Tumba de mais de 3.000 de um “tesoureiro real” é descoberta no Egito

Por Márcia Jamille | @MJamille | Instagram

Esta semana tivemos mais um anúncio de uma descoberta arqueológica realizada no Egito, desta vez é na área de Tuna Al-Gabal em Minya. Lá uma equipe egípcia de arqueologia descobriu a tumba de um supervisor do tesouro real chamado Ba di ist.

Foto: Ministério de Turismo e Antiguidades

Mustafa Waziry, Secretário-Geral do Supremo Conselho de Antiguidades e chefe da missão, explicou que o túmulo consiste em um poço de sepultamento que contém 10 metros de profundidade. Tal poço leva a uma grande sala com nichos esculpidos na rocha. Nesse espaço foram encontradas duas estátuas: uma representando uma mulher e outra representando o deus Ápis, divindade em forma de um touro.

Foto: Ministério de Turismo e Antiguidades

O grande destaque está em quatro jarros canópicos (recipientes onde os órgãos das múmias eram guardados) feitos com alabastro e que estão em ótimo estado de conservação. Caso queria conhecer um pouco sobre o que são vasos canópicos e sua serventia, tem um vídeo no nosso canal:

Outros artefatos foram encontrados, dentre eles 400 ushabtis de faiança azul e verde com o nome do falecido. Ushabtis são estatuetas que eram colocadas nos túmulos para que pudessem exercer trabalhos manuais no além em nome do morto.

Foto: Ministério de Turismo e Antiguidades

Não ficou de todo claro no comunicado de imprensa, mas aparentemente mais seis sepultamentos de membros da família de Ba di ist — contendo cerca de 1.000 ushabtis de faiança e outros grupos jarros canópicos, foram encontrados na região. Além disso, 4 sarcófagos de pedra foram descobertos intactos, ainda selados com argamassa. Esses sepultamentos foram datados como pertencentes a 26ª e 30ª dinastias.

Fonte:

Egypt- Tomb of ancient Royal Treasury Supervisor uncovered in Minya Governorate. Disponível em < https://menafn.com/1101011944/Egypt-Tomb-of-ancient-Royal-Treasury-Supervisor-uncovered-in-Minya-Governorate >, acesso em 28 de outubro de 2020.

Arqueóloga formada pela UFS com a monografia “Egito Submerso: a Arqueologia Marítima Egípcia” e mestra em Arqueologia também pela UFS com a pesquisa “Arqueologia de Ambientes Aquáticos no Egito: uma proposta de pesquisa das sociedades dos oásis do Período Faraônico”. É administradora do Arqueologia Egípcia e autora do livro "Uma viagem pelo Nilo". [Leia seu perfil]