Zahi Hawass é demitido

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille

Ao voltar de sua excursão no exterior (para divulgar o não roubo de peças arqueológicas), o Dr. Zahi Hawass foi recebido por estudantes de Arqueologia que exigiam a sua saída com insultos e difamações, e desta vez foram atendido: dentre o dia 15 e 16 deste mês (Julho) Hawass foi demitido do seu cargo de Ministro das Antiguidades do Estado.

Dr. Zahi Hawass. Foto disponivel em < http://bikyamasr.com/wordpress/?p=27371 > Acesso em 17 de Julho de 2011.

Este mês a National Geographic Society já tinha “dispensado” Hawass do seu título de “explorador-residente” (cargo especial recebido por fotógrafos ou cientistas para fazer “explorações” em nome da National Geographic, que as divulga para o mundo) assim como também foi inocentado do da acusação que vinha recebendo de corrupção em um caso de um Edital mal resolvido no Supremo Conselho de Antiguidades.

Um dos nomes favoritos para substituí-lo é o de Dr. Alaa Shahin (embora exista mais um nome ainda não revelado que se espera que assuma o Ministério).

Hawass ainda não comentou sua situação em seu site oficial e nem em seu Twitter. Neste link pode ser conferida a lista de demissões e contratações (Hawass é o primeiro a ser citado). E clique aqui para ver o primeiro site a veicular a notícia.

Veja também: Querem Hawass fora do ministério

Para notícias atualizadas e comentadas sobre o assunto siga o meu Twitter.

Atualização – 14h40 (17/07/2011):

Hawass acabou de confirmar no  Youm7 que de fato, por decisão do Ministério Publico, ele não é mais Ministro.

Ele também disse ao jornal que um grupo de Arqueólogos tentou atacá-lo enquanto ele saia do prédio.

O Youm7 também acabou de anunciar que Abdel Fattah al-Banna, professor da Universidade do Cairo, será o novo Ministro.

Atualização – 23h43 (18/07/2011):

 As principais acusações que Zahi Hawass está sofrendo: a de má administração de artefatos, “negócios questionáveis” em relação às antiguidades e, de acordo com o Kvia, dar alguns dos “tesouros nacionais” de presente para Mubarak.

Atualização – 07h50 (19/07/2011):

Zahi Hawass é demitido do Ministério de Antiguidades egípcio

Arqueólogo, famoso em todo mundo, foi retirado do cargo após meses de pressão dos opositores do regime de Housni Mubarak

iG São Paulo 18/07/2011 20:08

     

 

 

Hawass e a “Jovem Dama”. Disponível em < http://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/zahi+hawass+e+demitido+do+ministerio+de+antiguidades+egipcio/n1597088537943.html >. Acesso em 19 de Julho de 2011.

 

O ministro de Antiguidades do Egito, Zahi Hawss, 64 anos, uma das personalidades egípcias mais conhecidas do mundo, foi demitido de seu cargo no domingo (17) após meses de pressão de críticos que atacavam sua credibilidade e o acusavam de ser próximo demais do regime de Housni Mubarak.

Conhecido nos círculos arqueológicos por gostar mais de publicidade do que de ciência, Hawass perdeu seu cargo junto com outros doze ministros, numa manobra de apaziguamento de manifestantes que pedem o expurgo dos resquícios do governo de Mubarak.

“Ele era o Mubarak das antiguidades”, afirmou a ativista e arqueóloga Nora Shalaby. “Agia como se fosse dono das arqueologia do país, e não como se ela pertencesse ao povo egípcio”.

Apesar das críticas, Hawass era creditado por aumentar o interesse na arqueologia e turismo egípcios, um dos pilares da economia do país. Mas especialistas afirmavam que não havia pesquisa séria por trás de seu trabalho.

Segundo Nora, Hawass não aceitava críticas a seu trabalho. Ela disse que suas descobertas eram mais para sua auto-promoção, “reciclando” algumas descobertas antigas atrás de notoriedade para si mesmo.

Ele se autoproclamava “guardião” da herança cultural egípcia. Em 2009, em uma entrevista a uma revista do país, afirmou que George Lucas, criador da série de cinema “Indiana Jones” teria ido visitá-lo no Egito “para conhecer o verdadeiro Indiana Jones”.

