Egito renova detenção de empresário acusado de financiar escavações de antiguidades

Por Márcia Jamille | @MJamille | Instagram

Este mês de novembro, o Egito renovou o pedido de detenção do empresário Hassan Rateb por suspeita de financiamento de escavações ilegais em áreas de sítios arqueológicos. Rateb possui um grupo de investimentos no norte da Península do Sinai, incluindo a Universidade do Sinai, a Sinai White Cement Factory, o Sama Sinai Investment Group e a Sinai Development Foundation. Ele permanecerá mais 45 dias em cárcere enquanto aguarda a investigação. Outros dois nomes estão sendo acusados pela promotoria: Alaa Hassanein e seu irmão (não identificado pela reportagem).

No momento de sua prisão, Hassanein estava em posse de artefatos arqueológicos tais como estátuas, pedras e moedas. Objetos que podem pertencer a diferentes períodos egípcios desde o pré-dinástico à época islâmica, ou seja, um intervalo temporal que abrange mais de 5.000 anos de história.

Fonte:
Egypt renews detention of businessman in funding antiquities excavation case.
Disponível em < https://www.middleeastmonitor.com/20211105-egypt-renews-detention-of-businessman-in-funding-antiquities-excavation-case/>. Acesso em 14 de novembro de 2021.

Arqueóloga formada pela UFS com a monografia “Egito Submerso: a Arqueologia Marítima Egípcia” e mestra em Arqueologia também pela UFS com a pesquisa “Arqueologia de Ambientes Aquáticos no Egito: uma proposta de pesquisa das sociedades dos oásis do Período Faraônico”. É administradora do Arqueologia Egípcia e autora do livro "Uma viagem pelo Nilo". [Leia seu perfil]