Estátua colossal de faraó não pertence a Ramsés II, mas provavelmente a Psamético I

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille | Instagram Um grande assunto no meio da Egiptologia nas últimas semanas foi a descoberta de fragmentos de uma estátua colossal em uma periferia do Cairo, onde outrora foi a cidade de Iunu, denominada entre os gregos como Heliópolis. Amplamente conhecida pela devoção ao deus Sol Rá, Iunu possuía um dos mais importantes centros de culto do Egito, mas que foi destruído gradativamente após o fim da era dos faraós. Foto: Nevine Al-Aref. O torso Leia mais [...]

Veja estátua colossal de faraó ser erguida em vídeo de 360°

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille | Instagram Dica de Natália Barcelos, via Facebook. Uma das coisas mais legais da tecnologia aplicada a divulgação de projetos em sítios arqueológicos é que é possível tornar o conteúdo mais interativo e consequentemente mais atrativo para o público. Recentemente a descoberta de partes de uma estátua colossal, que provavelmente representa o faraó Ramsés II, deixou a internet em fervorosa, seja por admiração ou por susto acerca de como os artefatos Leia mais [...]

Novidades sobre o colosso Ramséssida encontrado na antiga Heliópolis

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille | Instagram Há alguns dias comentei aqui no AE sobre a descoberta de grandes estátuas do Período Ramsésssida em El-Mataria (Cairo), antiga Heliópolis e as polêmicas que surgiram a seguir. Uma delas era acerca da possibilidade de a equipe ter quebrado a cabeça da estátua maior, o que foi negado veementemente por vários profissionais. A questão é que ela foi tirada de um poço com uma escavadeira, o que revoltou muitos egípcios, levantando críticas Leia mais [...]

Grandes estátuas de Ramsés II e Seti II são encontradas na “Cidade do Sol”: mas, existem alguns probleminhas…

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille | Instagram Uma missão egípcia-alemã, que está trabalhando em El-Mataria (Cairo), antiga Heliópolis, desenterrou partes de duas estátuas colossais da época ramséssida, no sítio arqueológico de Suq el-Khamis. As pesquisas estão sendo coordenadas pela Universidade de Leipzig em cooperação com o Ministério das Antiguidades do Egito [1]. Ambas, no momento da descoberta, estavam cobertas com lama argilosa. Partes delas já foram removidas do local Leia mais [...]

Polícia egípcia recupera três múmias roubadas

Por Márcia Jamille | @MJamille | Instagram   A Polícia Turística e de Antiguidades recuperou uma coleção de 11 artefatos faraônicos furtados de um sítio arqueológico em Fayum. Os itens estavam em posse de uma gangue especialista neste tipo de crime. A crença de que estes objetos saíram diretamente de um sítio arqueológico está no fato de as peças não estão registradas nos documentos do Supremo Conselho de Antiguidades, ou seja, saíram de alguma escavação clandestina. Em Leia mais [...]

Empresa espanhola se encarregará de melhorar a segurança nos sítios arqueológicos do Egito

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille   Ontem, 29 de maio (2013), o Ministério Egípcio de Antiguidades anunciou o aceite de um projeto da empresa espanhola Defex, que se comprometeu em instalar em sítios arqueológicos, tais como o platô de Gizé, Luxor e o Vale dos Reis, um sistema de iluminação e segurança. A empresa se encarregará de instalar câmeras nos sítios para gravar as visitas durante 24 horas, fechará o perímetro das pirâmides de Gizé e estabelecerá controles de Leia mais [...]

O grafite feito pelo turista chinês foi removido de Luxor

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille   O Departamento de Antiguidades do Egito anunciou esta terça-feira que o grafite deixado pelo turista chinês Ding Jinhao já foi retirado da imagem do templo de Luxor. De acordo com o arqueólogo responsável pela área, Mansour Boreik, as marcas deixadas pelo garoto foram feitas de forma superficial.     O problema de atos de vandalismos realizados tanto por turistas como pelos próprios egípcios é comum nos sítios arqueológicos Leia mais [...]

Vandalismo em sítios arqueológicos no Egito: Ding Jinhao não é o único caso

Por Márcia Jamille Costa | @MJamille   No dia 26/05 (2013) viralizou na internet o caso de um ato de vandalismo em Luxor. Alguém chamado Ding Jinhao escreveu em um baixo relevo os dizeres em mandarim “Ding Jinhao esteve aqui”, despertando a revolta de milhares de internautas, especialmente entre os egípcios e chineses.     O caso foi a público depois que uma fotografia do ato foi publicada por um chinês envergonhado na internet. Imediatamente a mídia identificou Leia mais [...]