Hawass começou como inspetor de antiguidades em 1969, e sua carreira evoluiu até ser um dos nomes mais conhecidos no ramo da egiptologia. Tornou-se o diretor geral de antiguidades da região de Gizé no fim dos anos 1980, antes de ser alçado ao cargo de maior arqueólogo do Egito em 2002. Um dos últimos atos de Mubarak foi elevar sua posição à de um ministro de gabinete. Após a queda do presidente, Hawass ofereceu sua demissão mas foi recolocado ao cargo, até ser finalmente demitido ontem.

Hawass foi associado à maioria das escavações arqueológicas no Egito, com descobertas grandiosas como a escavação do Vale das Múmias do Oásis Bahariya em 1999 e o descobrimento da múmia da rainha Hatshepsut, cerca de dez anos mais tarde.

Ele era figura freqüente em programas científicos na TV. O Discovery Channel o acompanhou durante o achado de Hatshepsut, e chegou a ter um reality show em outro canal de TV a cabo. Uma de suas maiores campanhas era o repatriamento de artefatos egípcios levados a outros países durante a época colonial, recuperando cerca de 5000 peças. Um dos casos mais recentes foi a campanha pela recuperação de um busto da rainha Nefertiti de 3300 anos, exibido há décadas em um museu de Berlim.

Hawass também tinha uma linha de roupas, inclusive de seu chapéu (sua marca registrada), cujas fotos promocionais foram tiradas no Museu Egípcio, o que atraiu a ira de muitos arqueólogos. “Ele foi uma personalidade criada pela mídia,” afirmou Abdel-Halim Andel-Nour, presidente da Associação de Arqueólogos Egípcios.

Hawass foi subistituído por Abdel-Fattah el-Banna, um professor de restauração conhecido da mídia egípcia por sua participação nos protestos na praça Tahrir.

(Com informações da AP)

Reportagem disponível em < http://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/zahi+hawass+e+demitido+do+ministerio+de

+antiguidades+egipcio/n1597088537943.html > Acesso em 19 de Julho de 2011.

 

 

Atualização – 09h17 (19/07/2011):

Citei mais acima que o Hawass foi atacado quando saia do Ministério. Existe um vídeo do momento do ocorrido (Hawass está sentado no passageiro ao lado do motorista):

 

 

Devido a nomeação do novo ministro, alguns arqueólogos entraram em greve, pois duvidam da credibilidade de Abdel Fattah al-Banna.

Atualização – 15h36 (20/07/2011):

 

A nomeação de El-Banna para substituir Hawass foi retirada. Ela foi rejeitada pela secretaria do Supremo Conselho  de Antiguidades do Egito, uma vez que El-Banna é restaurador, e não arqueólogo. Sete novos nomes foram indicados, mas seis podem ser conferidos aqui: Abdel Halim Noureddin, Raafat al-Nabrawi, Wagdi Abbas, Hasan al-Saadi, Mohammed Hamza e Adel al-Toukhi.

Atualização – 16h27 (22/07/2011):

Saiu a nova lista de ministros egípcios e o Ministério de Antiguidades não consta. Uma nota de impressa fala que todos os relatórios de escavação serão enviados ao Ministério Público Egípcio. O Almasryalyoum comentou sobre o assunto.

Márcia Jamille

Arqueóloga formada pela UFS com a monografia “Egito Submerso: a Arqueologia Marítima Egípcia” e mestra em Arqueologia também pela UFS com a pesquisa “Arqueologia de Ambientes Aquáticos no Egito: uma proposta de pesquisa das sociedades dos oásis do Período Faraônico”. É administradora do Arqueologia Egípcia e autora do livro "Uma viagem pelo Nilo". [Leia seu perfil]

37 comentários sobre “Zahi Hawass é demitido

  1. “Que pena”!!
    Ele parecia um senhorzinho tão simpático. Até eu começar a vê-lo em caçador de múmias.

    Ótimo site, entrou pra minha seleta lista em favoritos!! Ao lado do History channel.
    Abçs

  2. Hawass era rigoroso e muitas vezes autoritario como se percebe em suas entrevistas e documentarios ,elevou a credibilidade da arquelogia egipcia a um patamar nunca antes visto.
    A sua demissao nada mais e que um levante politico contra o governo anterior e todos aqueles que dele faziam parte.
    Hawass ,para mim , era um patriota que defendia o patrimonio egipcio e a exigia cunho cientifico em todas as pesquisas e escavacoes centralizando e fiscalizando , como deve ser feito.
    Como estudioso auto didata a mais de 20 anos , fico receoso dos caminhos que estas mudancas poderao levar.

