropométrica foi considerado que possuía de 1,65 a 1,68 cm de altura (HABICHT et al, 2016).

Em relação ao exame de DNA, não foi possível tirar amostras viáveis e a datação por Carbono 14 foi inconclusiva (HABICHT et al, 2016).

Afinal, a quem pertenceu essas pernas?

Ao contrário do que alguns sites estão veiculando, na conclusão do artigo a equipe deixa claro que não existe certeza absoluta de que essas pernas pertenceram a Rainha Nefertari, embora os pesquisadores participantes considerem ser ela o cenário mais provável. Ou seja, o caso ainda está em aberto.

Referências bibliográficas:

HABICHT, Michael E.; BIANUCCI, Raffaella; BUCKLEY, Stephen A.; FLETCHER, Joann; BOUWMAN, Abigail S.; ÖHRSTRÖM, Lena M.; SEILER, Roger; GALASSI, Francesco M.; HAJDAS, Irka; VASSILIKA, Eleni; BÖNI, Thomas; HENNEBERG, Maciej; RÜHLI, Frank J. Queen Nefertari, the Royal Spouse of Pharaoh Ramses II: A Multidisciplinary Investigation of the Mummified Remains Found in Her Tomb (QV66) Published: November 30, 2016 http://dx.doi.org/10.1371/journal.pone.0166571

O’CONNOR, David; FREED, Rita; KITCHEN, Kenneth (b). Ramsés II (Tradução de Francisco Manhães, Marcelo Neves). Barcelona: Fólio, 2007.

RICE, Michael. Who’s Who in Ancient Egypt. Londres: Routledg. 1999

Márcia Jamille

Arqueóloga formada pela UFS com a monografia “Egito Submerso: a Arqueologia Marítima Egípcia” e mestra em Arqueologia também pela UFS com a pesquisa “Arqueologia de Ambientes Aquáticos no Egito: uma proposta de pesquisa das sociedades dos oásis do Período Faraônico”. É administradora do Arqueologia Egípcia e autora do livro "Uma viagem pelo Nilo". [Leia seu perfil]