Múmia praticamente intacta é descoberta em tumba de 3.500 anos no Egito

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille | Instagram

No início deste mês foi anunciada a abertura de mais alguns túmulos em Dra 'Abu el-Naga, Luxor (Egito). Os sepulcros, datados da 18ª Dinastia (Novo Império), pertencem a funcionários que atuavam na cidade de Tebas, na época capital do Egito.

Essas tumbas já tinham sido identificadas e numeradas pelo egiptólogo alemão Friederike Kampp-Seyfried na década de 1990. Um dos túmulos, denominado pelo pesquisador como “Kampp 161”, até então não tinha sido aberto por arqueólogos, enquanto o túmulo “Kampp 150” só teve a sua entrada escavada. Contudo, agora eles estão recebendo a devida atenção por parte de uma equipe de arqueólogos egípcios.

Foto: Nariman El-Mofty, Ap for National Geographic (2017)

Os nomes dos seus antigos donos ainda são desconhecidos. Entretanto, acredita-se que a Kampp 150 seja datada do reinado de Tutmés I e muitos selos funerários com os nomes de um homem chamado Maati e sua esposa Mohi foram encontrados na área do pátio. Isso pode sugerir a identificação do ocupante do túmulo. Os arqueólogos também encontraram estátuas de madeira colorida, máscaras funerárias e uma múmia ainda enrolada por suas bandagens, porém, sem a sua cabeça.

Foto: EPA

Foto: Stringer / AFP

A parede ocidental do túmulo apresenta uma imagem retratando um evento social, possivelmente um banquete, com um homem apresentando oferendas ao ocupante do túmulo e sua esposa. Máscaras funerárias de madeira, restos de móveis e um caixão decorado também foram descobertos no túmulo.

Foto: Nariman El-Mofty, Ap for National Geographic (2017)

Já a Kampp 161 acredita-se que seja datada do reinado de Amenhotep II ou Tutmés IV. Isso com base em comparações estilísticas e arquitetônicas com outras tumbas da região.

Fotos: Nariman El-Mofty, Ap for National Geographic (2017)

Ainda existem tumbas esperando ser pesquisas em Luxor, apesar de já conhecidas pelo Ministério de Antiguidades do Egito.

Foto: Stringer / AFP

Fontes:

El-Mofty, Nariman. 3,500-Year-Old Tombs Uncovered in Egypt. One Has a Mummy. In: National Geographic. Disponível em < https://news.nationalgeographic.com/2017/12/egypt-tomb-mummy-naga-archaeology-ancient/ >. Publicado em: 09 de Novembro de 2017. Acesso em 09 de novembro de 2017.

EFE. Encontrados nuevos tesoros egipcios en dos tumbas del Imperio Nuevo. In: La Vanguardia. Disponível em < http://www.lavanguardia.com/cultura/20171209/433525385521/una-momia-mascaras-o-frescos-entre-los-tesoros-de-2-tumbas-del-imperio-nuevo.html >. Publicado em: 09 de Novembro de 2017. Acesso em 09 de novembro de 2017.

Egypt uncovers ancient tombs at Luxor. In: BBC. Disponível em < http://www.bbc.com/news/world-middle-east-42295162 >. Publicado em: 09 de Novembro de 2017. Acesso em 09 de novembro de 2017.

Tumba recém descoberta no Egito revela múmias e máscaras mortuárias

Por Márcia Jamille | @MJamille | Instagram

Hoje mais cedo, autoridades do Ministério de Antiguidades do Egito revelaram para imprensa detalhes de uma tumba recém-descoberta em Draa Abu-el Naga (Luxor). A sepultura pertenceu a um casal: O homem chamava-se Amenemhat, um ourives do deus Amon e a mulher era chamada de Amenhotep. Eles viveram durante a 18ª Dinastia, mas o túmulo foi utilizado em outros períodos, tais como a 21ª e a 22ª Dinastia.

No local foram achados sarcófagos, estatuetas, potes cerâmicos e outros artefatos. Restos mumificados também estão presentes e dentre eles estão as múmias de uma mulher e seus dois filhos adultos. Máscaras mortuárias pertencentes a quatro oficiais igualmente foram encontradas.

A entrada da tumba foi descoberta no pátio de outra sepultura e ela leva para uma câmara quadrada. Lá dentro existe uma representação do casal no interior de um nicho. Estas estátuas são feitas de arenito e estão parcialmente danificadas. Entre as suas pernas está a representação do filho do casal, que de acordo com os arqueólogos que fizeram a descoberta seria algo inusitado, uma vez que o comum eram as filhas ou as noras ser apresentadas dessa forma e não os rapazes.