  3. AHHHHH gostava dele mesmo com o jeito mandão e autoritário ele fazia o certo preservava as heranças egípcias pra mim só fizeram ele sair de la la por inveja

    • Mas se isto te deixa tranqüila: ele enviou uma mensagem para os fãs falando que está feliz por se dedicar somente a vida dele agora (embora tenha que encarar os perrengues judiciais) e que planeja ainda escrever livros (já que pela idade dele ele já deveria estar aposentado).

      Abraços!

  4. Excelente trabalho Márcia,

    Que possas continuar esse seu ótimo trabalho. Tenho certeza que ainda poderás acrescer seus préstimos à história do mundo, ainda, em muito desconhecida!

    É fato, a olhos vistos que o professor Hawass esteja sendo muito pressionado, a verdade tem seu preço, somos acuados e obrigados a nos afastar da sociedade sempre que uma verdade é dita.

    No entanto é dever de todos fazer prevalecer a realidade, apesar das oposições!

    Grato,

    Evandro Lira

    • Muito obrigada Evandro pelo apoio e comentário.
      Vamos torcer para que a justiça seja feita e que se o Dr. Hawass for culpado que seja julgado, mas se for inocente que volte a sua vida normal, mas desta vez tranquila.
      Abraços!

  5. Foi muito bem feito pra ele. Zahi Hawass é um grosso, estúpido, ignorante, não sabe conversar, só sabe gritar e tratar mal os subordinados e o que não é descoberto por ele, na visão dele, não vale nada! (vide o caso da Dra. Joan Fletcher) O cara acha que é Faraó! Quem ele acha que é pra tratar os outros assim? Tomara que seja expulso mesmo!

    • Olá Carol.

      Me excluindo totalmente do que fez ou deixou de fazer o Hawass darei agora uma de advogada: O caso da Joan foi justificável. Ela não desrespeitou exclusivamente ele, desrespeitou todos os arqueólogos que trabalham de acordo com a lei imposta pelo SCA, além de lançar uma descoberta calcada em evidencias totalmente equivocadas. Você no papel de um pesquisador que trabalha em um país que não seja o seu o mínimo que deve fazer é seguir as regras impostas pelo governo.

      Abraços!

  6. Comentário editado pela moderação por possuir palavras chulas:

    bem feito,seujeitinho arrogante e prepotente e olha q nem sei nada sobre arqueologia só conheçi essa ameba a 2 semanas atras depois q assinei a sky e começei assistir hystori channel e achei um absurdo como esse imbecil trata as pessoas e se acha o maximo só por q desenterra mumias(grande mer*a)e acha q tem o direito de humilhar as pessoas ..fiquei pu*o , fez a garota mi*ar nas calças e ainda brigou e humilhou a coitada. achava q o meu chefe era ignorante mais depois q conheçi esse imbecil descobri q reclamava de barriga cheia

    • Eu vou fingir que não li a parte de que desenterrar múmias é “Grande mer*a”.

      Todos possuem o direito de demonstrar sua opinião acerca de um assunto, mas já percebi por alguns comentários que existem leitores que estão utilizando o espaço do Arqueologia Egípcia para extravasar sua indignação para com a figurar do Hawass.

      Vocês precisam entender que independente de fama e dos processos jurídicos o homem ainda faz parte da academia e consequentemente é meu “colega”, e em um espaço de colegas determinadas coisas não podem ser ditas.

      Quando o Hawass foi demitido choveu comentários bizarros no Facebook dele. No Facebook! Um espaço feito para socializar e compartilhar idéias, tinha gente (se ainda não tem) que passava em sua página pessoal para deixar mensagens de ódio. Não é coisa só de brasileiro, o mundo é um local de julgamentos sumários.
      Vamos esperar o julgamento dele, esperar que a justiça seja feita. Vamos até levar por um lado bom: nesta situação ainda tem processo jurídico rolando, aqui, no nosso próprio país, tem gente aprontando nas várias áreas do conhecimento na nossa cara e tratamos como se não tivéssemos nada a ver com isto.

      Abraços!

  7. O seguinte comentário foi editado por estar em caixa alta (o comando “Caps Lock” ativado):

    Olá,sou um grande amante da história e da arqueologia e´sinceramente eu achei mais do que justa a demissão do senhor Zahi Hawass. Ele não passava de um explorador egocentrico que vivia em função da sua própria auto-promoção. Em momento nenhum ele se preocupava com o Egito e com a história

    • Olá Carlos, tudo bom?

      Primeiramente obrigada pelo comentário.

