Nome encontrado em pirâmide da 13ª Dinastia é do faraó Ameny Qemaw

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille | Instagram

No último dia 03/04/17 anunciei aqui no A.E. a descoberta de restos de uma pirâmide datada do Segundo Período Intermediário em Dashur. Também noticiei que o nome do dono da tumba era desconhecido. Contudo, ele já foi identificado: chamava-se Ameny Qemau.

Foto: Ministério das Antiguidades do Egito.

Essa conclusão foi alcançada após o site Live Science entrar em contato com dois egiptólogos e apresentar a foto do bloco de alabastro com as inscrições: James Allen, professor de egiptologia da Universidade Browne e Aidan Dodson, pesquisador da Universidade de Bristol.

Ambos disseram que a inscrição no bloco é um tipo de texto religioso usado nas paredes das pirâmides e que o nome escrito é do faraó Ameny Qemau, quinto rei da 13ª Dinastia e que governou somente por dois anos. Outro egiptólogo, Thomas Schneider, professor de egiptologia e estudos do Oriente Próximo na Universidade da Colúmbia Britânica, também concordou com a conclusão dos colegas.

Foto: Ministério das Antiguidades do Egito.

Porém, esta história não acaba por aqui: uma outra pirâmide pertencente a esse mesmo governante foi descoberta em 1957, também em Dashur.

Os motivos para Ameny Qemau ter duas pirâmides é um mistério, mas Dodson, que é coautor de um artigo sobre a descoberta de 57, sugeriu que talvez ele tenha usurpado a segunda pirâmide encontrada. Ele se apoia na baixa qualidade das inscrições hieroglíficas que estão nos cartuchos, indicando que o escultor teve que escrevê-los sobre uma área que foi cinzelada (possivelmente para apagar o que existiu anteriormente lá).

O Ministério das Antiguidades do Egito anunciou que pesquisas ainda estão sendo realizadas na área.

Fonte:

[1] 2nd Pyramid Bearing Pharaoh Ameny Qemau’s Name Is Found. Disponível em < http://www.livescience.com/58531-second-pyramid-pharaoh-ameny-qemau-discovered.html >. Acesso em 05 de abril de 2017.

Studies on newly discovered pyramid point to 13th Dynasty King Kamaw. Disponível em < http://english.ahram.org.eg/News/262348.aspx >. Acesso em 05 de abril de 2017.

Márcia Jamille

Arqueóloga formada pela UFS com a monografia “Egito Submerso: a Arqueologia Marítima Egípcia” e mestra em Arqueologia também pela UFS com a pesquisa “Arqueologia de Ambientes Aquáticos no Egito: uma proposta de pesquisa das sociedades dos oásis do Período Faraônico”. É administradora do Arqueologia Egípcia e autora do livro “Uma viagem pelo Nilo”.
[Leia seu perfil]