Apesar dos saques e dos sepultamentos mais tardios, entre os artefatos foram descobertos objetos do casal.

Fontes: 

Newly unearthed ancient tomb with mummies unveiled in Egypt. Disponível em < http://edition.cnn.com/2017/09/09/africa/egypt-luxor-ancient-tomb/index.html?utm_content=bufferd2214&utm_medium=social&utm_source=twitter.com&utm_campaign=buffer >. Acesso em 09 de setembro de 2017.

Tomb of Pharoah’s goldsmith who died 3,500 years ago is discovered in Luxor in ancient civil service cemetery. Disponível em < http://www.dailymail.co.uk/news/article-4868124/Tomb-Pharoah-s-goldsmith-discovered-Luxor.html#ixzz4sEE4fxvZ >. Acesso em 09 de setembro de 2017.

Várias múmias foram descobertas em tumba egípcia

Por Márcia Jamille | @MJamille | Instagram

Ontem, dia 8 de setembro (2017), o Ministério de Antiguidades do Egito anunciou que hoje irá revelar para a imprensa uma tumba com várias múmias em seu interior, em Draa Abu-el Naga (Luxor). Ela está próxima a de um oficial da 18ª Dinastia (Novo Império) chamado Userhat (– 157 –), a qual a sua redescoberta foi revelada em meados de abril deste ano (2017). O AE chegou a noticiar este acontecimento, clique aqui para ler o post. Na época tinha sido explicado para a imprensa que existiam mais duas sepulturas no local. Aparentemente é uma delas o foco da coletiva que ocorrerá na manhã de hoje.

Artefatos encontrados na tumba de Userhat. Foto: Luxor Times.

Não foram revelados muitos detalhes do que foi encontrado, exceto que a visada sepultura provavelmente pertenceu a um sacerdote importante e que a sua escavação ainda está em andamento. Entretanto, vários ushabtis, máscaras mortuárias e outros artefatos feitos de cerâmica e faiança foram descobertos. No local igualmente foram encontrados vários restos humanos mumificados.

Esta notícia está sendo recebida com muita expectativa pelos pesquisadores e espera-se que em algumas horas mais novidades sejam reveladas.

 

Fonte:

Exclusive: Egyptian archaeologists discover 3500 years old tomb contains many mummies. Disponível em <http://luxortimesmagazine.blogspot.com.br/2017/09/exclusive-egyptian-archaeologists.html?utm_content=buffer2fa9d&utm_medium=social&utm_source=twitter.com&utm_campaign=buffer >. Acesso em 08 de setembro de 2017.

 

Foi descoberta tumba com vários sarcófagos, múmias e centenas de ushabtis em Luxor

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille | Instagram

Esta manhã foi anunciada a redescoberta[1] de uma tumba na necrópole de Draa Abu-el Naga (Luxor). As pesquisas estão sendo realizadas por uma missão egípcia coordenada por Mustafa Waziri.

“Os trabalhos de escavação estão em pleno desenvolvimento para revelar os segredos da tumba”, disse o ministro das antiguidades do Egito, Jaled el Anany, hoje em Luxor.  A sepultura encontra-se próxima a outros dois túmulos que ainda não foram escavados. O complexo principal pertence a um oficial da 18ª Dinastia (Novo Império) chamado Userhat. Esse homem foi conselheiro e juiz na cidade de Tebas.

Artefatos encontrados na tumba – 157 -. Foto: Luxor Times.

Sua tumba foi provisoriamente catalogada como – 157 – e tem sido vista como um sítio muito promissor pelo Ministério de Antiguidades graças às novas descobertas que ela pode oferecer. Ela possui o formato em “T”, muito comum na necrópole, e a sua parte retangular leva a novos espaços.

 

O que foi descoberto:

Na área retangular da tumba a equipe encontrou um sarcófago de madeira em bom estado de conservação e uma câmara interna com um poço com mais de 9 metros de profundidade que termina em duas pequenas câmaras. Lá foram encontradas cerca de 1000 pequenas estatuetas, os chamados ushabtis, figuras que se acreditava servir como servos do finado no além vida. Também foram descobertas jarras e maquetes de cerâmica assim como várias máscaras de madeira cobertas com pequenas lascas de ouro.