      O Hawass tem os seus (grandes) defeitos, mas foi um dos poucos que promoveram o resgate de peças arqueológicas roubadas em uma época em que isto era tratado como absurdo (para mim foi o seu maior feito). Dentre tantas coisas eu acho que ao menos isto não deve ser tirado dele.

      Abraços.

  8. O objetivo maior é o que prevalece, a vida pessoal e o jeito de ser de um cientista, historiador, artista, etc; não interessa!

    O Sr. Hawass tinha (tem) por uma das grandes metas, reunir as peças oriundas para o lugar onde realmente deveriam estar, ou seja, o Egito. A propósito, quem realmente conhece ao menos parte da história egípcia desde tempos remotos, quando os primeiros lá chegaram, sabe da importância da montagem de todo quebra-cabeça e, o Dr. foi o único que se propôs a “tentar” reunir tais artefatos, por óbvio, para “desespero” de muitos colecionadores ou países de fato egoístas e mesquinhos.

    Ainda, vislumbrando-se o regime em que o professor estava exposto, inclusive, sob a política ditatorial, não havia muito o que se fazer,…(nadar contra a maré na ocasião era pedido de naufrágio) e,…sem maiores delongas, para bom entendedor meia palavra basta!..

    O importante é que o ‘caminho’ foi aberto, outro continuará o trabalho do Dr. Hawass, inevitavelmente, senão agora, creio que num futuro próximo!

    Abraço à todos!

  9. Ola Marcia….fiquei muito “decepcionada” com a demissão deste ícone da arqueologia, mesmo sabendo que pela lei ele já deveria estar aposentado,sabe estudei arqueologia e adoro história, mais deprecia-lo por ser autoritário e egoísta , todos nós temos defeitos e os dele jamais superariam as inumeras contribuições, que através do trabalho dele foram feitas ao Egito e sem dúvidas á arqueologia. Não existe fórmula para liderar, logo podemos não agradar a todos, mais só os bons líderes é que chamam a atenção das pessoas….como ele mesmo já disse , você precisa ser APAIXONADO por algo , só gostar não é suficiente. Na minha opinião o balanço da vida profissional do Dr.Hawass fechou com lucro e bem alto rsrsrs… Obrigado pela oportunidade. Tchau.

  10. OI Marcia
    acredito que voce acompanhe a situação do Egito com bastante interesse, então gostaria de saber sua opinião sobre viajar ao
    Egito em janeiro de 2012. Também gostaria de saber que lugares
    voce considera os mais importantes para serem visitados, digo
    além dos que já são enfatizados pela mídia.
    Obrigada! Vou seguir lendo as publicações!

    • Patricia,

      Não sou a pessoa mais indicada para responder estas perguntas, mas a dica que dou é que siga o roteiro das agencias de turismo, já que alguns bairros do Egito, ouvi dizer, estão mais sujos que o normal e alguns sítios estão degradados devido ao descaso do atual governo.

      Abraços.

  11. É claro que a autora do blog é a favor do Sr. Hawass. Então parece que opínar aqui em desagrado à ele não parece ser uma coisa que vai ser aceita… De fato, há quem goste dele e há quem não goste, eu sou um deles, que não gosta! Sempre o achei um egocêntrico, se ele tem mérito ou não de da “caça aos tesouros roubados” isso é irrelevante, já que qualquer um no posto dele no mínimo deveria agir assim. É notório que ele agia como se todas as antiguidades do Egito fossem dele, e não do país. Ele gostava é de aparecer, e de dinheiro, como ficou provado com as denúncias de corrupção, afinal, onde há fumaça, há fogo… Eu sou a favor da arqueologia e dos cientistas que dedicam uma vida preciosa inteira ao estudo maravilhoso da antiguidade e não de um político que gosta de aparecer como essa pessoa. Infelizmente é o que ele era.

    • Oi Georges,
      Não sou a favor de Hawass, pelo contrário. Porém me irrita muito que os leitores venham mostrar suas opiniões acerca dele aqui (como se adiantasse alguma coisa, se querem falar mal que escreva para o e-mail dele, não sou obrigada a ficar lendo as mensagens mal-educadas relativas a ele).
      È necessário lembrar que assim como Hawass sou arqueóloga e por mais que ele faça coisas deploráveis em termos profissionais é antiético que eu escreva coisas sobre ele e principalmente sem que ele tenha sido julgado pela corte egípcia, daí é calunia.
      De egocêntricos e cretinos a Arqueologia está cheia, se for para ficar falando de todos eles o Arqueologia Egípcia ficará abarrotado disto.
      Obrigada pela visita.