Parte de um ataúde. Foto: Luxor Times.

 

Mais internamente foi encontrado o que os pesquisadores acreditam ter sido um “armazém-esconderijo” onde foram depositados vários sarcófagos de madeira de épocas posteriores. Eles ainda possuem sua coloração original e foram datados como pertencentes a 21ª Dinastia. Algumas múmias, ainda envoltas em linho, também estão presentes. Nessa área também foram encontrados mais ushabtis feitos de diferentes materiais tais como terracota e madeira.

Partes de múmias e crânios. Foto: Luxor Times.

Artefatos encontrados na tumba – 157 -. Foto: Luxor Times.

Artefatos encontrados na tumba – 157 -. Foto: Luxor Times.

Artefatos encontrados na tumba – 157 -. Foto: Luxor Times.

Fonte:

Descubren una tumba de la Dinastía XVIII, con gran parte de su ajuar funerario, en Dra Abu El Naga. Disponível em < http://www.abc.es/cultura/abci-descubren-nueva-tumba-xviii-dinastia-gran-parte-ajuar-funerario-necropolis-naga-201704181258_noticia.html >. Acesso em 18 de abril de 2017.

Exclusive footage: Amazing new finds by an Egyptian team in Luxor. Disponível em < http://luxortimesmagazine.blogspot.com.br/2017/04/exclusive-footage-amazing-new-finds-by.html >. Acesso em 18 de abril de 2017.


[1] Ela já era conhecida, mas não pesquisada.

É descoberta estátua da rainha Tiye, mãe do faraó Akhenaton

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille | Instagram

Um missão arqueológica euro-egípcia encontrou em Luxor, em um templo do faraó Amenhotep III (Novo Império; 18ª Dinastia), uma estátua de alabastro de uma das suas esposas, a rainha Tiye, com a qual teve sete filhos, dentre eles o faraó Akhenaton.

De acordo com a arqueóloga responsável pela descoberta, Hourig Sourouzian, a escultura foi encontrada de forma fortuita, quando se levantava um colosso de Amenhotep III. A imagem foi esculpida na parte inferior dos seus pés e de acordo com o Ministério das Antiguidade do Egito é a primeira vez que uma estátua da rainha feita com esse tipo de material é encontrada no interior do templo.

Foto: Ministério das Antiguidades do Egito.

Em complemento, a imagem ainda conserva parte da pintura que a cobriu um dia de forma integral. Por esse motivo ela necessitará de um cuidado de restauro delicado.

 

Fonte:

Hallan una estatua de alabastro de la reina Tiye, abuela de Tuntakamón. Disponível em < http://www.abc.es/cultura/abci-hallan-estatua-alabastro-reina-tiye-abuela-tuntakamon-201703231424_noticia.html >. Acesso em 25 de maio de 2017.

Arqueólogos espanhóis descobrem múmia intacta sob templo do faraó Tutmés III

Por Márcia Jamille | @MJamille | Instagram

Notícia via Guilherme Santos e ‎Wellington Oliveira‎ (Facebook)

Uma equipe de Arqueologia da Espanha descobriu recentemente um sarcófago contendo uma múmia intacta sob um templo do faraó Tutmés III, em Luxor. O corpo é de um homem chamado Amenirnef, que possuía o cargo de “servente da casa real”.

O artefato foi feito com cartonagem, um tipo de técnica de construção que consiste em criar artefatos (no caso da descoberta em questão: um sarcófago) com camadas de tecidos revestidos por estuque.

O sarcófago está em ótimo estado de conservação, possuindo ainda os seus padrões de cores. Contudo, devido a sua idade, o artefato está muito frágil, necessitando de muito cuidado ao ser manipulado.

Ele foi datado como pertencendo provavelmente ao “Terceiro Período Intermediário”, uma das épocas de descentralização do poder egípcio.

Fontes:

Arqueólogos espanhóis descobrem múmia intacta em Luxor, no Egito. Disponível em < http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/11/arqueologos-espanhois-descobrem-mumia-intacta-em-luxor-no-egito.html >. Acesso em 18 de novembro de 2016.

Arqueólogos españoles hallan un cartonaje de momia bajo el templo de Tutmosis III. Disponível em < http://www.lavanguardia.com/cultura/20161114/411829422033/mision-espanola-halla-el-maravilloso-cartonaje-de-un-sirviente-real-egipcio.html >. Acesso em 18 de novembro de 2016.