  12. Olá, bom dia!
    Estudo Museologia, na UFS. Acho que já nos vimos por lá. Sobre o assunto abordado, é fato, que como seres humanos, tendemos ao fervor em nossas opiniões, mas enquanto estudiosos e pesquisadores, deveríamos ao menos evitar expor o que sentimos ou achamos do ser em si, e trabalhar em prol do profissional, do divulgador e pesquisador. O Zahi Hawass é um figura idiossincrática, mas enquanto profissional, teve seu grande momento ao fazer com que vários artefatos voltasse ao país de origem e direito histórico. Que se faça a justiça, diante do que conhecemos dela: observe-se os fatos, analise-os e decida o que se deve ser feito ou não.

    • Que legal, uma estudante de Museologia da UFS comentando aqui! Isto me deixa bastante honrada uma vez que somos da mesma instituição. Se acabarmos nos batendo por lá me dá um “alô”!
      Obrigada por seu comentário Mara, abraços!

      • O farei sim, de prontidão. Não o fiz antes, pois não sabia do teu trabalho. Acabei encontrando teu blog, enquanto ‘vadiava’ ciberneticamente. kkkkkkkkk…
        Desde já, digo que foi um grande achado.
        Abraços fraternos!

  13. Pois é… não sei dizer se a saída dele é boa ou não, concordo com todas as criticas feitas. Ele de fato era autoritário em demasia, não era cientificamente correto,parecia, e de fato, distorceu dados históricos,a favor de dogmas da religião islâmica,e também do materialismo/ateísmo.

    É um homem complexo com um ENORME ego, acho até que ele se achava um faraó do Egito (Risos), como era mesmo o apelido dele.

    Na série caçador de múmias do History channel [que eu coloquei inteira no Youtube] dá para notar que todas as criticas feitas pelos arqueólogos opositores é verdade, aliás, acho que foi esse realit show que acabou com ele de vez (Risos).

    Abraço.

  14. foi um prazer, se quiser ver a série caçador de múmias inteira, basta pesquisar no youtube, eu coloquei tudo na ordem.

    Abraço e sucesso!

  15. Não obstante a (possível) competência de Hawss, nunca vi alguém mais arrogante, prepotente e grosseiro que ele…

  16. Lí todos os comentários e acho tambem que não pode se deixar de falar da petulância deste sr. agora, exatamente agora a16:52 do dia12/03/2012
    estou assistindo the history um programa com este sr e vou te contar!
    ele pessoalmente não fez NADA, e fica dando explicações como se tivesse mergulhado e retirado um pilone de cleopatra. este tipo de pessoas está por fora hoje, causa a ira e desconforto entro as pessoas que trabalham na area. o mundo não tem mais lugar para pessoas assim.
    quanto os achados? qualque arqueologo com todo este aparato e equipe tem condições de achar e fazendo mais. É melhor o mundo sem petulantes.

  17. Esta mensagem foi editada por ter sido escrita em caixa alta:

    Fico triste com a situação do Dr Zahi, parece que ele está sofrendo um expurgo, e tem semelhanças com os sofridos pela rainha Hatschpsut e pelo faraó Akhnaton, riscados da história com tanta veêmencia, esses preciosos personagens que ele tantou amou… Recordo como ele os definia e os recolocava no justo lugar de suas importâncias, e parece-me que um estudioso assim não se prestaria a usar os objetos de seu estudo como um meio de se promover…
    Sempre que eu vi o Dr. Zahi nos documentários, tive a intensa sensação de seu amor por seu país, um inquieto mais que arrogante, sobre cujas costas pesavam o fardo da posição que ocupava…
    o tempo e a Mâat dirão toda a verdade acerca dessa polêmica.
    Rio de Janeiro, maio de 2012.

  18. Estou lendo um livro “Os ultimos dias de jesus Cristo” bom demais depois vou procurar algo sobre Tut.neste mundo de estudos tudo tem seu tempo aproveitem.

  19. Sinceramente, ele é a lenda, ele é um cara totalmente compreensivo, as pessoas tinham medo de suas respostas, mas o que ele queria ver eram as atitudes, e nunca glorificava ou levantava a moral de ninguém por qualquer atitude. Entretanto suas maiores atitudes que ganhou meu respeito foi participar a retirada das moradias e edifícios do caminho das esfinges que estavam acima de uma riqueza, um pedaço da história, e hoje quase totalmente restaurada, está aberta para o público, gerando mais um ponto turístico do Egito.

Os comentários estão desativados.